Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-21T20:54:57-03:00
seu dinheiro na sua noite

Está aberta a temporada de balanços: Coca-Cola vs. CR7, as prévias do IRB e o que esperar das varejistas

21 de julho de 2021
20:53 - atualizado às 20:54
Varazdin,,Croatia,-,August,31,,2014:,Plastic,Bottles,Of,Coca

Está aberta a temporada de balanços do segundo trimestre das companhias abertas no Brasil e no mundo. Por aqui, a coisa só ganha tração mesmo a partir da semana que vem, mas as prévias operacionais já fazem preço no mercado, e os analistas divulgam as suas projeções para as principais ações da bolsa.

Hoje a XP divulgou suas projeções para os resultados de algumas varejistas, como mostra o Kaype Abreu. Já as prévias operacionais do IRB alçaram os papéis da resseguradora à maior alta do Ibovespa no dia, com avanço de mais de 8%. O índice, aliás, foi puxado pelo bom desempenho de Wall Street, onde os balanços já animam os mercados, como mostrou a Jasmine Olga.

No Seu Dinheiro a gente costuma focar mais na cobertura dos resultados das empresas brasileiras, mas quando uma companhia gringa tem uma boa história, procuramos contá-la aqui. Até porque, hoje em dia o brasileiro já consegue investir nessas empresas na própria B3, por meio de BDRs.

Em geral, os investidores e nós, jornalistas, voltamos a maior parte da nossa atenção às gigantes de tecnologia ou empresas muito inovadoras, mas hoje trazemos a história de uma das mais tradicionais companhias americanas: a Coca-Cola.

Isso porque em junho um episódio envolvendo o jogador Cristiano Ronaldo e a marca de refrigerantes chamou a atenção dos mercados e das redes sociais.

Em uma entrevista coletiva durante a Eurocopa, evento patrocinado pela Coca-Cola, o atleta retirou da sua frente as garrafas da bebida e as substituiu por uma garrafa d’água. O gesto não foi nem um pouco discreto.

Em seguida, as ações da Coca-Cola passaram a cair - uma queda modesta de 1%, é verdade, mas logo atribuída ao incidente com o jogador. A situação levantou o debate sobre o papel do marketing para uma marca que passou a ter telhado de vidro na era da “alimentação saudável”.

De fato, as empresas de alimentos processados e redes de fast food vêm enfrentando um mercado mais competitivo, além de precisarem lidar com crises de imagem ao terem suas marcas associadas à epidemia de obesidade que acomete diversos países. Também é verdade que as pessoas têm buscado um estilo de vida mais saudável, sobretudo os mais jovens.

Mas nem este cenário, nem o gesto de CR7 - ícone dessa “geração saúde” - foram capazes de abalar a Coca-Cola no segundo trimestre. O Victor Aguiar se debruçou sobre os bons números da companhia e mostra que ela ainda está cheia de gás.

Afinal, nem todo mundo que busca uma relação mais saudável com a alimentação abandonou totalmente as besteirinhas, e uma coquinha gelada num dia quente e difícil ainda tem o seu valor. Mas para quem não bebe refrigerante, a companhia oferece água também.

MERCADOS

 A ação da Smart Fit (SMFT3) ainda vale a pena depois do IPO? Confira a análise da especialista em ações Cristiane Fensterseifer no nosso quadro “Palavra do Analista”. Basta clicar aqui.

 A volatilidade do mercado levou a Multilaser a adiar sua estreia na B3. Mas com ventos melhores na bolsa brasileira, a fabricante e distribuidora de itens eletrônicos finalmente concluiu seu IPO e marcou sua estreia na B3 para amanhã (22). Veja quanto a companhia captou.

EMPRESAS

 A Via, ex-Via Varejo, anunciou que pretende lançar 120 novas lojas físicas até o final deste ano, com foco nas regiões Norte e Nordeste. Saiba mais sobre os planos e projeções da empresa até o fim de 2021.

ECONOMIA

 O fantasma da greve dos caminhoneiros voltou a assombrar o governo Bolsonaro. Entidades e associações que representam a categoria avaliam a possibilidade de uma nova paralisação a partir do próximo domingo (25), Dia do Motorista. Entenda.

 A reforma tributária ainda nem foi aprovada e a arrecadação federal registrou um salto em junho. Os cofres públicos receberam mais de R$ 137 bilhões no mês, um aumento real de 46,77% na comparação com o mesmo período do ano passado.

OPINIÃO

 Quem se interessa por conteúdo sobre finanças e investimentos geralmente ouve uma série de chavões “inteligentinhos”, entre os quais uma ou outra frase de guru tipo Warren Buffett. Na sua coluna de hoje, o Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, desmistifica 12 dessas máximas e mostra que muitas vezes elas não passam de clichês prejudiciais ao investidor.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite". Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Garantindo a oferta

Crescem ofertas de ações com reserva antecipada

As ancoragens normalmente conseguem atrair mais investidores, numa espécie de chancela prévia, com potencial impacto positivo no preço da ação.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies