Menu
2019-07-04T08:03:05-03:00
Estadão Conteúdo
Disputa no setor de gás

Abegás tenta limitar domínio da Petrobras

Por conta própria, a Petrobras tem demonstrado intenção de vender ativos. Mas a visão da Abegás é que apenas essa medida não será suficiente para garantir a livre concorrência

4 de julho de 2019
8:03
Gasoduto
A Compass opera no ramo de distribuição e comercialização de gás natural - Imagem: Shutterstock

Porta-voz das distribuidoras de gás natural, a Abegás entrou com um inquérito administrativo no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), na segunda-feira, 1º, para limitar definitivamente o domínio da Petrobras nesse mercado. A estatal, hoje, é a principal vendedora, compradora e transportadora do combustível. Por isso, a meta é obrigá-la a recuar. A crença é que só assim haverá competição e o preço vai cair.

Por conta própria, a Petrobras tem demonstrado intenção de vender ativos. Mas a visão da Abegás é que apenas essa medida não será suficiente para garantir a livre concorrência. A entidade defende medidas ainda mais restritivas, como a revisão de contratos de venda do gás e a adoção de uma fórmula de preços que deve valer para todos os compradores. A ideia é separa o valor da molécula (do produto em si) do custo do serviço de entrega desse gás.

As distribuidoras querem também que a Petrobras divulgue os contratos firmados com seus clientes, para que sejam acompanhados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e pelos demais agentes do setor, com os quais vai disputar fatias de mercado ou fornecerá o gás. Elas pedem também que a Petrobras admita que, nos últimos cinco anos, se posicionou para impedir a concorrência. Por isso, argumentam, deveria ser penalizada com o pagamento de multa.

Termo do gás

O Cade avalia a presença dominante da estatal no mercado de gás e, nos próximos dias, deve firmar com ela um termo de compromisso de cessação (TCC). Assim como no refino, o esperado é que a companhia petroleira se comprometa a vender ativos, como as participações que mantém em 19 distribuidoras estaduais de gás, por meio da sua subsidiária Gaspetro, além da infraestrutura de apoio logístico, como unidades de processamento do gás natural (UPGN).

A visão da Abegás é que o Cade precisa ir além e exigir “medidas comportamentais” para “impedir que a Petrobras continue controlando a oferta e preços de gás natural no mercado brasileiro”, segundo o inquérito. Outra preocupação é que, com a venda dos ativos da petroleira, o domínio do mercado seja apenas transferido da estatal para um agente privado.

Procurada, a Abegás diz que seu posicionamento está no inquérito. A Petrobras não comentou o tema.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

destaques do varejo

Em última leva de balanços, Magazine Luiza, Grupo Soma e Mateus mostram que brilharam no primeiro trimestre

Aumento de receita, melhora operacional e avanço das vendas online foram alguns dos tópicos levantados por analistas; veja os destaques

Temporada de balanços

Cosan registra lucro líquido pró-forma de R$ 827,7 milhões no 1º trimestre

No primeiro, o número ficou em R$ 2,827 bilhões entre janeiro e março, alta de 11,9% na comparação anual

mercados hoje

Bolsa ignora exterior e sobe puxada pelas commodities metálicas; dólar também avança

Enquanto a cauela prevalece no exterior, a bolsa brasileira tem mais uma alta patrocinada pelas commodities

projeções para a economia

Mercado aumenta novamente projeção para inflação em 2021

PIB em 2021 passa de +3,21% para +3,45%, segundo projeção apontada no Focus

Pega a pipoca

AT&T confirma acordo para fusão da WarnerMedia com Discovery

Se aprovada por reguladores antitruste, a operação vai gerar uma nova empresa que competirá com gigantes do setor de entretenimento, como Walt Disney e Netflix

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies