Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-09T20:28:09-03:00
seu dinheiro na sua noite

Biden, a vacina e a mola comprimida na bolsa

9 de novembro de 2020
20:27 - atualizado às 20:28
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Imagine, caro leitor, uma mola sendo pressionada. Quanto mais força você faz para comprimi-la, mais ela atua no sentido contrário. Esse fenômeno é conhecido na física como a Lei de Hooke.

Na bolsa, não é bem assim que funciona. Afinal, uma ação não é uma mola, e sim uma fração de uma empresa, que pode simplesmente quebrar se ficar sob pressão durante muito tempo.

Mas de vez em quando o mercado financeiro pode reagir como uma mola comprimida, conforme os fatores de incerteza que pressionam os preços saem de cena.

Nos últimos meses, a bolsa vem sofrendo forte influência de pelo menos três elementos: a crise do coronavírus, as eleições nos Estados Unidos e o risco fiscal no Brasil.

Na semana passada, essa mola deu um primeiro impulso com a vitória de Joe Biden na corrida pela Casa Branca, que foi confirmada no sábado.

O mercado nem deu tempo de se acomodar quando saiu outra notícia que reduziu sensivelmente a pressão: a Pfizer anunciou que os testes clínicos da vacina que o laboratório produz contra o coronavírus mostraram 90% de eficácia.

A provável luz no fim do túnel da pandemia levou o Ibovespa a fechar em alta de 2,54% no pregão desta segunda-feira. Não por acaso, as ações que mais subiram foram justamente aquelas que mais sofreram durante a pandemia, como as das empresas aéreas e de shopping centers.

O dólar e os juros futuros também tiveram mais um dia de queda. Mas nesse caso a incerteza sobre a condução da política fiscal no Brasil impediu uma descompressão maior. Acompanhe tudo o que movimentou as engrenagens dos mercados com o Felipe Saturnino.

MERCADOS

 Biden venceu as eleições, mas quem ganha na bolsa com o democrata na Casa Branca? Eu conversei com Gustavo Aranha, sócio da GeoCapital, especialista em investimentos em ações no exterior, e conto para você as apostas do gestor.

 Adivinhe quem ficou ainda mais rico com a euforia nos mercados dos últimos dias? Se você respondeu Warren Buffett, acertou. Saiba por que a Berkshire Hathaway, a holding do bilionário, ganhou US$ 35 bilhões em valor de mercado.

 Na contramão do mercado, o brechó online Enjoei estreou com o pé esquerdo na B3 depois de captar R$ 1,1 bilhão em sua oferta inicial de ações (IPO). Veja como foi o primeiro pregão e os planos da empresa com os recursos captados dos investidores. 

 Já os leitores do Seu Dinheiro Premium não têm do que reclamar. A ação indicada pelo colunista Alexandre Mastrocinque no fim de setembro já acumula uma valorização de 22% na B3. Você também pode fazer parte do nosso clube VIP por apenas R$ 5 mensais.

ECONOMIA 

 O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que a alta dos preços dos alimentos acontece por questões como valor de commodities e pressão cambial. Em um evento da The Economist, ele ainda falou sobre mercados e a atuação do BC.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu o proprietário da JJ Invest, empresa responsável pelo maior esquema de pirâmide financeira do Brasil. A estimativa é de que a empresa tenha provocado prejuízo a mais de três mil vítimas. 

EMPRESAS

 Na disputa contra os gigantes do varejo online, a Via Varejo adquiriu uma participação na Growth Partners, um hub de inovação digital. Com a compra, a companhia pretende acelerar o processo de inovação. Confira os detalhes da negociação.

 Por falar em gigante, a Amazon anunciou a maior expansão da história no Brasil. O projeto conta com a abertura de três novos centros de distribuição. Saiba os planos da empresa de Jeff Bezos para o país.

 O fundo Bordeaux venceu a disputa pela compra da Copel Telecom, subsidiária da estatal paranaense de energia, por R$ 2,4 bilhões, um ágio de 70,9% sobre o valor mínimo. Veja quem mais deu lances pela empresa.

COLUNISTAS 

 Está longe de ser o ideal, mas esse estranho ano caminha para ser “menos pior” do que esperávamos para os investimentos, pelo menos em relação às expectativas mais pessimistas. O Felipe Miranda diz na coluna de hoje o que esperar para a reta final de 2020.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Vai mudar

Ultrapar (UGPA3): Marcos Lutz, ex-presidente da Cosan, assumirá como CEO em janeiro de 2022

Lutz já era membro do conselho de administração da Ultrapar (UGPA3) e, após o período como CEO, deve virar presidente do colegiado

Bota para subir

Após nova alta da Selic, FMI apoia aperto monetário adotado pelo Banco Central para combater inflação

Os diretores do órgão também aprovam o compromisso do BC intervenções limitadas para conter condições desordenadas de mercado

FECHAMENTO DO DIA

Fed indica data para redução de estímulos e tira bolsas das máximas, mas alívio com Evergrande faz Ibovespa subir quase 2%

A fala de Powell tirou parte da animação dos investidores, mas o dia ainda foi de ganhos após a Evergrande indicar que o problema pode ser menor do que o esperado inicialmente

QUINTA ALTA NOS JUROS

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom

Veja o que ficou igual e o que mudou no comunicado da decisão do Copom a respeito da taxa Selic, elevada ao patamar de 6,25% ao ano

Juros decolando

Copom: BC cumpre o plano de voo, eleva Selic a 6,25% ao ano e contrata outra alta de 1 ponto em outubro

É a quinta alta consecutiva da Selic, que já subiu 4,25 pontos desde março. Confira a decisão de juros do BC na reunião do Copom de setembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies