O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2020-11-16T15:18:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
efeito pandemia

Turismo soma prejuízo de R$ 41,6 bilhões entre março e setembro

Valor representa uma queda de 44% nas receitas em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento da FecomercioSP

16 de novembro de 2020
15:16 - atualizado às 15:18
turismo viagem
Imagem: Shutterstock

O turismo nacional perdeu R$ 41,6 bilhões entre os meses de março e setembro de 2020, em meio à pandemia de covid-19 no País, segundo levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

A retração é puxada, principalmente, pelo setor de transporte aéreo. O valor representa uma queda de 44% nas receitas em comparação ao mesmo período do ano passado.

Em setembro, o turismo apresentou o pior resultado para o mês desde o início da série histórica em 2011 com um faturamento de R$ 8,6 bilhões. O número é 37,6% menor do que no mesmo período de 2019, representando um rombo de R$ 5,2 bilhões.

Ainda de acordo com a FecomercioSP, a retração é porcentualmente semelhante ao acumulado do ano, em que o turismo nacional já viu cair em 34,1% seu faturamento.

Transporte aéreo

O prejuízo em setembro foi encabeçado pelo setor de transporte aéreo, que faturou 64,6% a menos do que no mesmo mês de 2019. Apesar do número expressivo, o cenário é de algum otimismo, porque a queda já foi maior em meses anteriores.

Em agosto, por exemplo, chegou a 68,8% e, em julho, a 78,1%. Isso se explica não apenas pela baixa demanda, mas pela redução da oferta em 54,5% dos assentos no período, segundo a Agência Nacional da Aviação Civil (Anac).

Na mesma linha, caíram drasticamente os faturamentos dos agentes de hospedagem e alimentação (-37,3%) e de atividades culturais, esportivas e recreativas (-24,4%).

Locadoras de carros

As locadoras de carros perderam 14,8% do faturamento em comparação a setembro de 2019, mas já registram dias com a totalidade dos veículos alugados em alguns fins de semana, em diferentes cidades do País.

Segundo a FecomercioSP, o mais preocupante é que, ao contrário de setores como o comércio e os serviços, em recuperação desde o início do segundo semestre do ano, o turismo não apresenta sinais de retomada.

Por isso, a Federação defende a necessidade uma expansão da oferta de crédito para as empresas do setor, principalmente por meio de ajuda de programas do governo.

Entretanto, dados de outra pesquisa da Federação indicam que quase um terço das pessoas (31%) querem viajar depois que a pandemia acabar - o que indica uma demanda reprimida à espera de condições para se realizar.

Com isso, a FecomercioSP sugere aos empresários do setor que mantenham os canais digitais ativos. Recomenda ainda adaptar as reservas e os fluxos diante da busca de turistas por locais com flexibilidade de cancelamento ou remarcação, assim como possibilidade de reembolsos.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies