Menu
2020-10-02T17:13:56-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho na demanda

Tesla, de Elon Musk, bate recorde, mas incerteza ainda ronda empresa

Ações da montadora caem mais de 7% no pregão desta sexta-feira, mas acumulam alta de mais de 400% desde janeiro; mercado está atento a relação entre oferta e demanda

2 de outubro de 2020
17:12 - atualizado às 17:13
Modelo S da Tesla, fabricante de automóveis elétricos do bilionário Elon Musk
Imagem: Shutterstock

As ações da Tesla caem de maneira forte nesta sexta-feira (2), mesmo após a empresa entregar um número recorde de veículos no terceiro trimestre. Por volta das 17h30 (horário de Brasília) a baixa dos papéis da montadora era de 7,38%

A empresa comandada pelo excêntrico bilionário Elon Musk informou que entregou 139,3 mil veículos no terceiro trimestre - enquanto analistas do mercado esperavam 137 mil.

Os números do terceiro trimestre superam em 24% o recorde anterior, de dezembro passado. Segundo a Tesla, foram 124,1 mil carros do Modelo 3 e do Modelo Y, em uma alta anual de 56%, além de 15,2 mil do Modelo S e Modelo X.

Os bons resultados não são capazes de sustentar mais uma alta das ações da empresa de Elon Musk. Em primeiro lugar, é preciso lembrar que os papéis da montadora já subiram 417% desde janeiro. Em segundo, preocupa os investidores a demanda pelos veículos.

A empresa tem uma fábrica na Califórnia, nos Estados Unidos, e outra em Xangai, na China. Mas as vendas no país asiático permanecem estáveis ​​durante todo o ano e caem na Europa.

Desde a abertura da fábrica na China, a capacidade anual total da Tesla é de 690 mil. No entanto, analistas dizem que a companhia venderá menos que 500 mil neste ano.

Para atingir a marca de meio milhão, que Elon Musk colocou como meta, a Tesla precisa entregar mais 180 mil veículos no quarto trimestre.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies