Menu
2019-11-12T10:33:02-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho na inovação

Startup de seguros brasileira recebe R$ 60 milhões de fundo americano investidor do Nubank

Chamada Pitzi, empresa tem 130 funcionários e acaba de receber aporte do fundo QED, que também investiu na QuintoAndar

12 de novembro de 2019
7:51 - atualizado às 10:33
pitzi
Startup Pitzi - Imagem: Divulgação/ instagram

A startup de seguros brasileira Pitzi anunciou na segunda-feira (11) que recebeu um investimento de R$ 60 milhões, liderado pelo fundo americano QED, investidor de empresas como Nubank e QuintoAndar, e também pelo WTI.

Com o novo aporte, a Pitzi se diz avaliada em R$ 400 milhões - este ano, a empresa, que vende seguros para celulares, atingiu a marca de 1 milhão de clientes.

O presidente executivo da startup, Daniel Hatkoff, afirmou ao Estadão que os novos recursos serão utilizados para sofisticar o serviço da Pitzi: "Vamos investir em logística para, ao mesmo tempo, acelerar a entrega dos celulares e reduzir o preço do nosso produto".

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Além disso, a empresa pretende refinar o uso de algoritmos na sua operação. "O uso de dados nos ajuda a evitar fraudes. É um esforço importante inclusive para abrir mais espaço para um produto que oferecemos: o seguro de celulares usados", diz Hatkoff.

Os fundos Valiant Partners e Thrive Capital, que já eram investidores da Pitzi, também participaram da nova rodada. Até então, a startup tinha recebido três rodadas de aportes, somadas em R$ 70 milhões.

Estrutura

A Pitzi tem hoje 130 funcionários. Ela trabalha ao lado de seguradoras como Zurich, AXA, Mapfre, Sura e Generali, gerenciando seus programas de seguro de celular.

A startup utiliza tecnologia para cuidar desde o atendimento do cliente até a logística em torno do conserto e devolução do aparelho.

Segundo Hatkoff, a meta da startup é aumentar sua base de clientes: "Hoje, só 4% dos smartphones são protegidos no país. Queremos expandir o mercado e chegar a esse nível de penetração em um futuro próximo. Estamos só no começo".

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

A Bula do Mercado

Dia de decisão de BCs

Bancos Centrais dos EUA e do Brasil anunciam decisão de juros, mas atenção do mercado financeiro está na sinalização dos próximos passos

PRIVATIZAÇÃO

Privatização da Eletrobras será discutida no 1º semestre, diz Ferreira Júnior

“É a primeira vez que o Brasil vai fazer uma operação desse tamanho, temos que ir com calma”, disse durante palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

ESTÁ DE SAÍDA

Oi anuncia saída de Eurico Teles da presidência

A saída ocorre no mesmo dia em que a companhia foi alvo da 69ª fase da Operação Lava Jato e que investiga supostos repasses financeiros que teriam sido realizados pela Oi / Telemar em favor de empresas do grupo Gamecorp/Gol

Oferta de ações

XP vende ação acima da faixa indicativa no IPO e estreia na Nasdaq valendo R$ 62 bilhões

Preço por ação da XP na oferta realizada na bolsa americana foi definido em US$ 27, acima do teto da faixa estipulada, que variava de US$ 22 a US$ 25, segundo a Broadcast/Estadão

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Rodada decisiva no jogo das tarifas

Além dos números da economia e das empresas, entender pelo menos um pouco sobre relações internacionais tornou-se fundamental para os investidores desde o início da guerra comercial entre Estados Unidos e China. A disputa, que está mais para um jogo de cartas do que para uma guerra propriamente dita, é acompanhada com tensão pelo mercado porque […]

Jogo tenso

Com as cartas da guerra comercial ainda na mesa, o Ibovespa e as bolsas globais fecharam em queda

O Ibovespa teve a segunda baixa consecutiva, refletindo o clima de cautela que tomou conta dos ativos globais nesta terça-feira. Lá fora, os mercados ficaram de olho nas movimentações da guerra comercial — e, ao menos por enquanto, não há nada definido entre EUA e China

DE OLHO NO GRÁFICO

Sinal amarelo para o S&P 500 e 16 ações para ficar de olho

Neste vídeo, eu analiso o S&P 500, o Ibovespa e outros indicadores americanos e indica 16 ações brasileiras para ficar de olho. A contagem regressiva para o fechamento de minha Última Imersão a preço de Black Friday está terminando. Garanta aqui o seu acesso

BANCO

Presidente do BB diz que não há nenhuma negociação sobre venda do banco para concorrente

Ele destacou que “é mentira” que o Banco do Brasil esteja negociando seu controle com outro grupo econômico. “Isso nunca passou por nossa cabeça”, disse Novaes

NOVIDADES À VISTA

Marfrig lança marca própria de hambúrgueres vegetais

Além dos investimentos na parte de produtos de origem vegetal, a Marfrig quer trazer mais dinheiro para o caixa da empresa. A empresa confirmou no começo deste mês que fará uma oferta subsequente de ações (follow-on)

Altas e baixas

Gol, Azul, Itaú e Banco do Brasil: os destaques do Ibovespa nesta terça-feira

O setor aéreo liderou as perdas do Ibovespa nesta terça-feira, com as ações da Gol e da Azul fechando em queda. Itaú e Banco do Brasil também caíram

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements