Menu
2019-04-17T08:23:49-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
aposta

Nestlé investe R$ 300 milhões no setor de cafés premium no Brasil

Valor corresponde a um quinto do total de R$ 1,5 bilhão programado para o ano; País é quarto maior mercado no mundo para a empresa

17 de abril de 2019
7:13 - atualizado às 8:23
Fachada da Nestlé
Fachada da Nestlé - Imagem: Shutterstock

A gigante suíça Nestlé investirá R$ 300 milhões na ampliação da aposta no setor de cafés premium no Brasil — que incluirá o lançamento da linha Starbucks e o uso da marca Nescafé além do grão solúvel.

O valor corresponde a um quinto do total de R$ 1,5 bilhão programado para o ano. O País é quarto maior mercado no mundo para a empresa, informa a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo o jornal, a chegada da Starbucks faz parte de uma estratégia de lançamento que inicialmente inclui 14 países e visa a ampliar as vendas de cápsulas do tipo Nespresso fora das butiques da marca. Os produtos Starbucks terão características próprias, mas a cápsula será igual à da Nespresso.

A Nestlé obteve direito de usar a marca Starbucks no varejo em um acordo de US$ 7 bilhões (R$ 27 bilhões).

Expectativa

O presidente da Nestlé no Brasil, Marcelo Melchior, diz acreditar que as vendas têm condições de crescer no País, apesar de o consumo estar devagar no País, com queda de 5,2% no primeiro bimestre, segundo a Kantar.

A razão para o otimismo da empresa está no passado recente. O Brasil assumiu a liderança mundial em volume de consumo de café, segundo a Euromonitor. “Falava-se que aqui só se tomava cafezinho (coado), mas a gente provou que era possível crescer com a Nespresso”, diz Melchior.

Com o lançamento da Starbucks e a estratégia de “repaginar” a Nescafé, a companhia espera capturar uma fatia maior nos supermercados.

No caso da Starbucks, haverá um trabalho de apresentação dos produtos no ponto de venda, que ficará inicialmente restrito a São Paulo, sendo posteriormente ampliado para o resto do País. A nova linha da Nescafé ganhará campanha de alcance nacional.

O investimento de R$ 300 milhões não inclui, por enquanto, a produção da Starbucks por aqui — a Nestlé tem 25 fábricas em operação no Brasil.

De acordo com Melchior, a ideia é nacionalizar a produção da Starbucks a partir de 2020, em especial as cápsulas para as máquinas Dolce Gusto.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

LUTO

Morre presidente da Samsung, aos 78 anos

Lee Kun-hee foi responsável por transformar a companhia em um dos maiores conglomerados do mundo

INFLAÇÃO

Custo alto deve se manter até 2021 no material de construção

Superaquecimento de itens é reflexo de distorção entre oferta e demanda, diz pesquisadora da FGV

“efeito de três pontos”

O [mau] comportamento dos mercados: as semelhanças entre a trajetória do câmbio e de uma bola de basquete

O câmbio vai oscilar ao gosto das notícias – das guerras comerciais à falta de agenda econômica do governo federal. Mas existe um estranho – e ainda pouco compreendido – “efeito de três pontos”.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies