Menu
2020-08-24T16:30:33-03:00
MELHORA NOS INDICADORES

Indústria da Construção tem recuperação em julho e retomada da confiança, diz CNI

Indicadores como confiança e intenção de investir estão acima da média histórica e a Utilização da Capacidade Operacional voltou para um patamar semelhante ao verificado no período pré-pandemia.

24 de agosto de 2020
16:29 - atualizado às 16:30
máscara indústria coronavírus
Imagem: shutterstock

A indústria da construção mostrou recuperação da atividade em julho, consolidando a retomada do setor após o tombo histórico registrado em abril, quando a crise causada pela pandemia de covid-19 atingiu o seu ápice. De acordo com a Sondagem da Indústria da Construção de julho, divulgada nesta segunda-feira, 24, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), indicadores como confiança e intenção de investir estão acima da média histórica e a Utilização da Capacidade Operacional voltou para um patamar semelhante ao verificado no período pré-pandemia.

A pesquisa mostra recuperação também nos índices de atividade e do número de empregados do setor. "Os índices de evolução do nível de atividade e do número de empregados apresentaram melhor evolução no mês de julho em relação a junho, a despeito da pandemia de covid-19. As altas fizeram ainda com que os índices voltassem a superar suas médias históricas, o que indica desempenho mais favorável que o usualmente refletido pelo índice", registra a sondagem.

O índice de nível de atividade da construção chegou a 48,1 pontos em julho, o que representa alta de 3,8 pontos em relação ao mês anterior. O índice de evolução do número de empregados passou de 43,4 pontos em junho para 46,8 pontos em julho.

A Utilização da Capacidade Operacional passou de 55% em junho para 58% em julho. Segundo a CNI, com essa alta, o indicador recupera grande parte da queda de março e abril e ainda fica um ponto porcentual acima do registrado em julho de 2019 e superior à média para o mês entre 2015 e 2017.

Expectativas

O Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) teve aumento de 7,7 pontos, atingindo 54 pontos em agosto. Essa foi a quarta alta consecutiva do índice, após as quedas de março e abril. Com esse crescimento em agosto, o índice ficou acima da linha divisória dos 50 pontos, confirmando a retomada da confiança dos empresários do setor.

A CNI destaca que os índices de expectativa superaram a linha divisória de 50 pontos, que separa perspectivas de queda das de alta, pela primeira vez desde a queda de abril.

Os indicadores de expectativas de compras de insumos e matérias-primas e do número de empregados registraram 52,8 e 52,3 pontos, após crescimento de 3,3 e 2,9 pontos, respectivamente. Os índices de expectativas do nível de atividade e de novos empreendimentos e serviços alcançaram 54,3 pontos e 53,2 pontos, respectivamente, alta de 4,2 e 5,2 pontos em agosto.

A intenção de investimento reflete também a expectativa positiva para o futuro. O indicador teve alta de 4,7 pontos em agosto, atingindo 39,5 pontos. Esse patamar se aproxima dos níveis pré-pandemia, que registrava um índice acima de 40 pontos. A média histórica desse indicador é de 34,1 pontos.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

entrevista

‘Não se pode esperar para cortar privilégio’, diz ex-secretário do Ministério da Economia

Paulo Uebel defende que o Congresso aprove uma regra de transição na proposta da reforma administrativa para incluir o fim dos privilégios que grupo de servidores atuais ainda goza

Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)

100 dias entre o fundo e topo do mercado

Até aqui, 2020 foi o ano de Amyr Klink, em que aqueles que souberam capotar (entre janeiro e o final de março), passaram pela tempestade sem afundar de vez em mar aberto

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements