Menu
2019-04-04T08:41:06+00:00
Com saída da Ford

Caoa manifesta interesse na fábrica da Ford no ABC

No fim da tarde, o grupo Caoa, que já tem parcerias com a Hyundai e a Chery, confirmou que está olhando o ativo. A busca de um novo projeto para a fábrica poderia salvar 4,5 mil empregos diretos e indiretos

27 de fevereiro de 2019
7:09 - atualizado às 8:41
Ford, Fábrica da Ford
Fábrica da Ford - Imagem: Bruno Rocha/Estadão Conteúdo

A tentativa de encontrar uma saída para o encerramento da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, mobiliza várias frentes de atuação de governo e sindicatos.

Nessa terça-feira, 26, o governador João Doria anunciou que três grupos teriam interesse em assumir a unidade que a montadora americana pretende fechar ainda em 2019.

No fim da tarde, o grupo Caoa, que já têm parcerias com a Hyundai e a Chery, confirmou que está olhando o ativo. A busca de um novo projeto para a fábrica poderia salvar 4,5 mil empregos diretos e indiretos.

Em nota, a Caoa disse que tem “forte parceria” com a Ford há quatro décadas, por ser a maior distribuidora da marca na América Latina.

“Dessa forma, é natural que a Caoa e a Ford conversem sobre futuros negócios, assim como ocorre com outras empresas sempre que há uma boa oportunidade”, diz o comunicado. A empresa ressalvou, porém, que até o momento “não há nenhuma definição ou compromisso para a aquisição da planta”.

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, disse estar disposto a conceder incentivos fiscais para atrair o comprador para a fábrica. Uma das possibilidades é oferecer descontos no Imposto Sobre Serviços (ISS). A cidade já concede abatimentos de até 30% no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para quem gerar e manter acima de 50 novas vagas.

Viabilidade

Em paralelo à busca por novos interessados na fábrica, dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC confirmaram que, no dia 7, serão recebidos por executivos da matriz, nos EUA, e vão apresentar um plano de viabilidade da fábrica. Ontem, 26, sob forte chuva, os trabalhadores da unidade fizeram uma assembleia em frente aos portões da Ford.

Em discurso, o presidente do sindicato, Wagner Santana, disse que os trabalhadores não querem fazer papel de corretor de imóvel para vender a fábrica, mais sim mostrar à matriz que a planta é viável. Os operários esperam que se repita o ocorrido em 1998, quando a Ford anunciou 2,8 mil demissões. Na época, após reunião na matriz, a decisão foi suspensa. Cortes ocorreram ao longo dos meses seguintes, por meio de programa de voluntariado (PDV).

Depois da assembleia, os trabalhadores percorreram mais de 8 km até a Prefeitura de São Bernardo. Santana criticou a aprovação, no Programa Rota 2030 no fim do governo Temer, da extensão de incentivos fiscais para a Ford na Bahia. “Os incentivos aprovados e renovados para o Nordeste determinaram o fechamento dessa planta.”

A montadora quer concentrar a produção na fábrica baiana, pois alega que ela é mais produtiva e mais lucrativa. É lá que são feitos atualmente os modelos Ka e EcoSport, os mais vendidos da marca, enquanto no ABC são feitos caminhões - segmento em que o grupo vai deixar de atuar - e o Fiesta, que sairá de linha. Santana afirmou ainda que, até o dia 7, serão realizados vários protestos dentro e fora da fábrica, que continuará com a produção paralisada.

A Ford alega necessidade de voltar ao lucro sustentável na América do Sul, onde registrou prejuízos de US$ 4,5 bilhões entre 2013 e 2018. O Brasil é o maior mercado da marca na região. O grupo passa por reestruturação global e ontem também houve protesto de trabalhadores da fábrica de engrenagens na França, que tem 800 funcionários e também será fechada.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mais magrinha

Petrobras negocia venda de participações em áreas onde descobriu gás em SE

Como o foco do seu plano de negócios atualmente é o pré-sal, localizado na região Sudeste do País, o investimento em outras áreas, como em Sergipe, está atrelado à adoção de soluções financeiras que não comprometam o orçamento da companhia e também não gerem mais dívida

EUA x China

Qual o custo da guerra comercial? Para a Huawei, serão US$ 30 bilhões a menos em receita

O presidente da Huawei, Ren Zhengfei, passou estimativas quanto aos impactos que a guerra comercial trará para a empresa. E tanto a receita quanto as vendas internacionais de smartphones serão fortemente afetadas

Grave crise

Odebrecht pode fazer pedido de recuperação judicial nesta segunda-feira

Com dívida de R$ 80 bilhões e com execuções em curso, a empresa está sem alternativas para resolver seu problema de liquidez financeira

em busca da previdência perfeita

Guedes quer ajustar relatório da reforma

Ministro vai buscar negociar ajustes no relatório da reforma da Previdência com o relator da proposta, deputado Samuel Moreira; o relator e o secretário Especial de Previdência, Rogerio Marinho, já conversaram informalmente neste fim de semana

Boas novas!

Nubank levanta R$ 375 milhões para financiar expansão e emplaca captação inédita

A fintech estreou a nova modalidade com uma oferta de R$ 75 milhões e que atraiu cinco investidores institucionais. Na mesma operação, o Nubank captou outros R$ 300 milhões via letras financeiras sênior

em busca do primeiro bilhão

Como Rihanna se tornou a artista feminina da música mais rica do mundo

Cantora pop acumulou uma fortuna de US$ 600 milhões, mas para isso ela teve de investir mais do que em música

segue o jogo

Caso Levy não atinge a Câmara, diz Rodrigo Maia

Maia fez o comentário em entrevista à emissora BandNews ao ser questionado sobre o pedido de demissão do agora ex-presidente do BNDES Joaquim Levy

Cortar ou não cortar?

Ex-diretores do BC se dividem sobre juros

Os que defendem ao menos um aceno ao corte no comunicado dão ênfase à avaliação da modelagem que considera a longa permanência da taxa de desemprego elevada e a ociosidade da economia

No vermelho

Economia parada deixa brasileiro refém das dívidas

Início de ano costuma ser um período de aperto no orçamento por causa do acúmulo de contas a pagar, mas neste ano o movimento está mais forte por causa da estagnação da economia

direto do posto

Etanol recua em 17 Estados e no DF, diz ANP; preço médio cai 0,80% no país

Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP houve recuo de 0,80% no preço médio do etanol na semana passada ante a anterior, de R$ 2,859 para R$ 2,836.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements