Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2021-01-14T09:32:40-03:00
Seu Dinheiro na sua manhã

O filé mignon dos fundos imobiliários

13 de janeiro de 2021
10:21 - atualizado às 9:32
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Você gostaria de ser dono de um shopping center? Ou de um prédio corporativo na Avenida Faria Lima, um dos metros quadrados mais caros e disputados do país?

Embora você provavelmente não tenha dinheiro para comprar um shopping ou uma laje corporativa sozinho, pode ser dono de uma fração de um deles ao investir em um dos vários fundos de investimento imobiliários (FII) do tipo listados para negociação na B3.

Eu costumo dizer que os fundos imobiliários são uma ótima porta de entrada para quem deseja dar os primeiros passos no investimento em bolsa.

Além da possibilidade de lucro com a valorização das cotas, o investidor ainda recebe aquela renda mensal fruto do dinheiro dos aluguéis, que é isenta de imposto de renda.

Mas voltando à questão do início do texto, investir em um fundo imobiliário de shoppings ou de lajes corporativas parecia um excelente negócio até o começo do ano passado.

O que não passava pela cabeça de ninguém era a chegada de uma pandemia que obrigaria os imóveis comerciais a permanecerem fechados ou com funcionamento restrito durante boa parte do ano.

Mas isso não significa que os FII tenham perdido a atratividade, pelo contrário. Todos os meses a Julia Wiltgen vai atrás dos mais indicados dentro das carteiras das corretoras e traz para você os mais promissores.

O “filé mignon” dos fundos imobiliários é um conteúdo do Seu Dinheiro Premium. Você pode destravar a degustação de todo o conteúdo por 30 dias e ter acesso à nossa área exclusiva. Nesse meio tempo, pode cancelar sua assinatura e receber 100% de reembolso. Aqui está o caminho para você se tornar premium.

MERCADOS

O Ibovespa fechou ontem em alta de 0,60%, aos 123.998 pontos. O humor dos investidores melhorou após o diretor de política monetária do Banco Central aliviar as preocupações quanto à trajetória da Selic. O dólar levou um tombo de 3,29%, a R$ 5,323, empurrado pelo fluxo de investimentos estrangeiros.

O que mexe com os mercados hoje? De olho no andamento do novo processo de impeachment do presidente Donald Trump, no número de novos casos de covid-19 pelo mundo e nos dados sobre a inflação nos Estados Unidos, os investidores adotam uma postura um pouco mais cautelosa.

EMPRESAS

 Em mais um sinal de aquecimento do setor imobiliário, a Direcional fechou 2020 com chave de ouro, registrando no quarto trimestre recorde de vendas líquidas e o maior volume de lançamentos de sua história.

 A Cyrela Commercial Properties (CCP) abriu uma nova frente de negócios, ao firmar um acordo com a SPX Capital para formar uma gestora de fundos de investimentos destinados à aplicação de recursos em ativos imobiliários.

 A SulAmérica anunciou ontem a escolha de um novo CEO, após Gabriel Portella decidir que não vai renovar seu mandato. Confira o perfil do novo comandante da seguradora.

ECONOMIA

 A pandemia de covid-19 segue devastadora no Brasil. Nas últimas 24 horas, o país registrou o segundo maior número diário de novos casos desde o início da pandemia.

 O presidente Jair Bolsonaro sancionou ontem a Medida Provisória (MP) que institui o programa Casa Verde e Amarela, uma nova versão do Minha Casa Minha Vida. Veja os detalhes da nova política habitacional do governo federal.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua manhã". Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies