';

🔴 O ‘NOVO PETRÓLEO’ FOI ENCONTRADO E JÁ É MOTIVO DE DISPUTA NO MUNDO — DESCUBRA AQUI

Cotações por TradingView
2019-02-19T16:07:38-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Reforma

Só em agosto? Itaú prevê votação da Previdência no segundo semestre

O projeto de Bolsonaro é mais ambicioso no papel, mas o Itaú trabalha com uma economia fiscal semelhante à proposta apresentada pela gestão Temer

19 de fevereiro de 2019
12:09 - atualizado às 16:07
Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco
Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco - Imagem: Solange Macedo/Itaú

O projeto de reforma da Previdência que será apresentado amanhã ao Congresso pelo governo Bolsonaro deve ser votado na Câmara em agosto, de acordo com projeções do Itaú Unibanco.

A estimativa leva em conta o tempo médio de tramitação dos projetos de emenda constitucional (PEC) no legislativo, que fica ao redor de 70 dias.

A minuta que chega ao Congresso deve propor uma economia de R$ 1,05 trilhão em dez anos, o equivalente a 2,5% do PIB, segundo Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú.

O projeto de Bolsonaro é mais ambicioso no papel que o apresentado pela gestão Temer, que originalmente levava a uma economia de 2,1%.

Mas o Itaú acredita que o projeto aprovado após a tramitação terá um ganho fiscal menor, da ordem de 1,5% do PIB. Ou seja, semelhante à proposta desidratada do governo Temer, que ficou pronta para ser votada, mas não foi adiante.

"Nosso cenário é conservador, mas se a proposta do atual governo for pouco desidratada, como muitos acreditam, ajudaria a aumentar a confiança", afirmou Mesquita a jornalistas.

Para ser votada ainda neste semestre, a reforma da Previdência teria que passar pelas comissões da Câmara até, no máximo, meados de junho, em razão das festas juninas e do recesso no legislativo no mês seguinte, segundo o economista do Itaú.

As condições para a aprovação das reformas passam por três pontos: popularidade do governo, identificação ideológica com o Congresso e capacidade de articulação, segundo Mesquita. Ele enxerga no governo Bolsonaro as duas primeiras, e vê a terceira ainda em construção.

Entre os pontos da reforma da Previdência que podem passar por uma desidratação estão a idade mínima e a regra de transição. Juntos, eles trariam uma economia de R$ 535 milhões em dez anos, se aprovados conforme o anunciado na semana passada: 62 anos para mulheres e 65 para homens e 12 anos de prazo, pelos cálculos do Itaú.

Além da previdência

A aprovação da reforma da Previdência é necessária, mas não suficiente para equalizar a situação fiscal brasileira, segundo o economista-chefe do Itaú.

A política de reajuste do salário mínimo e do funcionalismo na gestão Bolsonaro também serão fundamentais para o equilíbrio das contas públicas, assim como a retomada da economia. Mesquita não descartou a possibilidade de que o governo precise promover algum aumento de imposto.

Para este ano, o Itaú projeta que o governo terá um déficit primário de R$ 97 bilhões. Mas o banco não descarta a possibilidade de o ministro da Economia, Paulo Guedes, cumprir a promessa de chegar a um déficit zero já em 2019.

Só que para isso ele dependerá de receitas extraordinárias, que não se repetirão nos anos seguintes. A principal delas é o leilão da cessão onerosa das áreas do pré-sal, que podem trazer um ganho da ordem de R$ 80 bilhões para os cofres públicos, segundo Pedro Schneider, economista do Itaú.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

DANÇA DAS CADEIRAS

Da Fiesp para a Petrobras: Josué Gomes é cotado para o conselho da Petrobras

28 de janeiro de 2023 - 13:59

A montagem da chapa do governo na Petrobras foi discutida em reunião entre Lula e o seu indicado para a presidência da empresa, Jean-Paul Prates

VEÍCULOS ELÉTRICOS

Elon Musk comemora! Entenda o que fez a ação da Tesla ter seu melhor desempenho semanal desde 2013

28 de janeiro de 2023 - 12:07

As ações da Tesla subiram 33% na semana, interrompendo um período de seis meses em que caíram mais de 40%

ESTÁ SÓ COMEÇANDO

Insider trading na Americanas? CVM abre inquérito para investigar

28 de janeiro de 2023 - 8:48

CVM instaura inquéritos administrativos para apurar condutas suspeitas em meio à derrocada da Americanas (AMER3)

Aperta o play!

Campos Neto manterá o plano de voo? Os desafios do Banco Central autônomo no governo Lula e o que esperar da próxima Super Quarta

28 de janeiro de 2023 - 8:00

No podcast Touros e Ursos desta semana, as expectativas para as decisões de juros nos EUA e no Brasil, após Lula criticar a autonomia do Banco Central

LOTERIAS

Lotofácil tem 4 ganhadores; Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 75 milhões

28 de janeiro de 2023 - 7:55

Enquanto a Lotofácil segue fazendo a alegria dos apostadores, Mega-Sena está acumulada desde o sorteio da virada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies