Menu
2019-10-24T22:14:24-03:00
Natalia Gómez
Natalia Gómez
MELHOR QUE O ESPERADO

Com produção maior, Petrobras tem lucro de R$ 9 bilhões no 3º trimestre, alta de 36,8%

O resultado foi impulsionado pelo aumento da produção de óleo e gás e pelos recursos provenientes da venda da participação na BR Distribuidora, que somaram R$ 13,9 bilhões.

24 de outubro de 2019
21:31 - atualizado às 22:14
Petrobras
Imagem: Tania Regô/Agência Brasil

A Petrobras colheu os frutos do aumento da produção e registrou um lucro líquido de R$ 9,087 bilhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 36,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Excluindo efeitos não recorrentes, o lucro líquido foi de R$ 9,973 bilhões, queda de 19,5%.

O Ebitda (lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 32,5 bilhões, alta de 9,1% ante o terceiro trimestre de 2018. A receita de vendas da companhia atingiu R$ 77 bilhões, 13,5% abaixo do resultado do ano anterior.

O lucro ficou acima do esperado pelos analistas. Segundo a Bloomberg, os analistas previam lucro líquido de R$ 8,622 bilhões no período e Ebitda de R$ 32,427 bilhões. A receita líquida projetada pelos especialistas era de R$ 78,952 bilhões.

Maior produção e venda da BR

O resultado foi impulsionado pelo aumento da produção de óleo e gás e pelos recursos provenientes da venda da participação na BR Distribuidora, que somaram R$ 13,9 bilhões. No período, houve um efeito negativo de R$ 2,9 bilhões de contingências judiciais e de baixas contábeis (impairment) de R$ 2,4 bilhões.

A produção forte foi um destaque no trimestre. A produção total (Brasil e exterior) de óleo, LGN e gás natural foi de 2,878 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) no trimestre, aumento de 9,3% em relação ao trimestre anterior e 14,6% na comparação anual. Os dados de produção foram divulgados em relatório na semana passada.

Na comparação com o segundo trimestre, quando o lucro chegou ao recorde de R$ 18,8 bilhões, houve uma queda de 51,8%. Na ocasião, a empresa foi ajudada pela venda da TAG e não teve os efeitos negativos de contribuição social decorrente da baixa de ativos fiscais diferidos no exterior.

Até o momento, o plano de desinvestimentos da Petrobras somou US$ 15,3 bilhões em valor total em 2019, sendo que a venda da TAG foi a mais relevante, no montante de US$ 8,7 bilhões.

Dívida melhorou

A dívida líquida da petroleira fechou o mês de setembro em US$ 75,4 bilhões, queda de 9,9% ante o trimestre anterior. Com isso, a alavancagem (relação entre dívida e Ebitda ajustado) passou de 2,96 vezes no segundo trimestre para 2,58 vezes no terceiro. Sem o efeito da mudança contábil ocorrida neste ano, a relação seria ainda menor, de 1,96 vez no terceiro trimestre.

A meta da estatal é chegar a 2020 em uma relação dívida líquida/Ebitda de 1,5 vez.

As despesas financeiras pesaram na comparação com o terceiro trimestre de 2018. O resultado financeiro ficou negativo em R$ 10,8 bilhões, ante resultado negativo de R$ 6,2 bilhões um ano antes.  As variações monetárias e cambiais reduziram o lucro em R$ 2,6 bilhões, segundo a companhia.

Cortes de custos

No balanço, a empresa informou que o fluxo de caixa operacional de R$ 32,8 bilhões foi um recorde histórico para a companhia, mesmo em um cenário de queda de preços, que passaram de US$ 75,27 no 3T18 para US$ 61,94 por barril no 3T19. Segundo a administração, isso foi possível devido aos esforços para melhorar a eficiência.

“Processos estão sendo redesenhados, lançamos uma família de programas de demissão voluntária (PDVs) nos quais já se inscreveram mais de 2.000 empregados, desocuparemos quatro prédios até o final do ano, estamos passando de 18 escritórios fora do Brasil para somente cinco e várias outras medidas estão sendo implementadas com o emprego da transformação digital”, afirmou o presidente da Petrobras no documento.

Investimentos devem chegar lá

No terceiro trimestre, os investimentos totalizaram US$ 2,6 bilhões. No acumulado do ano, o montante US$ 7,6 bilhões, em trajetória convergente com a nova meta de investir US$ 10 a 11 bilhões, divulgada no balanço anterior.

Dinheiro no bolso

A empresa informou hoje que vai antecipar a distribuição de juros sobre o capital próprio para os acionistas no valor de R$ 2,6 bilhões, equivalente a R$ 0,20 por ação ordinária e preferencial em circulação. O pagamento ocorrerá em 07 de fevereiro de 2020 e a data corte será 11 de novembro de 2019 para as ações negociadas na B3.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Análise

Como ficam as peças do xadrez da política após as eleições municipais

A eleição marcou a conquista de peças importantes, vitórias que serviram apenas para demarcar território e derrotas claras. Mas houve também avanços importantes mesmo de quem perdeu nas urnas

Barroso cita Shakespeare ao falar sobre 2º turno: “vai bem quando tudo acaba bem”

Barroso disse que o TSE conseguiu “neutralizar” as tentativas de cancelamento das eleições por causa da covid-19, o que, segundo o ministro, teria impactos negativos para a democracia

Eleições 2020

Doria comemora vitória de Bruno Covas com recado a Bolsonaro

Na visão do governador, o PSDB foi o grande vencedor destas eleições no Estado de São Paulo, sabe conjugar união e não foi negacionista no combate à pandemia

eleição em sp

‘Não foi nesta eleição, mas a gente vai ganhar’, diz Boulos

O psolista, que recebeu 40,62% dos votos na cidade de São Paulo, termina a eleição como um dos principais nomes do campo progressista

termômetro online

Covas cresce em buscas no Google, mas Boulos lidera ranking

Candidato do PSOL foi o mais buscado nacionalmente entre os 34 candidatos de capitais brasileiras concorrendo neste domingo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies