Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-04-03T19:34:53-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Produtos em falta: máscaras, álcool em gel e reais

3 de abril de 2020
19:34
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

A pandemia do coronavírus provoca desabastecimento de produtos como máscaras cirúrgicas e álcool em gel. Mas no mercado financeiro, a corrida para a proteção em dólar pode colocar outro item em falta: o real.

Isso mesmo. E não estou falando só da falta de reais na carteira. Nos preços atuais, vai faltar moeda brasileira para comprar dólar. A visão é de Márcio Appel, sócio-fundador da Adam Capital.

A moeda do país de Donald Trump voltou a subir nesta sexta-feira e alcançou um novo recorde aos R$ 5,327. A atuação do Banco Central no mercado mal fez cócegas nas cotações.

Mas esse movimento de desvalorização cambial pode ter chegado ao limite, segundo Appel, um dos gestores de fundos mais respeitados do país.

Em uma transmissão na internet promovida pelo BTG Pactual, o gestor disse que decidiu sair da posição comprada em dólar contra o real. Eu trago detalhes sobre a expectativa dele para o câmbio nesta matéria.

A posição de Appel sobre o dólar é compartilhada por outros pesos-pesados do mercado, como o banqueiro André Esteves, que esteve em outra “live” na internet com Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus e colunista do Seu Dinheiro.

Seja como for, no curto prazo o câmbio deve seguir pressionado pela total falta de visibilidade no cenário e das consequências do coronavírus na economia.

A incerteza também se reflete na bolsa, que voltou a cair forte hoje e fechou abaixo dos 70 mil pontos. Na cobertura do Victor Aguiar, você tem um bom retrato de tudo o que movimentou o mercado ao longo da semana.

Elevador político

À primeira vista, o embate entre o que diz o presidente e o que recomenda o Ministério da Saúde em meio à pandemia do coronavírus tem um claro vencedor perante a opinião pública. A aprovação de Jair Bolsonaro na condução da crise caiu (dentro da margem de erro), enquanto que a do Ministério da Saúde disparou mais de 20%. Nesta matéria você confere os números da pesquisa realizada pelo Datafolha.

Vírus no bolso

Como esperado, tem mais e mais gente pessimista com a disseminação do coronavírus no Brasil. E não estou falando de cortes nas projeções pelos economistas, mas da população que sente o efeito no bolso. O número de pessoas que acredita que há uma chance pequena ou muito pequena de manter o emprego em meio à crise aumentou, segundo uma pesquisa da XP/Ipespe. A população também acha que ficará mais endividada, em um salto percentual que chama a atenção.

De carona nas medidas

Na esteira das medidas para reduzir o impacto econômica no salário dos trabalhadores, o Congresso decidiu intervir na relação entre os aplicativos como Uber e seus motoristas e entregadores. O Senado aprovou o aumento o rendimento deles até o mês de outubro, o que forçará uma redução de ao menos 15% do valor que as empresas retêm de cada corrida ou pedido. A matéria ainda precisa de aval da Câmara e beneficia também taxistas.

Falso brilhante

Tem muita gente que recomenda fundos de renda fixa com retornos ligeiramente acima do CDI como reserva de emergência. Mas isso funciona mesmo? A crise mostrou claramente que não — só que provavelmente esqueceram de te avisar. A coluna da Ana Westphalen desta sexta-feira mostra como não ver menos moedas no cofre quando você mais precisa abri-lo. Recomendo a leitura!

Furacão que fica

O coronavírus varreu o mundo e, ao contrário de um furacão, não está só de passagem. Alguns dos efeitos do vírus na economia já estão sendo conhecidos, o que pode servir para dar maior ideia do tamanho do buraco. Nesta edição do podcast Touros e Ursos, a Julia Wiltgen e o Victor Aguiar comentam a primeira leva de números que englobam o impacto econômico e trazem o balanço para o mundo dos investimentos deste mês caótico. Aperte o play e vem com a gente!

Um ótimo fim de semana para você.

Aquele abraço!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

O hambúrguer e o câmbio

Está na hora de comprar ou vender dólar? A resposta pode estar no preço do Big Mac

Se levarmos em consideração o preço do sanduíche mais popular do mundo, a moeda norte-americana deveria valer R$ 3,87, segundo o índice calculado pela The Economist

prévias

Eztec tem queda de 48% nas vendas no quarto trimestre

Lançamentos da empresa atingiram R$ 380,8 milhões, chegando a R$ 1,150 bilhão no ano – 85% a mais do que no terceiro trimestre

seu dinheiro na sua noite

2 milhões de mortos, 2 trilhões em estímulos e uma queda de mais de 2%

Se a primeira semana de 2021 nos mercados refletiu o otimismo geral com o novo ano que se iniciava, com perspectivas de vacinação contra o coronavírus e recuperação econômica, na segunda semana do ano, os investidores optaram pela cautela. Por ora, 2020, o ano do qual todos queríamos nos livrar, ainda não ficou para trás. […]

FECHAMENTO

Atritos políticos e covid-19 voltam para assombrar o mercado e Ibovespa recua mais de 2%; dólar sobe forte

Existe uma certa desconfiança de que o plano de US$ 1,9 trilhão apresentado por Biden encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas. No Brasil, situação do coronavírus reacende a pressão sobre o cenário fiscal

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies