🔴 QUER SAIR DO ALUGUEL? NÃO USE O FGTS PARA FINANCIAR O IMÓVEL – CONHEÇA ESTA ESTRATÉGIA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Eleição parlamentar

Com elevado comparecimento às urnas, eleições legislativas na França devem impulsionar a extrema-direita no país

Partido de Marine Le Pen deve ficar com um terço das cadeiras da câmara baixa do parlamento, enquanto aliança liderada pelo presidente Emmanuel Macron deve ficar num distante terceiro lugar

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
30 de junho de 2024
18:58 - atualizado às 7:22
Emmanuel Macron, presidente da França
Presidente da França, Emmanuel Macron, convocou eleições legislativas após perda de apoio no pleito para o Parlamento Europeu. Imagem: Shutterstock

Com elevado índice de comparecimento às urnas, as eleições legislativas na França, realizadas neste domingo (30), devem impulsionar a extrema-direita no país.

De acordo com pesquisas recentes, a liderança neste primeiro turno do pleito deve ficar com o partido Reunião Nacional (RN), de Marine Le Pen, que tem boas chances de ganhar uma maioria na câmara baixa do parlamento pela primeira vez.

A estimativa é de que o RN leve um terço dos votos para as 577 cadeiras da Assembleia Nacional no primeiro turno, quase o dobro dos 18% em 2022, segundo agências de sondagem francesas.

As pesquisas indicam ainda que os partidos de centro, liderados pelo presidente francês Emmanuel Macron, devem terminar em um distante terceiro lugar na votação do primeiro turno, ficando atrás da nova coligação de partidos de esquerda, chamada Nova Frente Popular, que inclui socialistas, comunistas, verdes e a extrema-esquerda.

Macron convocou as eleições há três semanas depois que o pleito para o Parlamento Europeu demonstrou redução drástica de apoio ao seu partido e uma forte ascensão do RN, de Le Pen.

O presidente francês pediu que os eleitores se unissem contra a extrema-direita no segundo turno da votação, enquanto Le Pen pediu aos eleitores que dessem ao RN uma "maioria absoluta", o que permitiria ao partido formar um novo governo, elevando seu presidente, Jordan Bardella, ao posto de primeiro-ministro.

As eleições em dois turnos terminam em 7 de julho e têm potencial para impactar os mercados financeiros europeus, o apoio do Ocidente à Ucrânia e a gestão do arsenal nuclear e da força militar global da França.

Participação elevada dos eleitores franceses

A participação dos eleitores nestas eleições tem sido particularmente elevada. Com 49,5 milhões de eleitores registrados, a França teve um índice de 59% de comparecimento às urnas até três horas antes do fechamento da votação, 20 pontos percentuais acima do mesmo período no primeiro turno de 2022.

Muitos eleitores franceses têm se mostrado frustrados com a inflação e a economia em geral, bem como com a liderança de Macron. O RN assim se aproveitou deste descontentamento, principalmente por meio das redes sociais, e liderou as pesquisas de opinião pré-eleitorais.

Já a esquerda reunida na coligação Nova Frente Popular, que deve ficar em segundo lugar em número de cadeiras no parlamento, promete reverter a reforma da previdência que elevou a idade de aposentadoria para 64 anos, entre outras reformas econômicas.

Com Estadão Conteúdo e Associated Press.

Compartilhe

ELEIÇÕES NOS EUA

Kamala Harris usa passado como promotora para se contrapor a Trump e seus problemas com a justiça — e já aparece em vantagem em pesquisa

24 de julho de 2024 - 10:31

Pesquisa Reuters/Ipsos mostra Kamala Harris com 2 pontos de vantagem sobre Donald Trump no voto popular, mas não é ele que decide a eleição

TROPA NA RUA

Acabou para Maduro? Venezuela vive dias “quentes” antes de eleição que será teste de fogo para o chavista

23 de julho de 2024 - 19:58

Faltando poucos para a eleição de domingo (28), o presidente venezuelano trabalha mais arduamente do que nunca para reforçar a lealdade das Forças Armadas

KAMALAMANIA?

Kamala Harris já dispõe de apoio suficiente entre os democratas, mas ainda tem um caminho a percorrer até ser a candidata oficial do partido

23 de julho de 2024 - 10:42

Candidatura de Kamala Harris precisa ser ratificada pelos delegados do Partido Democrata, o que só deve acontecer em agosto

"EU TE AMO"

Discurso inesperado: Biden fala pela primeira vez após desistência; Harris também se pronuncia

22 de julho de 2024 - 19:57

Biden convocou uma reunião de campanha para agradecer à sua equipe pelo trabalho árduo e para reforçar o apoio à campanha presidencial de Harris

WOMAN POWER

É histórico: Kamala Harris arrecada mais de US$ 100 milhões para o partido menos de 24 horas após Biden desistir da reeleição

22 de julho de 2024 - 19:02

A possibilidade de a vice presidente dos EUA se tornar a candidata democrata canaliza uma enorme quantidade de recursos para os democratas enfrentarem Trump em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

A euforia com Trump vai durar? Os 5 fatores que podem fazer a onda vermelha se tornar um tsunami sobre os mercados

22 de julho de 2024 - 18:46

O estrategista-chefe do UBS Investment Bank listou os pontos de atenção para os investidores em caso de vitória do republicano em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

Como Kamala Harris pode complicar a vida de Donald Trump na disputa pela Casa Branca

22 de julho de 2024 - 10:06

Ao desistir da reeleição, Joe Biden endossou candidatura de sua vice, Kamala Harris, à presidência dos Estados Unidos

ELEIÇÕES NOS EUA

Não deu para Biden: presidente dos EUA cede à pressão e desiste da reeleição — saiba o que acontece daqui para frente 

21 de julho de 2024 - 15:44

No que depender de Biden, sua vice Kamala Harris deve ser o nome do partido para enfrentar Donald Trump nas urnas em 5 de novembro; Trump se manifesta sobre a desistência

ATUALIZANDO O PORTFÓLIO

Por que Warren Buffett decidiu vender US$ 1,48 bilhão em ações de um bancão norte-americano

20 de julho de 2024 - 17:48

A Berkshire Hathaway vendeu cerca de 33,9 milhões de ações desta instituição financeira em diversas transações nesta semana

MELHORES MOMENTOS GIRO DO MERCADO

Trump mais vivo do que nunca: os impactos no dólar, cripto e juros — e os principais riscos da provável vitória do republicano 

19 de julho de 2024 - 18:14

Donald Trump saiu do atentado do último sábado mais vivo do que nunca. Agora, se já não era antes, o republicano é o nome mais forte na corrida e provavelmente voltará a ocupar a Casa Branca — e os mercados já estão tentando prever os impactos disso.  A percepção de que o ex-presidente saiu ganhando […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar