Menu
2020-07-24T20:35:20-03:00
Estadão Conteúdo
com flexibilização de regras

Economia prevê arrecadar R$ 1,7 bilhão em 2020 com vendas de imóveis

Economia prevê arrecadar R$ 1,7 bi com a venda de 907 imóveis na esteira de uma nova lei que flexibilizou as regras e permitiu ao governo acelerar leilões

24 de julho de 2020
17:50 - atualizado às 20:35
Paulo Guedes está na mira de políticos e associações após chamar funcionários públicos de "parasitas"
Ministro disse que não falava de pessoas, mas "do risco de termos um Estado parasitário, aparelhado politicamente financeiramente inviável" - Imagem: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

O Ministério da Economia prevê arrecadar R$ 1,7 bilhão com a venda de 907 imóveis em 2020 na esteira de uma nova lei que flexibilizou as regras e permitiu ao governo acelerar os leilões. Desse valor, R$ 220 milhões já foram arrecadados com a venda de 177 imóveis, e outros R$ 100 milhões em 109 bens serão colocados à disposição por meio da primeira licitação virtual realizada pelo governo.

Na concorrência virtual, serão 109 imóveis em sete Estados, a maior parte deles concentrada em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

A nova lei de venda de imóveis instituiu um sistema eletrônico de concorrência, a possibilidade de proposta de aquisição de imóveis por particular, um desconto de 25% após um primeiro leilão deserto ou fracassado, venda em lotes e gestão dos imóveis não operacionais do INSS.

Os leilões podem ajudar a equipe econômica a colocar mais dinheiro em caixa num momento de forte elevação de gastos devido à pandemia da covid-19. A expectativa de receitas, porém, está longe do R$ 1 trilhão propagado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) em maio, o "trilhão" em imóveis já foi citado pelo ministro em diferentes ocasiões. Mas o verdadeiro potencial de vendas de imóveis é bem menor que isso.

Dados do Balanço Geral da União (BGU) mostram que os únicos imóveis que em tese poderiam ser vendidos, os chamados "bens dominiais" (que incluem imóveis que não estão sendo usados pela administração nem são de uso comum do povo), somam R$ 376,1 bilhões na contabilidade da União.

Além disso, parte dos bens dominiais é formada por terras públicas não destinadas na Amazônia Legal e outros imóveis destinados à reforma agrária (que, se vendidos, não seriam comercializados pelo valor de mercado).

À época da publicação, em maio, o Ministério da Economia informou que, antes do período de pandemia e sem a lei, a meta era alienar 465 imóveis em 2020 com um potencial de arrecadação de R$ 3 bilhões. "A aprovação pode alavancar esse número para 1.970 imóveis, o que traria um potencial de arrecadação de R$ 5,9 bilhões", afirmou na ocasião.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Triste marca

Brasil registra mais de 500 mil mortos por covid-19

Em 24 horas foram 2.301 óbitos e 82.288 novos casos. Em nota, Conass ressalta que o Brasil tem 2,7% da população mundial, e é responsável por 12,8% das mortes

Here comes the sun

Energia solar ruma para liderança no País até 2050

O sol será responsável por 32% da geração, ao mesmo tempo em que a participação das hidrelétricas deve cair para cerca de 30%

ESTRADA DO FUTURO

Os três setores mais lucrativos em tecnologia, e por que você deve investir neles

Integração entre softwares e Inteligência Artificial são dois dos segmentos que devem fazer parte de qualquer portfólio de investimentos vencedor

Ano de eleição

Promessas de Bolsonaro estouram “folga” do Orçamento em 2022

A ampliação do Bolsa Família e um eventual aumento de 5% nos salários do funcionalismo público já superam o espaço adicional de R$ 25 bilhões para o próximo ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies