Menu
O melhor do Seu Dinheiro
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-18T09:40:57-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Poder e dilemas de uma sigla

18 de dezembro de 2020
9:40
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A esta altura do campeonato você já deve estar familiarizado com a sigla ESG. 

Recém incorporada ao vocabulário do mercado financeiro, ela agrega temas relativos a meio ambiente, ações sociais e governança corporativa e se tornou uma nova, e importante, métrica para análise de empresas. Cada vez mais consumidores e investidores estão exigindo responsabilidade das corporações nestas três áreas.

Não basta mais ter um bom perfil financeiro e operações em ordem, é preciso também estar alinhado com práticas ESG. Quem não está corre o risco de ver os investimentos diminuírem, ou de enfrentar dificuldades na hora de pegar dinheiro emprestado. 

Mas entre a teoria e a prática existe uma grande distância. Vamos olhar para a letra “E” da sigla. Como exigir que empresas cujas operações necessariamente geram poluição se enquadrem nos ditames que envolvem a parte de meio ambiente?

Todos queremos reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa. Só que nossos carros são movidos a combustíveis fósseis. O plástico, onipresente em nossas vidas, é produzido a partir do petróleo, esse grande poluidor. Devemos (ou melhor, podemos) parar de investir em petroleiras e fabricantes de produtos químicos? 

Em sua tradicional coluna de sexta-feira, Ruy Hungria aborda essa questão pegando a Eneva como exemplo. Ela é uma companhia que atua na geração de energia por meio de termelétricas, uma matriz altamente poluente. Sob a perspectiva do ESG, a tese de investimento dela estaria com os seus dias contados. 

Só que as termelétricas garantem que a gente não enfrente uma nova crise de apagão, como ocorreu em 2001.

E aí, o que fazer? Não deixe de conferir a coluna de hoje.

O que você precisa saber hoje

MERCADOS

O Ibovespa fechou ontem em alta de 0,46%, aos 118.400 pontos, puxado pela valorização das commodities e a perspectiva da aprovação de um pacote de estímulos de US$ 900 bilhões nos Estados Unidos, o que animou as bolsas globais. O dólar caiu 0,5%, para R$ 5,07. 

O que mexe com os mercados hoje? Lá fora, as bolsas internacionais operam com um fôlego mais limitado nesta sexta-feira, pesando a preocupação com a segunda onda e a possibilidade de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos. No Brasil, o Banco Central realiza nova intervenção no câmbio, o que pode segurar o dólar em dia de cautela.

EMPRESAS

A Petrobras assinou ontem um contrato para a venda de sua participação em 14 campos terrestres de exploração e produção no Polo Recôncavo, localizado na Bahia, para a 3R Petroleum Óleo e Gás, por US$ 250 milhões.

A Petrobras também informou ontem que resolveu pendências jurídicas que tinha com a Petros, fundo de pensão de seus funcionários, e com a Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil. Em um dos casos, a empresa terá de fazer um pagamento de R$ 4,5 bilhões.

 Ao menos cinco empresas anunciaram ontem o pagamento de juros sobre capital próprio, incluindo Petz e Raia Drogasil. Veja os valores e condições da operação de cada companhia.

ECONOMIA

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou ontem os detalhes da sexta rodada de concessão aeroportuária para 22 aeroportos. A agência marcou para 1º de abril a data para a entrega das propostas e 7 de abril para o leilão. 

 O Congresso Nacional aprovou ontem a abertura de um crédito suplementar de R$ 3,303 bilhões no Orçamento, com parte do valor destinado para o pagamento de compromissos do Brasil com organismos multilaterais. Sem o dinheiro, o governo ficará inadimplente e perderá o direito de voto em diversos órgãos, incluindo a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Brasil registrou 1.092 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo atualização divulgada ontem pelo Ministério da Saúde. O último dia em que foram registrados mais de 1 mil óbitos foi no dia 30 de setembro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Casamento legal

Cade mantém aprovação de compra de fatia da BRF (BRFS3) pela Marfrig (MRFG3)

A conselheira que havia pedido a reabertura da análise da operação mudou de posição e desistiu da reavaliação

SEGURADORA EM APUROS

Vítima de ataque cibernético, Porto Seguro (PSSA3) diz ter restabelecido canais após quase uma semana de instabilidade

Corretores ouvidos pela reportagem disseram que, nos últimos dias, os sistemas da seguradora apresentaram problemas

CRYPTO NEWS

Cotação do bitcoin (BTC) bate recorde histórico — o que fazer com a criptomoeda a partir de agora?

Depois de alguns meses sendo um investimento “ruim”, porque teve 50% de queda, o bitcoin volta a ganhar os holofotes do mercado e as manchetes da mídia especializada

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Auxílio Brasil, recorde do bitcoin, balanço da Tesla e produção da Vale: confira as principais notícias do dia

Com a temporada de balanços americana trazendo resultados animadores, o empurrãozinho em direção a um dia de ganhos poderia ter sido maior, mas não tem como negar que a grande pedra no sapato do investidor brasileiro é o novo programa social pretendido pelo governo federal. O saldo final do pregão de hoje foi positivo, mas […]

Problemas nas refinarias?

Com ameaça de desabastecimento no radar, produção da Petrobras (PETR4) recua 4,1% no 3º trimestre

Antes da divulgação do relatório, a petroleira já havia informado que não teria capacidade para atender, em sua totalidade, os pedidos por fornecimento de combustível em novembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies