Menu
2019-02-06T15:13:39+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Uni, duni, tê: muitas corretoras para escolher

Test drive ilimitado: mil opções de corretoras para você chamar de sua

Atenção é fundamental na hora de escolher porque os custos podem ser bem diferentes. Segundo levantamento feito pelo Seu Dinheiro com 20 corretoras no mês de dezembro, as taxas de custódia de ações, por exemplo, podem apresentar diferença de até R$ 31 entre os valores cobrados

21 de dezembro de 2018
13:57 - atualizado às 15:13
Test Drive Corretoras V5 (1)
Test drive de corretoras - Imagem: Shutterstock

Quem acompanha o mercado financeiro, vira e mexe é fisgado pelos algoritmos do Google com mais uma oferta imperdível de corretora. Eu mesma não consigo escapar. E claro, como boa investidora, não perco tempo e vou logo testando a novidade. A ideia é a mesma daquele ditado popular: "De graça, até injeção na testa". Afinal, por que não aproveitar que a abertura de contas na maioria das vezes é sem custo e sair por aí fazendo test drive nas opções disponíveis?

Apesar da lista de possibilidades ser infinita, é preciso cuidado na hora de escolher as suas favoritas porque as taxas podem ser bem diferentes entre as instituições. Foi isso o que eu percebi, ao analisar a taxa de custódia de ações mensal pelo uso do home broker (sistema on-line que permite que você faça todas as operações de compra e venda de ações de casa) em 20 corretoras.

Apenas em dezembro, a diferença entre os valores de custódia cobrados alcançou quase R$ 31, sendo a menor taxa igual a 0 e a maior igual R$ 30,88. Além das diferenças de cobrança, as plataformas costumam oferecer serviços e produtos por vezes diferentes e que podem ser mais ou menos fáceis de usar. Por isso, teste sempre.

Chegou a hora

A abertura de uma conta é relativamente simples. Para isso, basta entrar no site da corretora de sua preferência e preencher a ficha cadastral. Nela, são pedidos dados sobre o seu patrimônio e é feita uma análise breve sobre o seu perfil de investidor.

Em seguida, é preciso enviar o número e fotos do seu RG ou CNH e de um comprovante residencial. Geralmente, a abertura de conta ocorre em até 7 dias úteis. E se eu não gostar da conta? Não há nenhum problema, na maioria das casas, não há cobrança de taxas de manutenção. Eu mesma mantenho conta em cinco instituições.

Uni, duni, tê

No meu caso, como o meu primeiro investimento foi no Tesouro Direto, fui logo buscar a que oferecesse as melhores taxas. Na época, os "bancões" e boa parte das corretoras cobravam um percentual por esse tipo de aplicação, além da taxa de custódia de 0,3% paga à B3.

Como a oferta era grande, abri contas gratuitas em várias corretoras e saí por aí fazendo testes. Passei cerca de um mês até me decidir. Levei em consideração se o aplicativo era rápido e intuitivo, se o sistema não caía toda hora, se a plataforma trabalhava com fundos de terceiros ou apenas com fundos próprios e principalmente, analisei se os valores de aplicação inicial eram baixos para que eu pudesse diversificar a minha carteira. E a dica é que você faça o mesmo.

Para evitar problemas futuros, é fundamental que o investidor preste atenção em alguns aspectos como segurança, reputação, diversidade de produtos oferecidos, além de possibilidades que o site ou o home broker oferecem em termos de ferramentas. Por isso, montei uma listinha com os pontos mais interessantes na hora de selecionar a sua favorita.

As minhas preferidas são as corretoras independentes. Isso porque como as instituições associadas aos grandes bancos precisam bater metas, por vezes elas oferecem produtos com pouca rentabilidade e altas taxas. Além disso, as independentes costumam ter uma oferta maior de investimentos para que você escolha.

Em termos de variedade de produtos, as plataformas mais completas são as das corretoras Ativa, Guide, Genial, XP e BTG, segundo levantamento que fiz. Elas oferecem desde Certificados de Crédito Bancário (CDBs) até Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), além de fundos de investimento de terceiros e Certificados de Operações Estruturadas (COEs). A vantagem é que também costumam ter taxas e valores iniciais de investimento diferentes e voltados para vários perfis, além de possuir ferramentas mais aprimoradas que ajudam na análise e montagem de gráficos.

Uma questão a ser considera é onde está o investimento que você procura. Há alguns fundos bem interessantes que são oferecidos unicamente em plataformas das próprias corretoras como o fundo DI do BTG Pactual Digital com aplicação inicial de R$ 500 e taxa de administração de 0,09% ao ano. Há também o fundo de ouro da Órama, que possui taxa de administração baixa de 0,60% ao ano e investimento inicial a partir de R$ 1 mil.

Para os iniciantes, as melhores plataformas são as da Easynvest, Rico e do Banco Inter porque possuem ferramentas mais básicas para gerar gráficos e analisar a rentabilidade. No caso da Easynvest, há opções interessantes de CDBs com investimento inicial a partir de R$ 1.000 e rentabilidade acima de 100%. A Rico, por sua vez, também oferece CDBs com investimento a partir de R$ 1.000.

Já a plataforma do Banco Inter é uma das minhas preferidas, por conta da oferta de CDBs com liquidez diária, rentabilidade de 100% do CDI e investimento a partir de R$ 100. Além disso, há LCIs com investimento inicial igual e rendimento de até 98% do CDI. Lembrando que a última aplicação financeira está isenta de Imposto de Renda.

Quer pagar quanto?

Como as taxas costumam ser diferentes, montei uma tabela com os valores cobrados na hora de aplicar o seu dinheiro nas 10 maiores corretoras. Veja agora quanto que você irá gastar para realizar cada uma das operações:

Todas as corretoras analisadas isentam o investidor de pagar uma taxa de administração do Tesouro Direto, além dos 0,3% pagos à B3 anualmente. No caso das taxas de custódia, a corretora Necton oferece isenção do pagamento apenas para investidores que realizam o mínimo de duas operações por mês.

Já a Ágora e a Socopa só não cobram a taxa se você fizer uma operação mensalmente. A Ativa e a Genial, por sua vez, oferecem isenção para clientes com patrimônio a partir de R$ 50 mil, e para investidores que realizarem pelo menos R$ 59 em corretagem nos seis últimos meses, respectivamente.

Um ponto de destaque é a taxa de corretagem cobrada na compra e venda de ações. Segundo a tabela, é possível perceber que há corretoras no mercado que isentam o investidor desse tipo de cobrança, como o Banco Inter e Clear, o que diminui bastante os custos na hora de operar ações. Outra dica para ter menos gastos com esse tipo de operação é buscar casas que usam corretagem padrão, o que evita surpresas porque o investidor sabe o valor exato que irá gastar.

Maiores reclamações

Quando o assunto é insatisfação dos clientes, as três queixas mais frequentes são:

  1. ofertas irregulares (indícios de esquemas como pirâmide financeira, suposto exercício de atividades não autorizadas como consultoria, análise etc);
  2. problemas com a intermediação de valores mobiliários (queixas contra a atuação de corretoras, distribuidoras);
  3. impasses com fundos de investimento por conta de irregularidades na administração dos ativos e problemas com o atendimento.

Os dados são do Boletim de Atendimento ao Público 2017, divulgado neste ano pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O relatório também mostra que as três instituições intermediárias com maior número de queixas são a XP Investimentos com 27 reclamações, seguida pela Rico Corretora com 8 e pela Mirae Asset com 6, como mostra a tabela abaixo. Vale lembrar que a XP e Rico são algumas das corretoras com mais clientes.

Sem dor de cabeça

Eu confesso que nunca tive muito problema, mas ao aplicar o seu dinheiro na corretora, você deve olhar se a custódia está centralizada na Bolsa. Como os ativos de renda fixa e variável estão no CPF do investidor, caso queira, basta transferir a custódia para outro intermediador. Logo, se você se arrepender e quiser trocar de corretora, não há nenhum problema.

Para aumentar a segurança das operações, as instituições de credibilidade ainda possuem certificados digitais. Ao abrir a conta, verifique se a escolhida detém selos de órgãos como Cetip, Anbima ou da própria B3.

Caso a corretora cometa alguma irregularidade, fique tranquilo. A Bolsa possui o Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP) que oferece uma garantia ao investidor no valor de até R$ 120 mil, em caso de prejuízo. Desde de terça-feira (19), é possível fazer todo o processo pela plataforma digital do órgão.

A única preocupação adicional que o investidor deve ter é em deixar dinheiro parado na conta da corretora. Isso porque se a intermediadora falir, há uma chance de que você não receba o seu dinheiro de volta. Logo, tenha atenção, mas não deixe de aproveitar a opção de testar várias opções antes de escolher.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Sopa de letrinhas

Entenda como funciona o rating, a nota de crédito dos países e das empresas

A avaliação sobre a capacidade financeira de países e empresas de uma maneira padronizada serve para que os investidores conheçam o nível de risco a que estão se expondo na hora de comprar títulos de dívida. Eu conto para você o conceito que está por trás dessas notas

De olho na economia

Armínio Fraga vê ‘obscurantismo’ e ambiente ‘envenenado’ como entraves à economia

Fraga destacou que o Brasil nunca investiu tão pouco na sua história e que para destravar o investimento será preciso dar mais clareza em áreas que vão além da econômica, como “temas de natureza distributiva”

Novidades à vista?

Petrobras negocia potencial consórcio para leilão de pré-sal, diz presidente

Muitas das maiores petroleiras do mundo, entre elas ExxonMobil, Royal Dutch Shell e BP, além da própria Petrobras, estão registradas para participar da disputa, marcada para 6 de novembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

As duas faces do dólar

No filme “As duas faces de um crime”, o eterno canastrão Richard Gere faz o advogado oportunista que defende um jovem acusado de assassinato. A coisa complica quando ele descobre que o garoto interpretado por Edward Norton sofre de múltiplas personalidades. Eu me lembro do filme toda vez que tento encontrar alguma explicação para o […]

Na gringa

Campos Neto: O que foi prometido está sendo entregue

Em encontros no exterior, presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, passa a mensagem de que existe um plano de reinvenção do país com dinheiro privado

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: O cabo de guerra no PSL

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Situação delicada

Papéis da Boeing caem 7% em NY com notícia de que companhia pode ter “enganado” FAA

De acordo com o periódico, o piloto Mark Forkner teria reclamado que o sistema conhecido como MCAS, na sigla em inglês, o teria deixado em apuros dois anos antes dos acidentes que tiraram a vida de várias pessoas

Boas novas

Ações da Eletrobras sobem após MME dizer que pode encaminhar PL sobre privatização da empresa até início de novembro

De , a proposta do governo federal para a privatização da Eletrobras ainda é a capitalização, com a diluição da participação da União na holding elétrica

nos eua

Reservas são vistas como seguro e não se fala em mudar isso, diz presidente do BC

Campos Neto mencionou que o que se lê sobre os altos custos para se manter as reservas internacionais no Brasil “não é a realidade” e que nos últimos 15 anos, os custos se igualaram às receitas

no velho continente

Há ‘sinais leves’ de supervalorização dos mercados, diz presidente do Banco Central Europeu

Draghi destaca ainda que o setor financeiro não bancário da zona do euro continua tomando risco, mas pontua que a resiliência do setor bancário permanece “sólida”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements