Menu
2018-10-03T14:57:47-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Cenário favorável

Resultados Datafolha e Ibope refletem em ETFs e ADRs brasileiras no exterior

Com fortalecimento de Bolsonaro nas pesquisas eleitorais, principal ETF no exterior avançou 5,64% ontem

3 de outubro de 2018
14:50 - atualizado às 14:57

Os resultados da pesquisa Datafolha ontem à noite, que reforçou a tendência Ibope com Jair Bolsonaro (PSL) à frente na corrida eleitoral e a estagnação de Fernando Haddad (PT), já teve impactos em investimentos do Brasil no exterior.

O principal fundo de índice referenciados em papéis brasileiros no exterior (ETF em inglês), o EWZ (iShares MSCI Brazil ETF) avançou 5,64%, para US$ 35,61, no fechamento do mercado ontem.

Já entre os American Depositary Receipts (ADRs) das empresas brasileiras negociadas na bolsa de Nova York, o holofote da vez foi para a Petrobras, que subiu 6%. A Vale avançou 2,62%. Entre os bancos, o Itaú subiu 2% e o Bradesco, 2%.

Na Europa

Os ETFs brasileiros também apresentaram altas significativas na Bolsa de Londres hoje, com altas próximas a 5%.

O CSBR iShares MSCI Brazil Ucits (ACC) avançou4,89%, a US$ 70,38. Já o IDBZ (Dist) fechou o dia com ganho de 4,88%, cotado a US$ 29,91, e o IBZL (Dist) teve alta de 3,88%, a 2.304,50 libras esterlinas. Em Frankfurt, onde há também negociações desses ativos na Europa, no entanto, não houve transações hoje por causa de um feriado alemão.

Resultado nas pesquisas

O Datafolha ontem à noite confirmou o fortalecimento de Bolsonaro à frente da corrida eleitoral, com 32% das intenções ante os 28% da pesquisa anterior. Haddad (PT), por sua vez, foi de 22% para 21%.

A pesquisa também mostra que o capitão reformado ainda tem o maior índice de rejeição, com 45%, enquanto a do petista saltou de 32% para 41%. Hoje à noite, tem mais um Ibope que deve confirmar de vez (ou não) a tendência das últimas pesquisas.

Na segunda-feira, o Ibope já havia adiantado fortalecimento de Bolsonaro, que foi de 27% a 31%, ante Haddad, que estagnou nos 21%.

*Com Estadão conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

JURO BAIXO E PANDEMIA

O alinhamento dos astros está favorável para os investimentos em imóveis

Pandemia aumentou desejo por imóveis maiores e com escritório; juro baixo estimula segmento.

foco no nordeste

Desenvolvimento Regional autoriza R$ 30,7 milhões para saneamento em 17 Estados

Segundo a pasta, a maior fatia dos recursos foi destinada ao Nordeste (R$ 15,8 milhões), seguida pela região Norte (R$ 6,5 milhões)

caso das rachadinhas

Presidente do STJ decide colocar Queiroz em prisão domiciliar

O caso tramita sob segredo de Justiça. Preso desde 18 de junho, Queiroz é apontado como operador de um suposto esquema de “rachadinhas” – apropriação de salários de funcionários – no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro

O dia dos mercados

Com cautela em NY, bolsa fecha em queda de 0,6% após voltar aos 100 mil pontos; dólar recua

Em sessão de volatilidade, bolsa retorna ao patamar de 100 mil, mas não consegue manter fôlego com cautela em bolsas americanas. Dólar tem leve queda e se aproxima de R$ 5,30

ALÉM DE MORTOS E FERIDOS...

Os ‘falidos’ do coronavírus: veja as empresas que quebraram na pandemia

Companhias aéreas foram as primeiras a sentir o baque, seguidas por empresas que dependem também do turismo ou de viagens corporativas. Varejistas com fraca presença no e-commerce também sofreram com a ausência de clientes.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements