Menu
2020-01-21T19:34:35-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
PODE SUBIR MAIS

Mesmo após alta de 154% em 2019, XP ainda vê potencial de subida e aumenta preço-alvo das ações da Via Varejo

Em relatório, analista Pedro Fagundes da XP subiu o preço-alvo dos papéis da companhia em 12 meses para R$ 17 e viu potencial de alta de 21% em relação ao fechamento de ontem

21 de janeiro de 2020
19:34
Via Varejo
Via Varejo - Imagem: Divulgação

Depois de passar por um processo de reestruturação no ano passado com a entrada da família Klein, mudança de diretoria e realizar uma "verdadeira faxina na empresa", as ações da Via Varejo (dona das Casas Bahia e Pontofrio) subiram cerca de 154% ao longo de 2019. Mas há quem ainda veja potencial de alta para as ações da companhia neste ano.

Em relatório divulgado nesta terça-feira (21), o analista Pedro Fagundes da XP decidiu aumentar o preço-alvo dos papéis da companhia em 12 meses para R$ 17, anteriormente o valor era de R$ 12, o que representa um potencial de valorização de 21% em relação ao fechamento de ontem (20). Hoje, as ações da companhia são inclusive, a principal posição dos fundos de ações sob gestão da XP.

Em sua justificativa, Fagundes destacou que a alteração reflete as novas estimativas para a empresa e a revisão do múltiplo P / L (que indica quantos anos seriam necessários para recuperar o preço pago pela ação com os lucros que a empresa apresenta, se o lucro por ação permanecer constante). Na ocasião, o analista disse que esse múltiplo passou de 20x para 22x, diante das novas premissas de custo de capital.

No pregão de hoje (21), as ações da companhia apresentaram forte alta depois de notícia divulgada pelo jornal O Estado de S.Paulo de que bancos estariam conversando com a companhia para realizar uma oferta subsequente de ações. Com isso, os papéis terminaram o dia com expansão de 2,21%, cotados em R$ 14,32.

Reformando a casa

Segundo Fagundes, o olhar mais otimista com a companhia está ligado ao progresso em termos de reestruturação da empresa. Ainda que nem todas as mudanças tenham sido feitas, elas já geraram uma série de melhorias.

Para citar algumas, ele diz que houve recuperação significativa do ritmo de crescimento de vendas totais no canal on-line. Esse deve ser inclusive o grande destaque do quarto trimestre, por conta da Black Friday e do Natal.

Nesse quesito, o especialista da XP espera um aumento de 19% no último trimestre do ano passado, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Ele também estima que as vendas de estoque próprio voltem a aumentar em ritmo mais saudável, com alta de 9% na comparação ano a ano.

Outro aspecto positivo ressaltado por Fagundes é que houve melhora relevante no patamar de rentabilidade da companhia. Para isso, ele destacou que a empresa está operando com margem bruta (poder competitivo) e margem Ebitda em níveis mais normalizados entre 32% e 6%, respectivamente.

Além disso, ele cita que houve revisão de incentivos de médio e longo prazos por parte da gestão, com foco em gerar maior valor ao acionista.

"Dessa forma, continuamos confiantes na capacidade da nova administração continuar acelerando o ritmo de crescimento por meio de iniciativas importantes, como reformas de lojas, integração omnichannel e redução de despesas relacionadas a provisões trabalhistas."

Fagundes também reforçou que os subsetores de varejo com preço médio mais elevados, principalmente bens duráveis e eletrônicos devem se beneficiar de maneira mais significativa da melhora gradual do cenário macroeconômico, dada a inflexão do ciclo de crédito.

Pontos de atenção

Apesar de estar otimista com os papéis, o analista fez algumas ressalvas. Fagundes disse que parte importante da melhora operacional de curto prazo da companhia já está precificada, como a meta de crescimento de 30% do GMV on-line e da margem Ebitda entre 5% e 7% em 2020.

Por conta disso, o analista falou que o risco-retorno está menos atrativo e que um aumento significativo dos níveis atuais de GMV e margem Ebitda vão depender da capacidade da empresa em acelerar o seu ritmo de crescimento.

Para que isso ocorra, Fagundes diz que será preciso aumentar, especialmente a operação da Via Varejo no varejo físico, que tem apresentado desempenho relativamente baixo até o momento.

Expectativa para o quarto trimestre

Ainda que haja alguns pontos de atenção sobre a empresa, a expectativa de Fagundes para o quarto trimestre é positiva.

Para ele, a Via Varejo deve retomar o crescimento de receita em relação ao mesmo período do ano passado e melhorar a queda de 5% apresentada nos nove primeiros meses do ano.

Outro ponto ressaltado pelo analista é que a companhia deve melhorar significativamente a sua rentabilidade. Ele disse que espera uma expansão de margem Ebitda ajustada (excluindo despesas recorrentes) de 3,3 pontos percentuais na comparação ano a ano, impulsionada pela melhora na margem bruta de 3,9 pontos percentuais.

Já ao falar sobre as despesas não recorrentes em função das investigações e fraude contábil descoberta em dezembro, o analista disse que espera um impacto negativo (sem ser de caixa, no primeiro momento) de cerca de R$ 900 milhões no resultado da companhia.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Mudou de vez

Grupo Pão de Açúcar conclui migração para o Novo Mercado da B3 e ações PN deixarão de ser negociadas

Empresa anunciou ainda o início da negociação de ADRs na Bolsa de Valores de Nova York

Enfim, a decisão

Azul fecha acordo para a compra da TwoFlex por R$ 123 milhões

Proposta já havia sido comunicada ao mercado em 14 de janeiro deste ano, mas só agora foi definida

Seu Dinheiro na sua noite

Mamãe eu quero, mamãe eu quero dólar…

Quem me acompanha há algum tempo aqui na newsletter já deve me conhecer o suficiente para não se chocar com a revelação que vou fazer a seguir: eu não sou um grande fã de Carnaval. Mas se você curte sair nos blocos que vão invadir as ruas da cidade e fazer outras estripulias nos próximos […]

De olho no comércio

Procon vê irregularidades em fixação de preço nas lojas da Swift, da JBS

Produtos apresentavam apenas o valor do quilo, obrigando consumidor a fazer cálculos para saber quanto custa cada peça

Recorde atrás de recorde

Dólar sobe pelo quinto dia, cruza pela primeira vez os R$ 4,40 e avança mais de 2% na semana

Pressionado pela aversão ao risco no exterior e pela cautela com o cenário político doméstico, o dólar à vista atingiu novas máximas na semana e rompeu a barreira dos R$ 4,40 no momento de maior tensão. O Ibovespa também teve uma semana de maior estresse, recuando 0,61% desde segunda-feira

Enfim, consenso

Petrobras sela acordo com funcionários e põe fim à greve que durou 20 dias

Acordo foi possível após reunião de conciliação que começou na manhã desta sexta-feira

ONDE INVESTIR

Vale a pena investir em Ações Microcaps?

Max Bohm explica por que ele acredita que comprar as pequenas notáveis da bolsa é o melhor investimento do mundo.

Epidemia mundial

Coronavírus aumenta impacto sobre produção do setor eletroeletrônico, diz Abinee

57% das empresas associadas já enfrentam problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos

Texto pronto!

Bolsonaro assina proposta de reforma administrativa que enviará após o carnaval

Presidente retirou do texto analisado a proibição ao servidor público de se filiar a partido político

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: O peso do dólar a R$ 4,40

No Podcast Touros e Ursos dessa semana, a equipe do Seu Dinheiro discute a nova onda de valorização do dólar à vista, levando a moeda americana ao nível inédito de R$ 4,40. Os repórteres também falam sobre o clima mais tenso visto nos mercados globais e os balanços de Petrobras, Vale e IRB. Confira os […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements