Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-18T12:17:33-03:00
Estadão Conteúdo
S&P 500

Tesla entra em índice de maiores empresas da bolsa americana

Hoje, a Tesla é a montadora mais valiosa do mundo, graças ao potencial que o mercado vê nos carros elétrico

18 de novembro de 2020
11:57 - atualizado às 12:17
Modelo S da Tesla, fabricante de automóveis elétricos do bilionário Elon Musk
Imagem: Shutterstock

Um dos índices de mercado mais prestigiados do mundo, o S&P 500 agora vai ter a presença de uma fabricante de carros elétricos: a Tesla, de Elon Musk. Após ver suas ações subirem 370% desde o início do ano, a companhia passou a fazer parte do seleto índice, que reúne as maiores empresas americanas listadas na bolsa de valores.

O anúncio foi feito pela S&P Dow Jones Indices na noite da segunda-feira e fez as ações da empresa dispararem no mercado. Ontem, a Tesla se valorizou em 8%, com papéis cotados a US$ 441,61 e valor de mercado total de US$ 418 bilhões. Além disso, a valorização fez a fortuna de Elon Musk, presidente executivo da empresa e também da companhia aeroespacial Space X, crescer mais um pouco, chegando a US$ 97 bilhões, segundo o placar em tempo real da revista Forbes.

Com a valorização, Musk hoje é mais rico que nomes tradicionais do ranking, como Warren Buffett e Amancio Ortega, da Zara. Está na quinta posição dos homens mais ricos do mundo e perto de ultrapassar outro executivo referência do Vale do Silício: Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, dono de US$ 101 bilhões.

Além do otimismo do mercado, que vê na inclusão da Tesla no S&P 500 mais um sinal que mostra que a empresa está no caminho certo, a decisão da Dow Jones Indices reforça os negócios da empresa. Isso porque fundos de investimentos indexados ao S&P 500 terão de vender cerca de US$ 51 bilhões em ações de companhias que já estão no índice para usar o dinheiro para comprar ações da Tesla, de modo que seus portfólios reflitam corretamente o índice, disse a S&P Dow Jones Indices. A Tesla vai corresponder a cerca de 1% do indicador.

Ainda não há data exata para a inclusão acontecer. Isso porque a S&P Dow Jones Indices perguntou a preferência dos investidores sobre a inclusão integral da Tesla no índice em 21 de dezembro, ou em duas etapas, com a primeira ocorrendo uma semana antes, diante do grande valor de mercado da companhia.

Hoje, a Tesla é a montadora mais valiosa do mundo, graças ao potencial que o mercado vê nos carros elétricos. A empresa, porém, está bem atrás de rivais como Volkswagen e Toyota na venda de veículos: em 2020, a meta da empresa de Musk é de conseguir entregar 500 mil carros, uma fração do volume das concorrentes. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

fique por dentro

Selic hoje está em 5,25% ao ano; entenda a alta dos juros em 5 pontos

Banco Central está subindo a taxa básica de juros a quatro reuniões; a autoridade monetária já contratou mais um ajuste; entenda as razões e como ela afeta sua vida

Privatização dos correios

Câmara dá início à sessão que discute privatização dos Correios; acompanhe

A venda da estatal está prevista no Projeto de Lei 591/21, do Poder Executivo; a proposta permite a transformação dos Correios em empresa de economia mista

Alta (segura) dos papéis

Parceria com o Grupo Caoa faz ações da seguradora Wiz (WIZS3) subirem mais de 5%; confira detalhes do acordo

A empresa celebrou uma parceria comercial contratual com prazo de vigência de 12 meses com a Caoa Corretora de Seguros, por meio de sua controlada Wiz Conseg

Primeiro dia

Ação da Raízen (RAIZ4) estreia na bolsa em alta de mais de 1%

Pouco depois da abertura, porém, papel retornou para a faixa de preço do IPO; maior abertura de capital do ano na B3 movimentou R$ 6,9 bilhões

Depois dos resultados, a bonança

Opções de Petrobras disparam até 540% em 1 dia com lucro e dividendo bilionários

O lucro acima do esperado pelo mercado no segundo trimestre deste ano e a antecipação de R$ 31,6 bilhões em dividendos animaram a bolsa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies