Menu
2020-07-02T15:32:07-03:00
Estadão Conteúdo
40,5% de queda em relação a 2019

Venda de veículos novos cresce 113,6% em junho ante maio, diz Fenabrave

O volume registrado em junho, se comparado a igual mês do ano passado, apresenta queda de 40,5%

2 de julho de 2020
15:32
Honda carros veículos
Imagem: Shutterstock

A venda de veículos novos cresceu 113,6% em junho em relação a maio, com o emplacamento de 132,8 mil unidades, em soma que considera veículos leves e pesados. Os números foram divulgados nesta quinta-feira, 2, pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O volume registrado em junho, se comparado a igual mês do ano passado, apresenta queda de 40,5%.

No acumulado do primeiro semestre, foram 808,8 mil veículos licenciados, recuo de 38,2% sobre a primeira metade do ano passado.

Nos resultados por segmento, destaca-se a venda de caminhões, que pela primeira vez desde o início da pandemia do novo coronavírus apresentou crescimento em um mês na comparação com igual mês do ano passado. Foram vendidas 8,7 mil unidades em junho, alta de 12,3% em relação a junho de 2019 e de 85% sobre o número de maio.

Único a crescer na comparação interanual em junho, o segmento de caminhões foi menos afetado pela pandemia, pois conseguiu manter alguma demanda de transportes durante a crise, em especial de produtos essenciais. Contudo, no primeiro semestre o mercado ainda amarga queda, com a venda de 37,6 mil unidades, baixa de 19,7%.

No mercado de veículos leves, que agrega automóveis e comerciais leves, as vendas somaram 122,7 mil unidades em junho, alta de 116,8% na comparação com maio, mas retração de 42,5% em relação a junho do ano passado. De janeiro a junho, foram licenciadas 763,2 mil unidades, recuo de 38,9%.

No caso dos ônibus, a venda atingiu 1,3 mil unidades no sexto mês do ano, alta de 58% sobre o resultado de maio, porém com contração de 34,1% ante o número de junho do ano passado. No primeiro semestre, a venda de ônibus acumula 7,8 mil unidades emplacadas, queda de 36,5% na comparação com igual período de 2019.

Revisões

A Fenabrave passou a prever queda de 37,1% para o mercado de veículos leves novos em 2020, conforme anunciado nesta quinta-feira. A projeção anterior, feita antes da pandemia do novo coronavírus, era de alta de 9%.

Se a estimativa da Fenabrave se confirmar, 2020 terminará com 1,672 milhão de emplacamentos de veículos leves, que agregam automóveis e comerciais leves.

Também houve revisão para o mercado de caminhões. A estimativa passou de alta de 24% para retração de 18,6%. Com a nova projeção, o segmento tende a terminar o ano com a venda de 82,8 mil unidades. A previsão para ônibus foi alterada de avanço de 16% para recuo de 39,1%, para 16,5 mil unidades.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Dança das cadeiras

Bradesco anuncia mudanças na executiva e cita desafios concorrenciais e da covid

A vice-presidência com foco nos clientes vai abrigar o cargo de Chief Customer Officer (CCO).

PODCAST TELA AZUL

Tela Azul #21: Um fundo de investimentos focado em games!

Na edição desta semana do Tela Azul, recebemos o Rodrigo Knudsen, gestor do fundo Vitreo Tech Games.

estreia boa

Assaí sobe mais de 400% e Pão de Açúcar cai mais de 68%. Tá certo isso?

Como listagem ocorreu após cisão das operações do atacarejo, e não IPO, ações estão passando por reajuste para refletir nova realidade

Agora vai?

Bolsonaro diz que ‘está quase tudo certo’ para nova rodada do auxílio emergencial

Segundo Bolsonaro, o novo valor do auxílio, acordado em R$ 250 por quatro meses, está “acima da média do Bolsa Família, que é de R$ 190”.

Exile on Wall Street

Águas de março para salvar o verão: cinco ações bem quentes

O boletim do primeiro bimestre de 2021 traz notas vermelhas.  A alta dos juros de mercado trouxe aumento da atratividade relativa da renda fixa e preocupações com o valuation de nomes de crescimento.   Internamente, a falta de clareza sobre nossa trajetória fiscal e o temor de adoção de maior intervencionismo estatal na economia impuseram perdas […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies