Menu
2019-02-19T16:07:38-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Reforma

Só em agosto? Itaú prevê votação da Previdência no segundo semestre

O projeto de Bolsonaro é mais ambicioso no papel, mas o Itaú trabalha com uma economia fiscal semelhante à proposta apresentada pela gestão Temer

19 de fevereiro de 2019
12:09 - atualizado às 16:07
Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco
Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco - Imagem: Solange Macedo/Itaú

O projeto de reforma da Previdência que será apresentado amanhã ao Congresso pelo governo Bolsonaro deve ser votado na Câmara em agosto, de acordo com projeções do Itaú Unibanco.

A estimativa leva em conta o tempo médio de tramitação dos projetos de emenda constitucional (PEC) no legislativo, que fica ao redor de 70 dias.

A minuta que chega ao Congresso deve propor uma economia de R$ 1,05 trilhão em dez anos, o equivalente a 2,5% do PIB, segundo Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú.

O projeto de Bolsonaro é mais ambicioso no papel que o apresentado pela gestão Temer, que originalmente levava a uma economia de 2,1%.

Mas o Itaú acredita que o projeto aprovado após a tramitação terá um ganho fiscal menor, da ordem de 1,5% do PIB. Ou seja, semelhante à proposta desidratada do governo Temer, que ficou pronta para ser votada, mas não foi adiante.

"Nosso cenário é conservador, mas se a proposta do atual governo for pouco desidratada, como muitos acreditam, ajudaria a aumentar a confiança", afirmou Mesquita a jornalistas.

Para ser votada ainda neste semestre, a reforma da Previdência teria que passar pelas comissões da Câmara até, no máximo, meados de junho, em razão das festas juninas e do recesso no legislativo no mês seguinte, segundo o economista do Itaú.

As condições para a aprovação das reformas passam por três pontos: popularidade do governo, identificação ideológica com o Congresso e capacidade de articulação, segundo Mesquita. Ele enxerga no governo Bolsonaro as duas primeiras, e vê a terceira ainda em construção.

Entre os pontos da reforma da Previdência que podem passar por uma desidratação estão a idade mínima e a regra de transição. Juntos, eles trariam uma economia de R$ 535 milhões em dez anos, se aprovados conforme o anunciado na semana passada: 62 anos para mulheres e 65 para homens e 12 anos de prazo, pelos cálculos do Itaú.

Além da previdência

A aprovação da reforma da Previdência é necessária, mas não suficiente para equalizar a situação fiscal brasileira, segundo o economista-chefe do Itaú.

A política de reajuste do salário mínimo e do funcionalismo na gestão Bolsonaro também serão fundamentais para o equilíbrio das contas públicas, assim como a retomada da economia. Mesquita não descartou a possibilidade de que o governo precise promover algum aumento de imposto.

Para este ano, o Itaú projeta que o governo terá um déficit primário de R$ 97 bilhões. Mas o banco não descarta a possibilidade de o ministro da Economia, Paulo Guedes, cumprir a promessa de chegar a um déficit zero já em 2019.

Só que para isso ele dependerá de receitas extraordinárias, que não se repetirão nos anos seguintes. A principal delas é o leilão da cessão onerosa das áreas do pré-sal, que podem trazer um ganho da ordem de R$ 80 bilhões para os cofres públicos, segundo Pedro Schneider, economista do Itaú.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São tantas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies