Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-02-17T17:07:14-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Mercados agora

Ibovespa sobe aos 115 mil pontos, atento aos sinais positivos da China; dólar sobe a R$ 4,32

O Ibovespa abriu a semana em leve alta, pegando carona no bom humor externo com as medidas de estímulo adotadas pelo governo da China. Carrefour Brasil ON e Magazine Luiza ON estão entre os maiores avanços do índice, enquanto Cosan ON (CSAN3) tem o pior desempenho

17 de fevereiro de 2020
10:39 - atualizado às 17:07
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A semana começa mais lenta para os mercados financeiros globais. As bolsas americanas estarão fechadas nesta segunda-feira (17), em comemoração ao feriado do dia do Presidente, o que diminui a liquidez das negociações no mundo. Nesse cenário, o noticiário vindo da China aparece em primeiro plano — e as novidades dão força ao Ibovespa.

O principal índice acionário do país operava em alta de 1,05% por volta de 17h05, aos 115.579,61 pontos, em linha com as principais praças da Europa. Na Ásia, o dia foi marcado por ganhos fortes nas bolsas da China, que avançaram mais de 2%.

Tudo isso porque o governo de Pequim adotou algumas medidas para estimular a economia local e neutralizar eventuais efeitos negativos gerados pelo surto de coronavírus. O banco central chinês cortou os juros em sua linha de crédito de médio prazo e injetou cerca de US$ 43 bilhões no sistema bancário.

Tais medidas, somadas à percepção de que a doença tem se disseminado num ritmo mais lento, deram amplo impulso aos mercados do gigante asiático e melhoraram o humor dos investidores globais. As novidades acabaram neutralizando o mau resultado do PIB do Japão no quarto trimestre — uma baixa de 6,3% em termos anualizados.

O dólar à vista, por outro lado, teve uma sessão mais estressada: a moeda americana fechou em alta de 0,67%, a R$ 4,3292. Lá fora, o dia foi marcado por poucas movimentações no mercado de câmbio.

Vale lembrar que a divisa vem de duas sessões consecutivas em baixa, em resposta às atuações do Banco Central (BC) no mercado de câmbio — a autoridade monetária fez leilões de swap e injetou recursos novos no sistema, aliviando a pressão sobre o dólar. Por enquanto, não há operações do tipo previstas para hoje.

Agitação no front corporativo

Por aqui, destaque para o noticiário corporativo movimentado, com balanços trimestrais e anúncios importantes mexendo com diversos papéis do Ibovespa.

Em destaque, aparece Carrefour Brasil ON (CRFB3), em alta de 3,46% — a empresa anunciou ontem a compra de 30 unidades da rede Makro, por quase R$ 2 bilhões, aumentando sua presença no segmento de "atacarejo".

Magazine Luiza ON (MGLU3) também desponta entre as maiores altas do índice, com ganhos de 5,68%. Mais cedo, a varejista reportou um lucro líquido de R$ 168 milhões no quarto trimestre, queda de 11% na base anual. Em 2019, contudo, os ganhos somaram R$ 921 milhões, um crescimento de 54% em relação a 2018.

Por fim, Cosan ON (CSAN3) cai 1,32% e fica entre os piores desempenhos do índice no momento após reportar uma baixa de 40,3% no lucro líquido do quarto trimestre de 2019, para R$ 792,5 milhões. Além disso, as projeções da empresa para 2020 foram consideradas decepcionantes por analistas.

Juros curtos em baixa

As curvas de juros de vencimento mais curto fecharam em queda nesta segunda-feira, em meio à percepção de que a economia doméstica continua patinando — e que, consequentemente, o BC terá de cortar novamente a Selic, de modo a fornecer estímulo extra à atividade.

Veja como ficaram os principais DIs nesta segunda-feira:

  • Janeiro/2021: de 4,23% para 4,22%;
  • Janeiro/2022: de 4,73% para 4,71%;
  • Janeiro/2023: de 5,27% para 5,26%;
  • Janeiro/2025: de 5,96% para 5,97%;
  • Janeiro/2027: de 6,33% para 6,37%.

Top 5

Confira os cinco papéis de melhor desempenho do Ibovespa nesta manhã:

  • Marfrig ON (MRFG3): +6,95%
  • Totvs ON (TOTS3): +6,40%
  • IRB ON (IRBR3): +6,15%
  • Magazine Luiza ON (MGLU3): +5,68%
  • Vale ON (VALE3): +4,25%

Saiba também quais são as maiores baixas do índice:

  • Usiminas PNA (USIM5): -1,82%
  • Natura ON (NTCO3): -1,55%
  • BB Seguridade ON (BBSE3): -1,48%
  • BR Malls ON (BRML3): -1,44%
  • Cosan ON (CSAN3): -1,32%
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

RH do governo

Reforma administrativa deslanchou? Confira destaques do texto-base aprovado em comissão da Câmara

A proposta traz alguns pontos polêmicos, como a possibilidade de parcerias entre governo e iniciativa privada para a execução de serviços públicos

fique de olho

Dividendos: Equatorial Pará (EQPA3) define data e Marfrig (MRFG3) altera valor

Além disso, Equatorial Maranhão definiu data do pagamento dos proventos e Banco Modal definiu valores para juros sobre capital próprio; confira

Eletrobras, Correios e mais

Ativos na mesa: nova proposta para precatórios pode incluir ações de estatais em acordos de pagamento

Além das estatais, na lista de ativos que poderiam entrar na negociação estão imóveis, barris de petróleo do pré-sal e concessões de rodovias e ferrovias, por exemplo

fala, vale

Vale (VALE3): a receita para a queda das ações, segundo a própria empresa

Empresa teve de emitir um comunicado em resposta a um ofício da B3 que solicitava justificativas para a oscilação das ações da mineradora entre os dias 6 e 20 de setembro

MERCADOS HOJE

Bom humor global ajuda e Ibovespa recupera os 114 mil pontos após nova Selic; dólar sobe a R$ 5,30

Na ressaca da Super quarta, os investidores seguiram atentos aos desdobramentos dos problemas financeiros da Evergrande; Ibovespa acompanhou NY

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies