Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
2020-09-22T09:45:03-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

7 notícias para começar o dia bem informado

22 de setembro de 2020
9:44 - atualizado às 9:45
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

No primeiro romance de Jane Austen, as irmãs Dashwood ficam na pindaíba depois da morte do pai. O irmão mais velho ficou com toda a herança e às mulheres resta a esperança de conseguir um bom casamento.

O próprio amor está sujeito a doses de razão e sensibilidade.

Na coluna de hoje, o Matheus Spiess lembra que os mercados vivem todos os dias um mix de sentimentos.

De um lado, a razão busca alinhar a precificação de ativos às métricas conhecidas. Mas, na prática, o vaivém dos mercados é fruto de decisões humanas, que estão sujeitas a emoções.

Para tornar a equação ainda mais complexa, estamos vivendo uma crise provocada por uma pandemia e uma corrida de estímulo monetário global sem precedentes na história recente.

Como manter a razão neste contexto? Esse é o tema da coluna do Matheus.

O que você precisa saber hoje

MERCADOS

O Ibovespa caiu 1,32% ontem, aos 96.990,72 pontos, e o dólar à vista subiu 0,43%, a R$ 5,4005. O dia foi marcado por um escândalo envolvendo bancos no exterior e a volta do temor de uma nova onda da covid-19.

O que mexe com o mercado hoje? O dia começa com os investidores ensaiando um movimento de recuperação. Os agentes financeiros monitoram a segunda onda de infecções por covid-19 na Europa e a ata da última reunião do Copom. Na Ásia, os negócios fecharam em queda. Os índices futuros em Wall Street e as principais praças europeias exibem sinais mistos.

EMPRESAS

O Bradesco planeja o IPO da Ágora Investimentos. Por enquanto, o banco definiu que vai separar a estrutura da corretora até o final do ano, segundo relatório do Goldman Sachs.

 A gestora de fundos Truxt passou a deter uma fatia equivalente a 12,2% do capital da construtora Plano & Plano.

O conselho da Linx se recusou a dar o aval à proposta de compra apresentada pela Totvs. O negócio ainda pode acontecer, mas será mais difícil. Para a Totvs, os conselheiros independentes da Linx trataram a oferta da companhia de forma desigual em relação à proposta feita pela Stone.

A Vulcabrás/Azaleia assumiu a marca Mizuno, que há 23 anos pertencia no Brasil a Alpargatas. A negociação foi celebrada por cerca de R$ 200 milhões e não inclui fábricas.

ECONOMIA

O Brasil chegou a 137,2 mil mortes por covid-19, segundo o Ministério da Saúde. O total de casos é de 4,55 milhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Mudanças no time

Weg anuncia renúncia de diretor de finanças e relações com investidores

A companhia divulga os seus resultados do terceiro trimestre na próxima quinta-feira (22)

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A bolsa voltou aos 100 mil pontos. Agora pra ficar?

A trilha sonora do mercado nesta terça-feira podia ser O Portão, o clássico de Roberto Carlos do refrão “Eu voltei, agora pra ficar. Porque aqui, aqui é o meu lugar…” O Ibovespa retomou o patamar dos 100 mil pontos depois de pouco mais de um mês. Difícil é dizer se a volta será definitiva. Em outubro, […]

Prévias operacionais

Cyrela tem crescimento de 46% em lançamentos e 58% em vendas no 3º trimestre

Segundo as prévias operacionais, construtora lançou R$ 2,589 bilhões e vendeu R$ 2,456 bilhões no período

fechamento do dia

Lá em cima, de novo: Ibovespa é puxado por bancos, alívio fiscal e NY e fecha acima dos 100 mil pontos

Principal índice acionário da B3 avança quase 2% e fecha acima da importante marca psicológica após mais de um mês. Dólar registra queda durante maior parte da sessão, mas vira em minutos finais com indefinição sobre pacote de estímulos

Vem novo rali pela frente?

Bitcoin volta ao patamar dos US$ 12 mil pela primeira vez desde agosto

Depois de dois meses longe das máximas, mas ainda bem acima dos patamares pré-crise, o ativo parece ter recuperado fôlego e chegou a ser negociado a US$ 12.047,10 nesta terça-feira.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies