Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-08-07T13:13:49-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
lenta retomada

Produção de veículos cai 36% em julho na comparação anual

Frente a junho, contudo, a produção teve alta de 73%, confirmando que, embora a ritmo inferior ao nível pré-pandemia, a atividade do setor segue em recuperação

7 de agosto de 2020
13:13
carros em pátio de montadora
Imagem: Shutterstock

Balanço divulgado nesta sexta-feira, 7, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a entidade que representa a indústria nacional de veículos, mostra que a produção das montadoras recuou 36,2% em julho na comparação com o mesmo período do ano passado.

Frente a junho, contudo, a produção teve alta de 73%, confirmando que, embora a ritmo inferior ao nível pré-pandemia, a atividade do setor segue em recuperação após a paralisação praticamente por completo das linhas de montagem em abril.

No total, 170,3 mil veículos - entre carros de passeio, veículos comerciais e ônibus - foram fabricados no mês passado, o que leva a produção acumulada desde janeiro para 899,6 mil, 48,3% abaixo dos sete primeiros meses de 2019.

Ao comentar o desempenho, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, disse que, embora praticamente todas as fábricas tenham retomado as atividades, a produção está muitas vezes acontecendo em apenas um turno. Quando acontece em dois turnos, é para evitar a aglomeração de operários. Também houve nos últimos meses uma preocupação do setor em reduzir estoques.

Segundo o executivo, a tendência é que a partir de agosto, o setor comece a calibrar a produção a um volume mais compatível com a demanda. "Acho que isso vai acontecer até o fim do ano", comentou Moraes em entrevista coletiva virtual à imprensa.

Desagregando os números por segmento, a produção de carros de passeio e utilitários leves, como picapes e vans, caiu 36% na comparação de julho com o mesmo mês de 2019, mas avançou 77,3% frente a junho, chegando a 162,2 mil unidades no mês passado.

A produção de caminhões, de 6,8 mil unidades no mês passado, teve queda de 37,5% no comparativo anual e alta de 22,3% em relação a junho.

Completa a estatística a produção de 1,2 mil ônibus, o que representa um recuo de 53,1% em relação ao número de julho do ano passado. Na comparação com junho, a produção de coletivos caiu 10,7%.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Reduza sua conta de luz

Quer instalar energia solar em casa para economizar? Descubra se é para você

Já vimos que a geração de energia solar em casa pode valer muito a pena; veja para quais perfis de consumidores e residências o sistema é indicado

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

GETT11 chega à bolsa com o pé direito, novo auxílio emergencial no horizonte e outros destaques do dia

Com as duas maiores economias do mundo frustrando as expectativas dos investidores e o futuro das contas públicas em um limbo, o Ibovespa não teve muito fôlego para escapar do vermelho e encerrou o dia em queda de 0,19%, aos 114.428 pontos. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês, que cresceu 4,9% no terceiro trimestre, veio […]

Arrumando a mala

Locaweb (LWSA3) vai deixar a B3? Empresa estuda listagem nos Estados Unidos, afirma portal

Avaliada em R$ 13,5 bilhões, a empresa estreou na B3 em fevereiro do ano passado, mas pode estar prestes a abrir capital em outro país

FECHAMENTO DO DIA

Getnet (GETT11) e Lojas Americanas (LAME4) sobem forte, mas Ibovespa derrapa e dólar avança 1%

Dados econômicos na China e nos EUA decepcionaram os mercados, indicando desaceleração nas duas principais economias do mundo

Três vezes sem juros

CPFL Energia (CPFE3) parcela pagamento de R$ 1,7 bilhão em dividendos; primeira fatia cai na conta dos acionista ainda neste mês

O pagamento das primeiras duas prestações está marcado para os dias 22 de outubro e 16 de novembro, enquanto a terceira e última fatia cairá na conta dos acionistas até 31 de dezembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies