🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
'Menos CNN, mais Raul Seixas'

Novo ministro das Relações Exteriores critica globalismo e quer colocar país no sentido oposto ao movimento

Em discurso de transmissão de cargos, Ernesto Araújo disse que reorientará a atuação diplomática do país na direção contrária à do globalismo

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
3 de janeiro de 2019
6:52 - atualizado às 10:20
Jair Bolsonaro e Ernesto Araújo
Presidente Jair Bolsonaro e ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo - Imagem: Divulgação/Instagram

O novo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, não acredita no globalismo. E por isso, durante transmissão de cargos nessa quarta-feira, 2, Araújo disse que o país vai lutar para reverter este movimento.

Ao atacar o globalismo, o chanceler descreveu a atual política externa brasileira dedicada apenas a “exportar produtos e atrair investimentos, mas quieta, pacífica, sem poder para nada”. Para ele, o Brasil se limita a dizer o que é esperado dele, para se enquadrar na “piscina sem água” da ordem global. Agora, o ministro prometeu um Brasil “que sabe quem é”.

Nessa linha, afirmou que reorientará a atuação da diplomacia na Organização das Nações Unidas (ONU), “em favor do que é importante para o Brasil, não as ONGs.”

“O globalismo se constitui em ódio”, afirmou. “É contrário à natureza humana.” Ele citou como ideias “da mesma raiz ideológica” a noção de que não há diferença entre homem e mulher e os fetos são amontoados de células. “Vamos defender a soberania, a liberdade de expressão, a liberdade de crença, da internet, as liberdades políticas e os direitos da humanidade, o principal dos quais talvez seja o direito de nascer.”

Ele disse ainda admirar os países latino-americanos que se libertaram dos “regimes do Foro de São Paulo”, os africanos que “estão construindo uma África pujante e livre”, os que lutam contra a “tirania” na Venezuela. Também citou países europeus que recentemente elegeram governos de direita, como Itália, Hungria e Polônia.

“O problema do mundo não é a xenofobia, e sim a oikofobia”, afirmou, explicando que esta última é o ódio ao próprio lar. Outro problema que deveria preocupar, disse o chanceler, é a teofobia, a aversão a Deus. “Para destruir a humanidade é preciso acabar com as nações e afastar o homem de Deus. E é isso que estão tentando, e é contra isso que nos insurgimos.”

No exercício de uma política externa soberana, o chanceler orientou seus quadros a ouvir “menos CNN e mais Raul Seixas”. Ele citou um trecho da música "Ouro de Tolo" do cantor baiano: "eu é que não me sento no trono de um apartamento, com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar".

Ele ainda afirmou que o Itamaraty vai mudar a forma como fará negócios. A pasta estará próxima do setor produtivo nacional como nunca esteve, prometeu. As embaixadas e consulados terão seu trabalho desburocratizado e atuarão como escritórios de comércio.

Durante o discurso, era possível observar os diplomatas se entreolhando. Enquanto o discurso do ex-chanceler Aloysio Nunes foi longa e entusiasticamente aplaudido em pé, o final da fala de Araújo, encerrada com um “anuê Jaci”, uma Ave Maria em tupi, foi aplaudido por uma plateia sentada, num primeiro momento. Em seguida, os diplomatas se levantaram.

*Com Estadão Conteúdo 

Compartilhe

Esquenta dos Mercados

Aprovação do Orçamento 2021 e dados da inflação dos EUA devem ficar no radar do investidor

26 de março de 2021 - 8:01

Apesar de ser uma boa notícia, o Orçamento veio com quatro meses de atraso e conta com gastos que podem não animar

a regra é otimismo

Mercosul deve fechar dois acordos até o final do ano, diz Ernesto Araújo

2 de julho de 2019 - 13:14

Mercosul toca quatro negociações, de forma avançada, com o Canadá, com os países europeus do EFTA (formado por Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein), com Cingapura e com a Coreia do Norte

Mais estudos

Planalto avalia tirar Apex do Itamaraty

16 de abril de 2019 - 10:03

Agência já foi vinculada ao Ministério da Indústria e Comércio, pasta hoje incorporada ao Ministério da Economia; nome do novo titular da Apex ainda não foi definido

desejo de mudança

Diplomacia brasileira quer contribuir para reforma da OMC, diz Ernesto Araújo

8 de abril de 2019 - 14:19

Reforma da OMC é uma das principais demandas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump; de acordo com o ministro, já foram debatidos no âmbito da reforma da instituição a “questão agrícola e solução de controvérsias”

Relações exteriores

Presidente da Apex deixa o cargo e governo Bolsonaro tem a primeira baixa em uma semana

10 de janeiro de 2019 - 7:16

Indicado pelo ministro das relações exteriores ao cargo, Ernesto Araújo, Carreiro enfrentou resistências de funcionários da Apex, de ministros, militares e da CNI

Novo governo

Maduro não foi convidado para posse de Bolsonaro, diz futuro ministro das Relações Exteriores

16 de dezembro de 2018 - 12:00

Em seu twitter, Ernesto Araújo disse que “não há lugar para Maduro numa celebração da democracia”

Novo govenro

“Com os EUA, o céu é o limite”, diz novo chanceler

5 de dezembro de 2018 - 8:32

Para Ernesto Araújo, Itamaraty terá de mudar para facilitar relações com os EUA, que podem ajudar o país a entrar na OCDE

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies