Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-09T10:15:57-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Recessão à vista?

Juros de TODOS os títulos americanos caem abaixo de 1% pela primeira vez na história

Ao se refugiarem nos títulos americanos, os investidores se preparam para um cenário de recessão global, que obrigará os BCs de todo o mundo a derrubarem os juros

9 de março de 2020
10:15
petróleo e dólares
Imagem: Shutterstock

A corrida dos investidores pelos títulos do governo dos Estados Unidos derrubou a taxa de juros dos papéis de todos os vencimentos abaixo de 1% pela primeira vez na história.

Para você ter uma ideia, a taxa dos Treasuries com vencimento em 30 anos estava em 0,845% na manhã desta segunda-feira, contra 1,215% na sessão anterior. Eles eram os únicos que ainda contavam com taxas acima de 1% na sexta-feira.

Os títulos americanos são considerados o único ativo 100% seguro pelo mercado. A queda nas taxas é um sinal claro de toda e qualquer aversão ao risco dos investidores no mundo inteiro neste momento.

A situação nos mercados, que já era complicada pela incerteza diante do avanço do coronavírus pelo mundo, se complicou muito mais no fim de semana.

O gatilho para o aumento na tensão foi a decisão da Arábia Saudita de elevar a produção de petróleo em uma queda de braço com a Rússia, o que derrubou as cotações do barril no mercado internacional.

Ao se refugiarem nos títulos americanos, os investidores se preparam para um cenário de recessão global, que obrigará os BCs de todo o mundo a derrubarem os juros.

Na semana passada, em uma decisão com poucos precedentes, o Federal Reserve (Banco Central dos EUA) surpreendeu o mercado ao cortar de forma extraordinária os juros em 0,5 ponto percentual, para uma faixa entre 1% e 1,25%.

*Com informações da Business Insider

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

roxinho com mais crédito

Nubank promete aumentar limite em cartão de crédito de 35 milhões de clientes

Segundo a companhia, até o final de 2021, 10 milhões de clientes serão impactados pela novidade do cartão; três milhões em agosto

A vida depois da pandemia?

Ações da Multiplan sobem 5% após balanço que mostra recuperação dos shoppings

Resultados mostram avanço nas vendas e nas receitas de aluguel, à medida que a vacinação avança e os shoppings reabrem

Balanço sólido

Lucro líquido da Mastercard dispara 46% e vai a US$ 2 bilhões no segundo trimestre; resultado superou previsões dos analistas

O resultado foi impulsionado, segundo o CEO da empresa, pela contínua recuperação dos gastos domésticos e internacionais

De olho no futuro

Lucro e receita acima do esperado, mas ação em baixa. O que acontece com a Ambev?

Como de costume, mercado toma decisões baseado nas projeções, e segundo analistas, custos de produção e margens ainda preocupam

Estreia do dia

Brisanet estreia na bolsa em queda de mais de 4% após IPO no piso da faixa indicativa

A empresa desembarca na bolsa brasileira após uma oferta bilionária que levantou R$ 1,4 bilhão, com os papéis no piso da faixa indicativa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies