Menu
2019-04-03T09:41:12-03:00
Estadão Conteúdo
Com acordo de leniência

JBS pode ter de pagar R$ 2 bilhões ao BNDES

Grupo J&F assinou um acordo de leniência com a Procuradoria da República em Brasília; pelo pacto, empresa se comprometeu a pagar R$ 1,7 bilhão, mas negou ter corrompido funcionários e sido beneficiada em decisões

19 de fevereiro de 2019
6:44 - atualizado às 9:41
JBS
Imagem: shutterstock

O procurador Ivan Marx, do Ministério Público Federal (MPF) em Brasília, trabalha na denúncia criminal contra alvos da operação Bullish e mapeou dano superior a R$ 2 bilhões causados pela gigante dos alimentos JBS ao Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

Deflagrada em maio de 2017, a Bullish mirou supostas irregularidades em aportes de mais de R$ 8 bilhões do banco público na empresa do grupo J&F, cujos principais acionistas são os irmãos Wesley e Joesley Batista.

A informação foi antecipada pelo jornal O Globo e confirmada pelo Estado.

O grupo J&F assinou um acordo de leniência com a Procuradoria da República em Brasília. Pelo pacto, a empresa teria se comprometido a pagar R$ 1,7 bilhão, mas negou ter corrompido funcionários e sido beneficiada em decisões. O acordo está sendo renegociado e os procuradores envolvidos aguardam o Supremo Tribunal Federal decidir se irá rescindir os acordos de colaboração dos executivos.

Outro lado

Procurada, a JBS disse que os investimentos do BNDES na empresa “seguiram estritamente a legislação” e que o próprio banco afirma que seu resultado líquido com a companhia foi “positivo e altamente lucrativo”. A J&F afirmou que já apresentou esses fatos em suas colaborações com a Justiça

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Private equity

Ações da gestora brasileira Pátria sobem 17% na estreia na Nasdaq após IPO de R$ 3,2 bilhões

A gestora brasileira estreou com um valor de mercado de mais de R$ 15 bilhões e mira mais crescimento, o que poderá envolver aquisições

Uma nova chance?

O que esperar da nova Lei de Falências, que entra em vigor hoje

A reforma na Lei de Falências deve facilitar a recuperação das empresas que ainda são viáveis e tornar mais célere e eficiente a liquidação daquelas que estão condenadas a desaparecer

Aposta na retomada

Goldman Sachs eleva o preço-alvo de ação de locadora de veículos e recomenda compra

Os analistas elevam o preço-alvo para as ações da Localiza (RENT3) de R$ 69,30 para R$ 73,20 e projetam lucro acima do consenso do mercado

seu dinheiro na sua noite

Expectativa vs. realidade

Quando eu estava na terceira série do ensino médio, o coordenador do curso deu um alerta aos alunos: em geral os estudantes agem como se o vestibular fosse o objetivo final, e quando passam têm aquela sensação de “ah! Nunca mais vou precisar estudar!” Mas é depois do vestibular que a coisa começa a ficar […]

mudança nas estruturas

Acionistas da Cosan aprovam reorganização societária

Com isso, Cosan Logística e Cosa Limited serão incorporadas pela Cosan

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies