Menu
Felipe Paletta
Ideias do Paletta
Felipe Paletta
Felipe Paletta é especialista em ações e fundos de investimento da Inversa
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-13T13:24:21-03:00
Ideias do Paletta

Ocupe-se de si mesmo: como gerir seu patrimônio da melhor forma

Algo só traz segurança de verdade se permitir a você ausência completa das preocupações para lidar mais com os próprios anseios e problemas.

13 de julho de 2020
13:24
Dinheiro Salva Vidas - Proteção - Segurança - Emergência
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Já falei bastante por aqui sobre os riscos que devem assombrar os investidores nos próximos meses e anos...

Em resposta, recebi a seguinte mensagem de um leitor: “gostei do destaque que deu aos riscos. Gostaria que escrevesse sobre segurança, se é que ela existe.”

É, talvez eu tenha pesado um pouco nos comentários e passado a impressão de que não há muito para onde fugir.

Por isso, hoje vou falar sobre o tema sugerido pelo leitor: “segurança”.

Aproveito para adiantar que, na minha opinião, não existe segurança no mercado financeiro. Nem no Brasil, nem em lugar algum do mundo.

E calma, não há razão para desespero: você já vai entender o que quero dizer.

O mito da “Segurança”

“Segurança” tem origem no latim e basicamente significa “ausência de preocupações”. Na etimologia da palavra, por sua vez, traz o sentido de “ocupar-se de si mesmo”.

O que quero dizer: algo só traz segurança de verdade se permitir a você ausência completa das preocupações para lidar mais com os próprios anseios e problemas.

E isso está longe de ser uma realidade no mercado financeiro, independentemente se você investe de forma sofisticada e profissional ou se ainda deixa o dinheiro parado no banco.

Quem usou do poder do voto, pela primeira vez em quase 30 anos, para eleger o “bonitão” Fernando Collor de Mello, em 1989, sabe muito bem disso.

Ninguém poderia sonhar que, logo em seu segundo dia de mandato, chamaria uma coletiva no auditório do Ministério da Fazenda para anunciar um dos planos econômicos mais desastrosos da história do Brasil, de confisco da poupança.

Pois é, se você deixa todo o seu dinheiro parado na poupança achando estar “seguro(a)”, desculpe, mas você não poderia estar mais enganado(a).

Mesmo os investimentos tidos, em tese, como mais seguros, como os títulos públicos, carregam consigo riscos.

O que quero dizer, portanto, é que não é uma questão de buscar ativos que lhe deixe 100% seguro(a), é uma questão de equilibrar os riscos de forma inteligente.

Felizmente, existem formas perspicazes de conviver com os riscos ao investir.

Lição nº 1: pense no seu patrimônio como uma holding

Pense naquele primo, amigo ou vizinho que se deu bem na vida.

Não é difícil achar exemplos de pessoas que investiram capital e tempo em um negócio que sabiam fazer bem e que, com o passar do tempo, passaram a incorporar outros investimentos.

Começou com uma padaria, comprou um posto de gasolina, uma franquia em shopping center e por aí vai...

No final do dia, a conta que as pessoas fazem é quanto investir em cada negócio, com objetivo de maximizar o seu lucro, levando em consideração uma série de coisas, tais como as perspectivas do setor, barreiras regulatórias, escalabilidade, relacionamento com clientes e fornecedores, enfim, todos os riscos potenciais.

No mundo dos investimentos, não há estritamente nenhuma diferença nesse sentido, amplia-se apenas o espectro de instrumentos: ações, renda fixa (títulos públicos e privados), derivativos, fundos imobiliários, ETFs, e por aí vai...

Eu, particularmente, gosto muito de trabalhar com uma combinação entre ações de empresas boas pagadoras de dividendos, fundos imobiliários bem geridos e com exposição setorial com potenciais seculares de crescimento, e títulos de renda fixa.

Gosto porque acredito que focar estrategicamente em bons negócios, com fluxo de caixa frequente para você, faz a diferença no longo prazo, além de te proteger bem em qualquer crise.

Ainda assim, você vai precisar se acostumar a não consultar o seu extrato financeiro todos os dias.

Lição nº 2: ninguém precifica o valor de uma holding todos os dias

Uma lição valiosa que espero que você tire desta discussão é que fixar-se às variações de curto prazo pode ser perigoso no seu processo de construção patrimonial.

Você acha mesmo que um grande empresário acorda cedo todos os dias e tenta avaliar o valor das várias empresas? Nem teria como, tamanha a complexidade.

Então qual a razão para criarmos o hábito de abrir o extrato financeiro todos os dias? Se você faz isso é porque provavelmente não está confortável com os seus investimentos.

O que nos leva à última lição de hoje:

Lição nº 3: há sempre uma alternativa, portanto, corra atrás!

Não acredite nesse papo de que não existem alternativas. Há sempre uma alternativa, você só não pode ficar parado(a).

"Não temos mais alternativas. O Brasil não aceita mais derrotas. Agora, é vencer ou vencer”, disse Fernando Collor quando o confisco foi anunciado.

Como diria o brilhante economista Milton Friedman: “nada é tão permanente quanto um programa temporário do governo”.

Portanto, caro leitor, mexa-se para poder ocupar-se mais de si mesmo!

No próximo dia 16 de julho te convido a assistir minha série gratuita de 3 vídeos, em que vou falar sobre como viver em plena ascensão. Te espero lá!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

carreira e diversidade

Magazine Luiza abre inscrições para 2º programa de trainees exclusivo para pessoas negras

Programa aceita candidatos formados entre dezembro de 2018 e dezembro de 2021, em qualquer curso superior; fluência em língua inglesa e experiência profissional não fazem parte dos pré-requisitos

pós-brumadinho

Vale (VALE3) muda alto escalão e tenta reforçar discurso ESG

Luciano Siani Pires, que desde 2012 ocupa posição de vice-presidente finanças e RI, assumirá a vice-presidência de estratégia e transformação de negócios, cargo criado em março pela mineradora

Troca de comando

Gustavo Raposo renuncia ao cargo de presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras (PETR4); sucessor já foi escolhido

Com a saída de Raposo, o conselho da empresa deverá deliberar sobre a nomeação do atual diretor de Serviços para o comando

atenção, acionista

Dividendos: WEG (WEGE3) paga R$ 86,8 milhões em juros sobre capital próprio

Valor líquido é de R$ 0,017 por ação; terão direito aos proventos acionistas na base em 24 de setembro, segundo a companhia

Virou o jogo

Ação da Arezzo (ARRZ3) tem compra recomendada pelo Goldman Sachs, após sucesso na integração da Reserva e novas aquisições

Os analistas do banco de investimentos estão mais confiantes no potencial de lucro da empresa e elevaram também o preço-alvo dos papéis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies