Menu
2019-10-18T11:08:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
recado da tele

Oi diz que não há interesse formal da dona da Claro em fazer negócios

Em recuperação judicial desde 2016, a operadora de telefonia tem sido alvo de especulações e conversas nos bastidores quanto ao seu destino

18 de outubro de 2019
11:02 - atualizado às 11:08
oi
Imagem: Shutterstock

A operadora de telefonia Oi informou nesta quinta-feira (17) que não há propostas formais feitas pela América Móvil por seus ativos. As ações ON da companhia eram negociadas a R$ 0,97 hoje, numa baixa de 1,02%.

Em recuperação judicial desde 2016, a operadora de telefonia tem sido alvo de especulações e conversas nos bastidores quanto ao seu destino. Uma das mais recentes dizia respeito a um possível interesse da dona da Claro.

Segundo o notícia publicada pelo jornal Valor Econômico, o presidente do grupo mexicano, Daniel Hajj, disse em teleconferência com analistas, no último dia 16, que a América Móvil estava aberta a discussões.

"A administração da Oi tem monitorado continuamente as opções disponíveis e avaliará todas as alternativas estratégicas que possam fazer sentido para a companhia e seus acionistas, quando e se as mesmas se apresentem formalmente", diz a empresa.

Na semana passada, o jornal espanhol Expansion afirmou que a Telefônica negocia um acordo com a Telecom Itália (dona da Tim) e a América Móvil para comprar os ativos da Oi.

Oi de olho no Congresso

Em setembro, o Senado aprovou o projeto que atualiza o marco legal das telecomunicações no País. O texto beneficia a Oi. A avaliação é que o encaminhamento do novo marco legal tende a desencadear diferentes ondas de investimentos no setor.

À época, em relatório divulgado a clientes, os analistas do BTG disseram que a nova legislação era um gatilho importante para a Oi. "Acreditamos numa economia na ordem de R$ 1 bilhão com despesas regulatórias da companhia".

Outro ponto importante ressaltado pelos analistas é de que o marco regulatório pode aumentar também as chances de fusões e aquisições.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

crise do setor aéreo

CVC aumenta estimativa com erro contábil e estima perdas de R$ 660 milhões com pandemia

Operadora de viagens havia adiado a divulgação dos resultados ainda do quarto trimestre de 2019; ainda sem balanço, empresa revelou os primeiros impactos da crise do coronavírus

esquenta dos mercados

Após ganhos recentes, incertezas com covid-19 e economia voltam a pesar nos mercados

Com avanço do coronavírus nos EUA e dados mais fracos na Europa, expectativa por recuperação em V dá lugar à cautela

crise no setor

Azul inicia demissões e sindicato afirma que já são mais de mil em todo o País

Empresa informa estar buscando soluções para enfrentar a crise decorrente da pandemia da covid-19

disputa em meio à crise

Acordo com Gol acirra disputa entre sócios da Smiles

Segundo sócios do Carpena Advogados, as operações de compra antecipada de passagens “não estão sendo realizadas pelo interesse da companhia, mas da sua controladora”

caçador de assimetrias

Admirável semestre novo: riscos e oportunidades para a segunda metade do ano

Devemos parar, respirar fundo e observar o panorama de risco, antes de refletir sobre uma suposta alocação ideal. Sobre os risco, eu poderia enumerá-los; veja neste texto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements