Menu
2019-04-30T18:48:07+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
De olho nas privatizações

Olha como elas estão…Principais estatais federais registram lucro líquido 147% maior em 2018 em relação ao ano anterior

Dentre as principais estatais federais que apresentaram maior crescimento no lucro líquido está a Petrobras, que obteve lucro de R$ 26,7 bilhões em 2018, o que representa um aumento de 6.981,7%

30 de abril de 2019
16:42 - atualizado às 18:48
Privatização
Imagem: Andrei Morais/Montagem

No radar das discussões sobre privatização, o Ministério da Economia divulgou hoje (30) novo relatório sobre o tema. Segundo os dados apresentados, o lucro líquido das principais estatais federais fechou 2018 em R$ 70 bilhões, ante os R$ 28,3 bilhões do ano anterior. O resultado representa um aumento de 147,0%. Entre os conglomerados de estatais analisados estão Petrobras, Eletrobras, BNDES, Banco do Brasil e Caixa.

De acordo com os dados fornecidos no Boletim das Empresas Estatais, o grupo que apresentou maior crescimento durante o período de análise foi a Petrobras. Na ocasião, o lucro líquido do grupo passou de R$ 377 milhões em 2017 para R$ 26,7 bilhões em 2018, o que corresponde a um aumento de 6.981,7%.

Ainda segundo o relatório, os principais motivos da variação estão relacionados ao aumento de R$ 66 bilhões nas receitas de vendas, em decorrência da alta do preço médio dos derivados e da desvalorização do real frente ao dólar.

Além disso, houve crescimento de R$ 33,2 bilhões nos custos dos bens e serviços do grupo, por conta da elevação das cotações internacionais. Outro ponto que impactou foi o aumento de R$ 5,3 bilhões no resultado financeiro e que está relacionado, na maior parte, à regularização de créditos contra a Eletrobras.

Na sequência, a companhia que apresentou maior resultado líquido entre 2017 e 2018 foi a BR Distribuidora, com alta de 177,4% durante o período. As razões para a variação no lucro líquido estão relacionadas à receita de recuperação de créditos do setor elétrico no valor de R$ 2,6 bilhões e redução de R$ 813 milhões nas despesas com financiamentos e empréstimos, o que representou uma queda de 74,3% no total de despesas.

Menos funcionários

Além do aumento no resultado líquido, o boletim mostrou que houve redução de 13.434 no quadro de pessoas das estatais de 2017 para 2018. Os maiores cortes vieram de empresas como Caixa, com diminuição de 2.728 empregados, seguido pelos Correios com 2.648, e Banco do Brasil com 2.195 funcionários a menos do que no ano anterior.

Se compararmos em relação a dezembro de 2015, a redução de pessoal foi superior a 57 mil empregados, o que representa uma diminuição de 10,38% do quadro total. Grande parte está ligada a programas de desligamento voluntário de empregados (PDVs).

As reduções já impactaram despesas de pessoal. Entre 2015 e 2018, houve uma diminuição - em valores nominais - de R$ 2,46 bilhões, o que seria equivalente a 2,56% considerando apenas as empresas não dependentes. Em valores reais, ou seja, ajustados pelo IPCA, a redução foi de 14,67%.

Evolução dos dividendos

Outro ponto que aumentou desde 2016 foi o total de dividendos e do juros sobre capital próprio pagos (JCP) pagos pelas empresas de controle direto da União. No consolidado das empresas como Petrobras, Eletrobras, Banco do Brasil, Caixa e BNDES, os valores passaram de R$ 3,7 bilhões em 2016 para R$ 11,6 bilhões no fim do ano passado.

Menos dívidas

O boletim também destaca que houve redução no total de endividamento das empresas estatais. De dezembro de 2015 - quando o valor chegou a R$ 544 bilhões - até o fim do ano passado, o total de dívidas que as estatais federais detinham diminuiu 29% e a conta fechou o ano de 2018 em R$ 386 bilhões.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O HOMEM MAIS RICO

Jeff Bezos: paciência para esperar o lucro da Amazon fez o maior bilionário do mundo

Como o empresário transformou uma pequena livraria online em uma das maiores varejistas do mundo e desbancou Bill Gates da lista da Forbes com uma fortuna estimada em US$ 148 bilhões.

Bandeira branca no radar?

EUA devem estender licença da chinesa Huawei para atender clientes do país

Movimento dos EUA pode ser visto como positivo para o fim da guerra comercial com a China já que a companhia foi um dos focos de tensões entre os gigantes

Governador de Minas

‘Governo entra em pautas minúsculas’, avalia Romeu Zema

Em entrevista, governador de MG nega que esteja sendo “tutelado” pelo partido Novo e avaliou que o presidente Jair Bolsonaro deveria “focar em coisas maiores, grandiosas”

Corrida contra o tempo

Tarifa de importação do Mercosul pode cair já em 2020

Com receio de que o grupo político da ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner volte ao poder, o governo brasileiro tem pressa

Agora vai?

Governo enviará ao Congresso na próxima semana projeto para destravar privatização da Eletrobras

Proposta deve conter os mesmos itens que estavam na Medida Provisória 879, que não foi votada pela Câmara

Olha quem apareceu

Rede de varejo Le Biscuit, da Vinci Partners, estreia no comércio online

Entrada da empresa no mundo online ocorrerá em etapas e segue uma tendência mundial

Olha a oportunidade aí

Movimentos para ofertas de ações no 2º semestre aceleram

Reuniões com os bancos de investimento se intensificam e companhias começam a fechar acordos para levar as ofertas adiante

Eita!

Chefes da Receita Federal ameaçam entrega de cargos por interferência política

De acordo com apuração, seis subsecretários do órgão estão fechados nessa posição

À beira do abismo

Sob pressão financeira, Oi procura bancos para encontrar saída

Operadora precisa levantar R$ 2,5 bilhões, mas ainda não tem ideia de como fará essa captação de recursos

Batalha contra a desaceleração

China divulga reforma de juros para reduzir custo de financiamento de empresas

Movimento anunciado deve reduzir ainda mais as taxas de juros reais para as companhias do país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements