Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-09T08:21:10-03:00
Estadão Conteúdo
Otimismo com cautela

Cepal eleva projeção de crescimento da América Latina em 2021, mas faz alertas

Para o Brasil, entidade projeta que o PIB deve avançar 4,5% neste ano e 2,3% em 2022, abaixo da média da região, que deve ser de 5,2% e 2,9%, respectivamente

9 de julho de 2021
8:21
América Latina
Imagem: América Latina

O crescimento econômico da América Latina em 2021 será de 5,2%, o que não será o suficiente para assegurar uma alta sustentada, de acordo com a projeção contida em relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) publicado nesta quinta-feira, 8.

Ainda assim, a Comissão aumentou sua perspectiva, que era de 4,1% em abril, no que é um valor que "denota recuperação da profunda contração de 6,8% registrada em 2020", segundo o documento.

Para o Brasil, a Cepal projeta uma alta no PIB de 4,5% em 2021 e de 2,3% em 2022, ambas abaixo da média da região, que é de 2,9% no ano que vem.

De acordo com o relatório, que leva especialmente em conta os impactos da covid-19 na região mais atingida pela pandemia, a taxa de crescimento atual não é sustentável, e existe "um risco de retorno a trajetórias medíocres, com insuficiente investimento e emprego", além de maior deterioração ambiental.

A Cepal lembra que em junho, a região acumulava mais de 1.260.000 óbitos devido à covid-19, o que representa 32% do total mundial, apesar de sua população representar 8,4% no âmbito global.

Em termos fiscais, a avaliação da Comissão é de que é "imprescindível manter as políticas para apoiar as transferências sociais emergenciais, setores produtivos e reverter a persistente queda do investimento para continuar mitigando os efeitos da pandemia", além de avançar em uma recuperação transformadora com igualdade.

A Cepal recomenda que o espaço fiscal seja aumentado por meio do "crescimento da arrecadação tributária e da redução de gastos desnecessários".

Também diz ser "necessário consolidar os impostos sobre a renda, estender o alcance dos tributos sobre propriedade e patrimônio". Outro ponto destacado no relatório é o de revisar e atualizar de forma progressiva os royalties sobre a exploração de recursos não renováveis.

Por fim, a Comissão recomenda "considerar os impostos sobre a economia digital, ambientais e relacionados com a saúde pública".

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Exile on Wall Street

Para ser faixa-preta nos investimentos é preciso ter a paciência japonesa

Na literatura de alocação de ativos, “momentum” é a tendência que um ativo tem de continuar subindo apenas porque… já vem subindo. Nos últimos 30 anos, dezenas de estudos acadêmicos e gestores sistemáticos praticantes têm validado a existência de um prêmio por momentum no mercado de ações. Contrariando o senso comum, seria possível ganhar dinheiro […]

MERCADOS HOJE

Com clima doméstico tenso e inflação, Ibovespa não acompanha otimismo de NY; dólar recua

A crise política segue pesando no cenário interno, com a reforma ministerial e os ruídos em Brasília

O melhor do seu dinheiro

O mercado de ações à brasileira, a expectativa contra a realidade dos investimentos e outros destaques

A expressão Made in Brazil já foi muito mais utilizada do que é hoje em dia. Trazia inclusive uma conotação de nacionalismo, de orgulho do que era produzido por aqui e fazia sucesso no exterior. E pesquisando sobre o termo, encontrei uma banda de rock brasileira, bastante importante na cena musical dos anos 1970, exatamente […]

Bitcoin para os ricaços

Milionários passam a ver bitcoin como uma proteção contra a inflação, segundo Goldman Sachs

Confira o que uma pesquisa da instituição financeira descobriu sobre o interesse de escritórios de milionários em criptomoedas

De olho no dragão

IPCA-15 fica em 0,72% em julho e acumula 8,59% em 12 meses; confira o que pesa na inflação

O resultado do mês vem dentro das expectativas do mercado que projetava um crescimento de 0,46% até um teto de 0,78%, com a mediana de 0,65% ao índice

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies