Menu
Exile on Wall Street
Lais Costa
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-10T12:35:57-03:00
Exile on Wall Street

O manual que todo investidor deveria ler para não perder dinheiro; confira

10 de setembro de 2021
11:02 - atualizado às 12:35
Manual (1)
Em momentos de estresse do mercado, a liberdade pode se tornar uma prisão dos recursos e o paraíso pode virar pesadelo / Imagem: Divulgação

Assim como são inegáveis os benefícios da leitura, é assustadoramente comum encontrar pessoas que simplesmente não leem. Não me refiro apenas a livros excessivamente eruditos, extensos, muito técnicos ou de difícil compreensão.

Na minha experiência, destaco a recorrência com que encontro pessoas que não leem pequenos textos, instruções e manuais com um conteúdo extremamente prático e de impacto relevante.

Você também já deve ter ouvido ou presenciado situações em que alguém pagou por uma visita técnica de poucos minutos para instalar ou consertar algum aparelho eletrônico, simplesmente porque a solução para o “problema” estava em uma etiqueta que nunca foi lida.

Quando a compra do produto é feita de forma impulsiva e estimulada por irresistíveis apelos publicitários, é ainda mais comum que se presuma que o produto adquirido seja de simplíssimo manuseio e, claro, dispense a leitura atenta de quaisquer orientações fornecidas pelo fabricante.

A negligência pode resultar em incômodas dores de cabeça, indesejadas frustrações e, invariavelmente, em perda de dinheiro.

Vivemos um momento histórico de acesso rápido e relativamente fácil a uma quantidade de informações sem precedentes. Mas surpreendentemente o interesse em aprofundar o conhecimento revela-se cada dia menor.

No universo de investimentos em fundos globais não é diferente. Nunca houve tanto conhecimento à disposição do investidor. Este, contudo, parece ter cada vez mais contato com um verdadeiro oceano de informações com pouco mais de um centímetro de profundidade.

Hedge Funds

Destaco aqui a classe de hedge funds, que se tornou especialmente popular depois dos anos 1990 e tem adentrado as fronteiras brasileiras nos últimos anos.

Sabe-se que os hedge funds são pouco regulados, mas pouco se sabe sobre o que isso representa na prática.

Primeiramente, é importante entender que a regulação (ou ausência desta) varia de acordo com a geografia em que o fundo é sediado e comercializado.

As Ilhas Cayman, por exemplo, são um destino comum para gestoras que procuram liberdade para implementação de estratégias mais sofisticadas.

Contudo, quando o assunto é diversificação do passivo e distribuição para o público europeu, os fundos recebem uma roupagem regulatória mais robusta e passam a co­mercializar a versão denominada Ucits (Organismo de Investimento Coletivo em Valores Mobiliários, em tradução livre). Ela é uma espécie de selo de qualidade de gestão de risco.

Aqui, atenta-se muito para as restrições de ativos (commodities físicas, por exemplo) e limite de concentração do portfólio, o que muitas vezes leva o investidor a achar que a versão Ucits é uma estratégia diluída e pouco eficiente.

Contudo, aqueles que se propõem a ler instruções e manuais percebem que o tema crítico do arcabouço regulatório europeu é a liquidez. Os fundos Ucits seguem uma espécie de manual de boas práticas de gestão de liquidez que protege o acionista de decisões arbitrárias dos gestores.

Diferenças entre Cayman e Ucits

Ressalto algumas diferenças importantes entre as versões irrestritas, ou Cayman, como são comumente chamadas, e os veículos Ucits:

• Divulgação de cotas : na versão irrestrita (Cayman) não existe exigência regulatória. Já o fundo Ucits tem que divulgar sua cotação ao menos duas vezes ao mês e, na prática, isso é feito diariamente.

• Portas de resgate (gates): neste caso, o gestor limita o pedido de resgate de cotas por dia no fundo Cayman quando os pedidos excedem 20% do valor patrimonial líquido do fundo, o que ocorre mais frequentemente em momentos de estresse do mercado. Também é aplicado quando o resgate excede 25% do capital do investidor, o que independe do momento de mercado. Já na versão Ucits, os gates são permitidos apenas em algumas jurisdições europeias. Na Irlanda, por exemplo, só podem ser aplicados em resgates que representarem mais de 10% do patrimônio líquido do fundo e, na prática, são muito menos usados.

• Suspensão e diferimento de resgates : nas versões irrestritas, pode haver suspensão e/ou diferimento de resgate, ainda que não haja cláusulas específicas nos documentos do fundo. Em uma situação de pânico nos mercados, mesmo que os ativos da carteira do fundo não apresentem disfuncionalidade de precificação, o gestor pode decidir suspender ou diferir resgates. Já nos fundos Ucits, embora possíveis, ocorrem em circunstâncias excepcionais de difícil precificação dos ativos que compõem o portfólio do fundo e por períodos bem curtos de tempo (parte do dia ou poucos dias).

Em momentos de estresse do mercado, a liberdade pode se tornar uma prisão dos recursos e o paraíso pode virar pesadelo.

A solução, porém, não é ficar de fora e perder de vista os benefícios de diversificação e elevados retornos potenciais, mas dimensionar corretamente o tamanho da posição (sizing) em relação ao seu perfil de investimento.

Na semana passada, nós aqui da série Os Melhores Fundos de Investimento publicamos um relatório sobre as diferenças entre as versões Ucits e Cayman dos hedge funds e os principais conceitos que permeiam o universo dos hedge funds em que o investidor deveria se aprofundar.

O nosso intuito é trazer mais profundidade de conhecimento e evitar as dores de cabeça, as frustrações e, principalmente, a perda de dinheiro.

Este é um dos “manuais” que o investidor global deveria ler.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

sem escassez

Fábrica da Tesla em Xangai deve terminar setembro com 300 mil carros produzidos em 2021

Marca será atingida mesmo em meio a uma escassez global de semicondutores, disseram duas fontes da montadora à Reuters

Fim da pandemia

CEO da Pfizer prevê que voltaremos à vida normal dentro de um ano, mesmo com novas variantes do coronavírus

Albert Bourla acredita que vacinação contra a covid-19 se tornarão anuais, para cobrir novas variantes, e que vacinas durarão um ano

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Clube do livro

“Era para termos entrado no Primeiro Mundo há 30 anos”, escreve Gustavo Franco em seu novo livro “Lições Amargas”; leia a resenha completa

O ex-presidente do Banco Central tece críticas ao Brasil e sua estagnação prolongada e apresenta uma “história provisória da atualidade”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies