Menu
2020-04-07T11:15:22-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
diz iif

Dívida global sobe US$ 10 trilhões em 2019, a US$ 255 tri

Segundo a instituição, trata-se de um nível 40% maior do que o registrado no início da crise financeira de 2008.

7 de abril de 2020
11:14 - atualizado às 11:15
Ibovespa mercados queda
Imagem: Shutterstock

O Instituto Internacional de Finanças (IIF) estima que a dívida global, em todos os setores, subiu mais de US$ 10 trilhões em 2019 e chegou a US$ 255 trilhões, o que equivale a mais de 322% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

Segundo a instituição, trata-se de um nível 40% maior do que o registrado no início da crise financeira de 2008. Com a recessão provocada pela pandemia de coronavírus, o IFF projeta que a dívida global pode chegar a 342% do PIB em 2020, caso a economia registre uma contração de 3%.

O instituto aponta que, em março, a emissão de dívida governamental bateu recorde mensal de US$ 2,1 trilhões (US$ 3,2 trilhões se incluídos todos os setores).

"Embora a incerteza sobre a escala e a duração da pandemia torne as estimativas desafiadoras, uma forte trajetória de alta nos níveis da dívida parece mais do que certa", diz.

Nas economias emergentes, a dívida total, no ano passado, somou US$ 71 trilhões, 220% do PIB. Já a dívida em moeda estrangeira passou de US$ 5,3 trilhões, com Argentina, Turquia, Chile e Colômbia apresentando as maiores altas em relação a 2009.

"A forte dependência em dívida em moeda estrangeira representa significativo risco de liquidez e solvência para empresas e países emergentes e os deixa mais expostos a mudanças repentinas no apetite ao risco", destaca o IFF.

A instituição também calcula que a dívida fora do setor financeiro subiu de US$ 183 trilhões em 2018 para US$ 192 trilhões em 2019, enquanto a dívida das famílias subiu US$ 13 trilhões no mesmo período, a US$ 48 trilhões.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Turbulência

Latam reduz prejuízo em 79% e anota perda de US$ 430,8 milhões no 1º trimestre

A receita operacional total da aérea foi de US$ 913,1 milhões no primeiro trimestre, queda de 61,2% sobre o mesmo período de 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies