Menu
2018-12-27T14:19:04-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novas metas

PPSA prevê arrecadar R$ 20 bilhões para União com pré-sal até 2028

Empresa responsável pela comercialização da parte da União do do pré-sal sob contrato de Partilha de Produção projeta que, em 2028, o governo brasileiro vai receber pelo menos R$ 20 bilhões decorrentes da produção de petróleo no país

27 de dezembro de 2018
14:19

A Pré-Sal Petróleo quer começar 2019 com metas ambiciosas para o futuro.

A empresa, responsável pela comercialização da parte da União do do pré-sal sob contrato de Partilha de Produção, projeta que em 2028 o governo brasileiro vai receber pelo menos R$ 20 bilhões decorrentes da produção de petróleo no país.

Este ano, a arrecadação totalizou R$ 1,13 bilhão.

Segundo nota divulgada pela empresa, os recursos deste ano já foram depositados na Conta Única do Tesouro Nacional e são referentes à comercialização da parcela de petróleo da União (R$ 286 milhões) na Área de Desenvolvimento de Mero, na Bacia de Santos, e à Equalização de Gastos e Volumes (EGV) do Campo de Sapinhoá (R$ 847 milhões), também na bacia de Santos.

"Quando começamos o ano tínhamos uma projeção de contribuir com R$ 1 bilhão para a arrecadação federal. Encerramos 2018 superando o valor projetado. De agora em diante, a empresa seguirá uma rotina de comercialização de petróleo, contribuindo anualmente para a arrecadação federal", disse em nota o presidente da companhia, Ibsen Flores Lima.

Já para a projeção em dez anos, a PPSA informou que, segundo estudos feitos pela estatal, a União terá direito a 250 mil barris de petróleo por dia referente somente à produção dos 14 contratos de partilha de produção em vigor hoje no País, gerando uma contribuição anual para a arrecadação federal da ordem de R$ 20 bilhões.

Até o momento, a PPSA já celebrou seis Acordos de Individualização da Produção AIPs). Além de Sapinhoá, a União também já assinou os AIPs de Tartaruga Verde, Lula/Sul de Lula, Nautilus, Atapu e Brava. A companhia também espera celebrar em breve a assinatura do Acordo de Individualização da Produção da Jazida Compartilhada de Mero. Há ainda outros 17 potenciais casos de individualização da produção em análise pela empresa.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

novo programa

Governo anuncia proposta para Renda Cidadã, substituto do Bolsa Família

Proposta é usar os recursos de pagamento de precatórios e parte do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb)

NOVATA NA BOLSA

Subsidiária da Even, Melnick estreia na B3 com queda de mais de 1%

IPO movimentou R$ 713,6 milhões, com as ações sendo precificadas no piso da faixa indicativa

futuro já começou?

Ação da Virgin Galactic, de turismo espacial, dispara 20%

Dois novos relatórios recomendam a compra dos papéis da empresa do bilionário Richard Branson; companhia ainda não opera comercialmente

mercado atento

Risco fiscal no Brasil ‘está em toda a parte’, diz José Júlio Senna

Chefe do Centro de Estudos Monetários do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) diz que “a Bolsa de São Paulo, em dólar, é um vexame”

demandas em meio à crise

Concessões no crédito livre sobem 0,5% em agosto, revela BC

Em agosto, no crédito para pessoas físicas, as concessões subiram 2,1%, para R$ 153,3 bilhões. Em 12 meses até agosto, há alta de 3,0%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements