Menu
2020-12-11T09:46:56-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
MELHORANDO, mas falta

Setor de serviços cresce pelo quinto mês seguido em outubro

Alta de 1,7% do volume frente a setembro supera estimativas, mas ainda não apaga perdas acumuladas em 2020

11 de dezembro de 2020
9:46
Serviços
Imagem: Shutterstock

O segmento de serviços continuou registrando recuperação da atividade em outubro, crescendo pelo quinto mês consecutivo, após uma sequência de quatro leituras negativas. Mas ainda falta para reverter as perdas provocadas pela pandemia de covid-19.

Dados divulgados pelo IBGE nesta sexta-feira (11) mostram que o volume de serviços avançou 1,7% frente a setembro. O resultado superou a mediana das estimativas de analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, de crescimento de 1,2%. As projeções variavam de alta de 0,4% a 3,25%.

Com o resultado de outubro, o volume de serviços acumulou alta de 15,8% nos últimos cinco meses. Mas o resultado não compensou a queda de 19,8% apurada entre fevereiro e maio, fazendo com o segmento registre contração de 8,7% até o momento em 2020.

Em relação a outubro de 2019, o volume de serviços recuou 7,4%, oitava taxa negativa seguida nessa comparação.

“A taxa dos últimos 12 meses recuou 6,8% em outubro de 2020, mantendo a trajetória descendente iniciada em janeiro de 2020 e chegando ao resultado negativo mais intenso da série deste indicador, iniciada em dezembro de 2012”, diz trecho do comunicado.

Por segmento

O IBGE informou que quatro das cinco atividades de serviços pesquisadas tiveram aumento de volume entre setembro e outubro.

O destaque ficou por conta dos serviços de informação e comunicação que, ao avançarem 2,6% em outubro, acumularam um ganho de 10% no período de junho a outubro, após terem recuado 8,8% entre janeiro e maio.

Outros segmentos que apresentaram avanços foram transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,5%), serviços prestados às famílias (4,6%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (0,8%).

Os serviços prestados às famílias registraram a terceira taxa positiva seguida e já acumulam ganho de 80,4% nos últimos seis meses, mas o IBGE ressaltou que eles ainda precisam crescer 47,6% para retornar ao patamar de fevereiro.

O único resultado negativo na leitura mensal ficou com outros serviços (-3,5%), que devolveram parte do ganho de 19,2% acumulado nos últimos quatro meses.

* Com informações da Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

perspectivas

Temporada de balanços 1º tri: quem deve ir bem e quem ainda está mal, segundo o BofA

Empresas começam a divulgar resultados de um período marcado por lockdowns e alta dos preços das commodities; veja o que esperar

vale o que pesa?

Oi perdeu atratividade após vender fibra ótica? BTG Pactual diz que não

Para analistas, que trabalham dentro do grupo que fez a oferta pelos ativos, as ações possuem bom potencial de alta em qualquer cenário

Exile on Wall Street

Você daria 5 estrelas para as os ativos da sua carteira?

Imagino que você já foi convidado a dar notas para aplicativos, filmes, músicas, livros, restaurantes e até mesmo relatórios da Empiricus. Ao nos depararmos com a média dessas notas, acessamos diretamente aquilo que os romanos antigos chamavam de “sabedoria das massas”. Por meio de um feedback loop social, tal sabedoria permite reduzir dramaticamente os custos da […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies