Menu
2019-07-20T14:35:10-03:00
Larissa Santos
Chips e cerébros

Elon Musk quer implantar dispositivos em cérebros humanos já no ano que vem

O bilionário falou em coletiva na última terça-feira sobre os próximos passos da Neuralink, uma das empresas da qual é investidor. Musk deseja acelerar o progresso da comunidade científica rumo à integração entre mente e inteligência artificial, usando já em 2020 o dispositivo em humanos

17 de julho de 2019
14:03 - atualizado às 14:35
O bilionário Elon Musk, CEO da Tesla
Elon Musk: dispositivo teria capacidade de "preservar e melhorar" as funções do cérebro - Imagem: Wikimedia Commons

Apesar de não ser a única cabeça por trás do projeto, o bilionário Elon Musk finalmente trouxe mais detalhes sobre seu plano de integrar a mente humana à inteligência artificial e à internet.

Na noite da última terça-feira (16), o empresário fez uma coletiva transmitida ao vivo sobre a Neuralink, startup de neurotecnologia da qual é co-fundador. A grande novidade é que a empresa pretende colocar dispositivos no cérebro humano já a partir do terceiro trimestre do ano que vem. Mas como?

Segundo Musk, a empresa está desenvolvendo um sistema em que um dispositivo com 4 milímetros de comprimento seria implantado na mente humana. O chip, resumido por ele como uma "interface cérebro máquina", estimularia o funcionamento de neurônios por meio de fios ultrafinos de eletrodos.

Ainda de acordo com o empresário, fios e máquina seriam inseridos no paciente por um robô em um procedimento seguro e indolor. Um feixe de laser perfuraria o crânio com pequenos orifícios - que medem um quarto do diâmetro de um fio de cabelo.  "Não é como uma grande operação, é equivalente a um tipo de Lasik (cirurgia de olho a laser)", comentou na coletiva.

A discussão sobre o equipamento ser capaz de criar a "simbiose entre mente humana e inteligência artificial" é ampla e antiga, beirando a ficção científica. Criar a comunicação direta entre cérebro e computadores e o upload de informações para o conhecimento humano parece mesmo surreal.

Mas, para além de possibilidades que mexem com nosso imaginário, o projeto deve ter um potencial uso médico já desde o começo. Max Hodax, presidente da Neuralink, mostrou-se otimista quanto à possibilidade de usar o sistema para tratar doenças como Alzheimer e Parkinson e para o controle de próteses.

O dispositivo também teria a capacidade de "preservar e melhorar" as funções do cérebro, e também compreender melhor o funcionamento do órgão.

A "interface cérebro máquina" caminha a passos largos na fase de testes. Por enquanto, animais foram usados para testar o dispositivo, tópico que a dupla de fundadores admite ser "sensível". Quando questionado sobre resultados na coletiva, Musk afirmou que as respostas são "muito positivas" e que até "um macaco já se mostrou capaz de controlar um computador com a sua mente".

Na segunda-feira (15),  um laboratório de pesquisa da Neuralink fez uma apresentação de como o dispositivo com os fios de eletrodo funcionam conectados ao cérebro de um rato. No animal, o dispositivo reconhecia informações de 1500 eletrodos - os atuais sistemas usados em humanos são muito inferiores, captando apenas 100 eletrodos.

Desafios

Cumprir o prazo proposto por Musk será um desafio frente a vários obstáculos que a startup precisa encarar. A comunidade médica alerta para o risco de danos cerebrais, inflamação e cicatrização do dispositivo. Cientistas lembram que o sucesso em animais nem sempre se traduz em bons resultados em humanos.

Há, ainda, toda a questão burocrática. A Neuralink precisa de aprovação da FDA (Food and Drug Administration) para seguir com a inovação.

Fundada em 2016, a Neuralink já recebeu mais de US$ 100 milhões de financiamento de Elon Musk, segundo o jornal New York Times.

Com base na Universidade da Califórnia, em Davis, a startup tem uma equipe de 90 funcionários - entre eles estão alguns dos maiores neurocientistas dos mundo. No começo, a empresa foi fundada para ajudar pacientes que sofriam de lesões cerebrais. Com a entrada do investimento de Musk, o empreendimento passou a promover as capacidades do pensamento cognitivo humano frente aos grandes avanços tecnológicos.

Apenas uma das fichas de Musk...

Vale lembrar que, além da startup de neurotecnologia, Musk está diretamente envolvido com uma série de outras empresas que desafiam fronteiras da nossa imaginação. No comando da fabricante de foguetes SpaceX, o bilionário tem a missão não apenas de levar vida humana a Marte, mas também de povoar o planeta vermelho. Segundo ele, essa é a única alternativa da espécie para lidar com a escassez de recursos na Terra.

Enquanto o projeto interplanetário não se concretiza, o magnata procura soluções para melhorar a vida por aqui. São os casos da Tesla, que busca popularizar carros elétricos de alta performance, e da Solar City, empresa especializada em painéis solares.

Quer mais? O bilionário ainda tem como projetos pessoais o Hyperloop, meio de transporte futurista que faria uma viagem entre São Paulo e Rio em apenas 20 minutos, e a Boring Company, que busca criar uma rede subterrânea de túneis em Los Angeles, nos EUA.

Sim, Elon Musk, é uma pessoa só.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

imunização

Governo de São Paulo adianta em 30 dias vacinação contra a covid-19; veja novas datas

Plano é vacinar toda a população adulta do estado, ao menos com a primeira dose, até o dia 15 de setembro

luto

Ex-presidente do BC Carlos Langoni morre de covid-19 no Rio

Carlos Langoni trabalhou no governo na virada das décadas de 1970 e 1980, quando foi presidente do BC; ele colaborou com a equipe econômica do ministro Paulo Guedes, quase 40 anos depois

nos eua

Nova ‘ação meme’? Orphazyme dispara quase 1400% em um dia e mercado não sabe por quê

Investidores da empresa aguardam uma importante atualização sobre um tratamento experimental para a doença de Niemann-Pick; sem novidades, mercado não sabe a razão da alta

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies