Menu
2018-12-27T14:19:04-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novas metas

PPSA prevê arrecadar R$ 20 bilhões para União com pré-sal até 2028

Empresa responsável pela comercialização da parte da União do do pré-sal sob contrato de Partilha de Produção projeta que, em 2028, o governo brasileiro vai receber pelo menos R$ 20 bilhões decorrentes da produção de petróleo no país

27 de dezembro de 2018
14:19

A Pré-Sal Petróleo quer começar 2019 com metas ambiciosas para o futuro.

A empresa, responsável pela comercialização da parte da União do do pré-sal sob contrato de Partilha de Produção, projeta que em 2028 o governo brasileiro vai receber pelo menos R$ 20 bilhões decorrentes da produção de petróleo no país.

Este ano, a arrecadação totalizou R$ 1,13 bilhão.

Segundo nota divulgada pela empresa, os recursos deste ano já foram depositados na Conta Única do Tesouro Nacional e são referentes à comercialização da parcela de petróleo da União (R$ 286 milhões) na Área de Desenvolvimento de Mero, na Bacia de Santos, e à Equalização de Gastos e Volumes (EGV) do Campo de Sapinhoá (R$ 847 milhões), também na bacia de Santos.

"Quando começamos o ano tínhamos uma projeção de contribuir com R$ 1 bilhão para a arrecadação federal. Encerramos 2018 superando o valor projetado. De agora em diante, a empresa seguirá uma rotina de comercialização de petróleo, contribuindo anualmente para a arrecadação federal", disse em nota o presidente da companhia, Ibsen Flores Lima.

Já para a projeção em dez anos, a PPSA informou que, segundo estudos feitos pela estatal, a União terá direito a 250 mil barris de petróleo por dia referente somente à produção dos 14 contratos de partilha de produção em vigor hoje no País, gerando uma contribuição anual para a arrecadação federal da ordem de R$ 20 bilhões.

Até o momento, a PPSA já celebrou seis Acordos de Individualização da Produção AIPs). Além de Sapinhoá, a União também já assinou os AIPs de Tartaruga Verde, Lula/Sul de Lula, Nautilus, Atapu e Brava. A companhia também espera celebrar em breve a assinatura do Acordo de Individualização da Produção da Jazida Compartilhada de Mero. Há ainda outros 17 potenciais casos de individualização da produção em análise pela empresa.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

B3 Fashion Week

A semana de moda da bolsa brasileira está pegando fogo! Flashes por todos os lados, comentários entusiasmados, queixos caídos a cada novo desfile. As grandes marcas não pouparam esforços para a coleção outono/inverno — e, como era de se esperar, um intenso burburinho toma conta dos bastidores. Essa sexta-feira foi particularmente animada, com a Renner […]

Moradia classe A

Pandemia, juros baixos e dólar caro: combo impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Uma combinação que prejudicou boa parte das empresas brasileiras acabou beneficiando o segmento imobiliário de alto padrão

fechamento da semana

Brasília impede Ibovespa de decolar, mas saldo da semana ainda é positivo; dólar vai a R$ 5,58

No Brasil, o que garantiu um bom desempenho do Ibovespa foi a alta das commodities e a recuperação econômica de Estados Unidos e China.

em encontro com investidores

Arthur Lira sinaliza que Orçamento será resolvido ‘sem rupturas’

Presidente da Câmara mencionou ainda o posterior encaminhamento da reforma administrativa e ainda o início das discussões sobre a privatização da Eletrobras

Conheça as novatas

A hora da biotecnologia: empresas do setor disparam até 78% após IPOs na Nasdaq

Três estreantes do segmento atraíram a atenção dos investidores e chegaram com tudo à bolsa norte-americana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies