Menu
Diário de Bordo
Jojo Wachsmann
É CIO e sócio fundador da Vitreo.
2021-03-05T16:34:49-03:00
DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

5 de março de 2021
16:32 - atualizado às 16:34
Bóia vermelha salva vidas porto
Imagem: Shutterstock

É com muito prazer, amigo leitor, que estreio hoje a minha coluna aqui no Seu Dinheiro. Para quem não me conhece, eu sou o George Wachsmann, mais conhecido como "Jojo", sócio-fundador e CIO da Vitreo.

A Vitreo nasceu em outubro de 2018 e já é uma das corretoras que mais cresce no Brasil. Chegamos com a proposta de acabar com os conflitos de interesse da indústria, oferecer taxas justas ao investidor e soluções de investimento mais atrativas.

Hoje a Vitreo tem mais de 85 mil clientes e mais de R$ 9 bilhões sob gestão. A plataforma da Vitreo oferece fundos de terceiros e também de sua própria gestora. Alguns deles são inspirados em carteiras recomendadas pelos analistas da Empiricus, empresa controladora do site Seu Dinheiro.

A Empiricus e a Vitreo são parceiras comerciais, mas manifestaram no ano passado sua intenção de agrupar seus negócios em uma única holding, a Universa. Ainda dependemos da aprovação do Banco Central para concretizar esse sonho. E, se tudo der certo, o Seu Dinheiro também fará parte desse projeto.

Espero poder contribuir neste espaço com reflexões que lhe ajudem a ter insights de investimentos e a alavancar sua vida financeira. Nesta coluna de estreia, falo sobre o cenário econômico atual, abalado por uma tempestade que vem de Brasília.

Cenário nebuloso no Brasil e nos mercados

Após ventos fortes e ensurdecedores, ondas grandes e muita neblina, comecei a enxergar uma luz vindo de um farol distante que poderia nos direcionar para ancorarmos em um porto seguro e mais tranquilo.

Porém, confesso que fui tomado pelo sentimento de otimismo, muito por conta da emoção em saber que meus pais seriam vacinados – e finalmente eles o foram – entretanto, fui “surpreendido” com a tempestade chamada Brasil.

Me entristece demais ver o aumento gritante do número de infectados, as UTIs superlotadas por todo o país e, após um ano da pandemia, teremos que voltar a um lockdown mais severo.

Se não bastasse tudo isso, o nosso governo flerta diariamente com uma política ora populista, ora reformista. Numa sexta-feira o presidente da Petrobras é demitido e, na segunda-feira seguinte, o governo fala da privatização da Eletrobrás, respaldando o ministro Paulo Guedes e indo em direção a mais reformas no congresso.

Estamos em alto-mar, no meio de uma tempestade, e a nossa bússola está totalmente biruta e sem saber para qual direção é o Norte.

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

É certo, uma hora essa tempestade irá passar e teremos que estar prontos para quando este momento chegar. Pois, mesmo que o Brasil ainda esteja muito atrás em relação a Israel, Europa e EUA no processo de vacinação de sua população, sinto que, pouco a pouco, cumpriremos essa missão e dias melhores virão para todos nós.

Aliás, se olharmos para o Reino Unido e os Estados Unidos, por exemplo, teremos um panorama do que provavelmente ocorrerá por aqui após a vacinação da população, e isso me enche de boas energias e esperanças.

Realmente espero que dentro de um curto espaço de tempo todos os brasileiros também possam ser vacinados – essa será uma grande vitória da ciência, da informação de qualidade e da população, que espera pacientemente sua vez na fila de vacinação.

Em contraponto ao otimismo da imunização, estamos navegando em mares revoltos do Ibovespa em 2021, que registrou uma queda acumulada de 6,92% até a data em que escrevo (03).

E não foi apenas isso, o dólar disparou para a casa dos R$ 5,70 e o real segue com uma das moedas mais desvalorizadas do mundo, nos últimos tempos.

Somado a isso tudo, o mercado não viu com bons olhos mais uma troca de presidente da Petrobras e, por sinal, essa foi a sétima mudança na presidência da empresa nos últimos 10 anos.

Entra governo e sai governo e o que sempre vemos são “soluções” populistas a fim de garantir seus votos na próxima eleição, em vez de discutirmos seriamente o que a Petrobras representa para o País.

O governo precisa escolher entre dois caminhos:

  1. Repetir os erros dos seus antecessores no controle de preços; ou
  2. Propor, de fato, uma política ampla de energia.

Inclusive, tivemos em nosso episódio 04, do podcast RadioCash, a honra de conversar sobre este assunto com o especialista em energia, Adriano Pires – sócio fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura.

Convido você a ouvir este episódio. É só dar o "play" abaixo ou em sua plataforma de streaming preferida.

Em um bate-papo de quase uma hora, conversamos sobre alguns pontos que preocupam os investidores, como é o caso da intervenção do governo na Petrobras e a nova MP da Eletrobras.

Onde investir, afinal?

Em resumo, em momentos de alta volatilidade e incertezas nos mercados como este, costumo recomendar que você se posicione de maneira diversificada, pois antes do lucro, precisamos é nos manter vivos.

Para isso, estamos sempre pensando nas melhores opções para você diversificar seu portfólio em diferentes classes de ativos, aqui na Vitreo.

Alguns dos nossos fundos que se destacaram no mês de fevereiro são uma boa opção para quem quer investir de forma responsável e assimétrica.

Colocando um pequeno percentual do seu patrimônio nesses fundos, mesmo que sem garantias de resultados, você poderia ter aproveitado as incríveis marcas do CriptoMoedas, que subiu 16,64% em fevereiro; seguido de perto pelo Canabidiol, com 15,24% de alta no mesmo mês.

Estes resultados só não foram maiores por conta do final do mês de fevereiro. Veja só:

  • A rentabilidade acumulada do fundo Vitreo CriptoMoedas entre o período de 28/02/2020 até 02/03/2021 é de 442,45%;
  • enquanto o Vitreo Canabidiol entregou um retorno de 127,76%, dentro do período de 25/10/2019 até 02/03/2021.

Não custa lembrar que todas essas rentabilidades apresentadas não são líquidas de impostos. E como você está cansado de saber: rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

Porém, dependendo do seu perfil de investidor, essas opções são excelentes para diversificação de portfólio.

Bom, aqui me despeço, entre ventos fortes e trovoadas, mas seguindo uma luz distante do farol chamado Esperança, luz essa que guia o meu coração rumo a novas soluções para que nossos clientes se sintam protegidos com seus investimentos. Pode contar comigo e com a Vitreo, sempre.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies