Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-04-02T20:07:55-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Uma luz no meio do túnel?

2 de abril de 2020
20:07
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O mundo apenas começava a se dobrar à pandemia do coronavírus no começo de março quando Arábia Saudita e Rússia iniciaram uma queda de braço particular que derrubou as cotações do petróleo.

A notícia inesperada despertou de vez o pânico entre os investidores. Foi como se tivéssemos acabado de entrar em um túnel e a única luz disponível, acesa quilômetros adiante, fosse apagada.

A falta de acordo entre os países produtores de petróleo foi apenas a primeira de uma série de desarranjos na ordem da economia global provocada pela disseminação do coronavírus.

No meio da escuridão, cada passo é incerto. Mas hoje surgiu uma esperança de que aquela luz lá no meio do túnel seja acesa novamente.

Os investidores reagiram à informação de que sauditas e russos podem chegar a um acordo sobre a produção de petróleo.

A fagulha foi despertada por Donald Trump. O presidente dos EUA publicou no Twitter até o número do corte planejado na produção: 10 milhões de barris.

Como mariposas, os investidores correram em direção à luz antes mesmo da confirmação do acordo. As cotações do petróleo e das ações das empresas produtoras dispararam mundo afora, inclusive as da Petrobras.

A alta dos papéis da estatal ajudou a bolsa brasileira a fechar em alta de 1,81%. Mas o dólar voltou a subir e marcou um novo recorde. Saiba com o Victor Aguiar todos os detalhes da fala de Trump e as notícias que movimentaram os mercados hoje.

10 milhões de desempregados

O tuíte de Donald Trump sobre o petróleo acabou desviando o foco de uma notícia assustadora: o número de pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos disparou e alcançou inacreditáveis 6,648 milhões em uma semana. Incluindo os 3,3 milhões da semana anterior, estamos falando de quase 10 milhões de desempregados em um período de 15 dias. O dado veio bem pior que a expectativa do mercado, como você confere nesta matéria.

Quem fica, quem sai

O agravamento da pandemia do coronavírus não afetou o apetite das pessoas físicas pela bolsa. Pelo contrário, elas foram as grandes compradoras na B3 em meio à queda generalizada das ações no mês passado. Os gringos, por outro lado, deram no pé. Veja todos os números de quem comprou e vendeu na bolsa em março.

Menos PIB, menos Selic

A Itaú Asset está mais pessimista do que há duas semanas. Em novo relatório, a gestora de fundos do bancão ajustou suas projeções ao cenário extremamente recessivo provocado pela pandemia. A estimativa agora é de uma queda de 3,3% do PIB, frente à projeção anterior de -0,3%. Mas o que mais me chamou a atenção foi a expectativa da gestora para a taxa básica de juros. Saiba com o Felipe Saturnino o corte esperado para a Selic até o fim deste ano.

Carros encalhados

Os efeitos do coronavírus na economia real começam a ficar cada vez mais evidentes. Hoje, foi a vez das concessionárias de veículos mostrarem as consequências: foi o menor número de vendas para o mês de março desde 2006. A queda agrava a situação em um mercado que já não vinha de bons resultados no ano, como mostra esta reportagem.

Varejo x indústria

O coronavírus já opôs varejistas e fornecedores em sua — por ora — breve história no Brasil. E, assim, os efeitos do vírus na economia real começam a ser sentidos pelo consumidores em meio à disputa. Enquanto os representantes dos supermercados criticam os aumentos nos preços de produtos da cesta básica, as indústrias dizem que é tudo reflexo de demanda mais alta e custos de logística. Nesta matéria do Estadão você fica sabendo o que ambos os lados argumentam.

Uma ótima noite para você!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O melhor do Seu Dinheiro

A Pedra Filosofal do mercado financeiro e mais destaques da noite

O minério de ferro converteu-se na pedra filosofal dos mercados: tudo o que toca, vira ouro — como as ações da Vale e das siderúrgicas

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mercado Financeiro e a Pedra Filosofal

De certa maneira, o mercado financeiro está cheio de alquimistas: tentam transformar dinheiro em mais dinheiro. Ações, câmbio, títulos de renda fixa, fundos imobiliários — no fim, o objetivo dos investidores é multiplicar o patrimônio. O problema é que não há fórmula mágica. Nem sempre as poções funcionam; na verdade, é relativamente comum que o […]

FECHAMENTO

Commodities dão força extra e bolsa fecha o dia em alta firme enquanto NY fica no vermelho

Com o exterior negativo, restou ao setor de commodities e energia salvar o Ibovespa da cautela. O dólar à vista aproveitou e teve um dia de leve queda

Oferta de ações

Softbank deve participar do IPO da Dotz, dizem fontes

Mesmo com a participação do fundo japonês e da presença de dois investidores-âncora, a demanda pelas ações da Dotz no IPO ainda está apertada, segundo fontes

Alta nos preços chama atenção

Governo Biden ‘leva possibilidade de inflação muito a sério’, diz Casa Branca

A porta-voz do governo reforçou, no entanto, que a maioria dos analistas econômicos avalia que haverá um avanço temporário dos preços no país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies