Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-11-24T11:46:56-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Coisa de ficção científica

Asgardia, a nação disposta a ser enviada para o espaço por Elon Musk e Jeff Bezos

Comunidade alega ter mais de um milhão de membros ao redor do mundo e deseja fundar uma sociedade fora da Terra até 2043

23 de novembro de 2019
16:38 - atualizado às 11:46
Os bilionários Elon Musk e Jeff Bezos
Os bilionários Elon Musk e Jeff Bezos. -

Se Elon Musk e Jeff Bezos quiserem, já existe uma nação inteira disposta a ser enviada para o espaço por suas companhias de viagens espaciais comerciais.

O Reino Espacial de Asgardia mais parece coisa saída de uma história de ficção científica, mas é 100% real, assegura o site "Business Insider".

A autodeclarada "nação espacial" deseja se instalar como uma sociedade totalmente funcional no espaço, na forma de uma colônia fora do planeta Terra.

A ideia é enviar centenas de milhares de pessoas para viver em uma estação espacial até 2043 Elas deverão pagar taxas de "residência" e "construir uma nova sociedade democrática", capitalista, parlamentarista, capaz de manter relações comerciais com os terráqueos e detentora da sua própria moeda digital, a "Solar".

Para realizar este sonho ambicioso, a nação espacial espera poder contar com os serviços da SpaceX e da Blue Origin, companhias de viagens interestelares dos CEOs da Tesla e da Amazon, respectivamente.

Asgardia foi fundada em 2016 (ou "ano zero", segundo o calendário do reino) pelo cientista, político e bilionário russo Igor Ashurbeyli, e é atualmente liderada pelo britânico Lembit Opik - que, ironicamente, não pretende viver no espaço com seus companheiros "asgardianos".

"Os candidatos óbvios são a SpaceX e a Blue Origin", disse Opik em entrevista ao "Business Insider". "Elas são as melhores em termos de lançamentos espaciais. Seus foguetes serão os táxis que vão nos levar onde queremos ir".

Mais de um milhão de adeptos

Asgardia está registrada em Viena, Áustria, como uma organização sem fins lucrativos. Mas Opik vê oportunidades comerciais. Já existe uma loja on-line que vende canecas, insígnias e camisetas, mas Opik diz que ainda há muito mais por vir dessa "economia capitalista completamente funcional".

A nação espacial conta com um corpo de 150 representantes ao redor do mundo, eleitos pela comunidade no ano passado. A primeira-ministra chama-se Ana Diaz, uma advogada venezuelana, e o chefe de justiça é Zhao Yun, um advogado de Hong Kong. Opik foi eleito chefe do parlamento.

O fundador Igor Ashurbeyli já investiu cerca de US$ 12 milhões no projeto até hoje, enquanto outros R$ 2 milhões foram pagos pelos próprios membros.

Segundo Opik, mais de um milhão de pessoas já aderiu à nova nação gratuitamente, enquanto outras 300 mil são membros pagantes, responsáveis por uma taxa de residência anual de 100 euros cada.

O líder do parlamento asgardiano diz que não planeja se tornar um residente permanente, mas sim visitar Asgardia periodicamente.

É proibido fundar nações no espaço

Em 2017, o Reino de Asgardia enviou seu primeiro satélite para a órbita terrestre, tornando-se, em suas próprias palavras, "a primeira nação a ter todo o seu território no espaço".

O pequeno satélite, Asgardia-1, no entanto, tem apenas o tamanho de um pedaço de pão. Ele carrega um drive de 512GB com "a constituição da nação, seus símbolos nacionais e os dados selecionados da cidadania asgardiana".

Segundo o "Business Insider", no entanto, embora possa ser reconhecida como um Estado pelas Nações Unidas, Asgardia não seria considerada uma nação soberana tão cedo.

Segundo os tratados da ONU que dizem respeito às atividades humanas no espaço, a "apropriação nacional" de qualquer coisa no espaço sideral é proibida.

Procurada, a Blue Origin, de Jeff Bezos, se recusou a comentar. Elon Musk não respondeu ao pedido de comentário.

Com informações do "Business Insider"

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

em busca de recursos

AES Brasil (AESB3) aprova oferta pública e pode captar até R$ 1,8 bilhão

De acordo com a AES Brasil, o objetivo da oferta é acelerar seu plano de crescimento, com foco na diversificação do portfólio por meio de fontes complementares à hídrica, além de potencializar a criação de valor para os acionistas

o melhor do seu dinheiro

Mercados na semana: mais imposto, indefinição sobre dívidas e desaceleração na China

O Ibovespa acumulou uma perda de 2,5% na semana que termina e o dólar à vista avançou 0,28%, para R$ 5,28.  Foram três os principais fatores que impactaram os mercados: o anúncio de aumento de impostos, a indefinição sobre os precatórios — dívidas do governo com sentença judicial definitiva — e uma possível desaceleração da […]

Podcast Mesa Pra Quatro

De corretor de investimentos a árbitro e comentarista de futebol: conheça a trajetória de Arnaldo Cézar Coelho

O ex-árbitro e ex-comentarista de futebol é o convidado do podcast Mesa Pra Quatro. Ele conta como sua mãe influenciou a investir em imóveis e fala sobre a sua trajetória no mercado financeiro, um lado que poucos conhecem – confira agora

nome limpo na praça

Boa Vista (BOAS3): Itaú BBA inicia cobertura com ‘compra’ e potencial de alta de 27%

Preço-alvo para 2022 foi estabelecido em R$ 15,50, apoiado na tese de crescimento da companhia e do mercado de serviço de informações de crédito

de olho na inovação

Bitcoin é ineficiente como moeda e bom apenas para especulação, diz ‘Papa’ do valuation

Damodaran disse que a importância que tem sido dada ao bitcoin é desproporcional em relação ao seu papel na economia e minimizou a adoção da criptomoeda por El Salvador

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies