🔴 RENDA MÉDIA DE ATÉ R$238,02 POR DIA COM APENAS 4 CLIQUES – SAIBA COMO

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
COM A PALAVRA, O CHEFE DO BC

Qual o futuro dos juros no Brasil? Campos Neto dá pistas sobre a trajetória da taxa Selic daqui para frente

O presidente do banco central falou sobre a inflação, o mercado de trabalho e sobre a trajetória da economia durante entrevista para a CNBC

Carolina Gama
17 de abril de 2024
20:03 - atualizado às 8:57
Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central; o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne a cada 45 dias para definir a taxa básica de juros da economia, a Selic
Imagem: Raphael Ribeiro/BCB

Os investidores precisam esperar um pouco menos de um mês para saber o futuro dos juros no Brasil — o Comitê de Política Monetária (Copom) só volta a se reunir nos dias 7 e 8 de maio para definir o novo patamar da Selic, hoje em 10,75% ao ano. 

Depois de seis cortes seguidos da taxa básica, na última decisão, em 20 de março, o banco central fez uma mudança no comunicado que colocou em xeque a possibilidade de mais reduções dos juros ao longo de 2024. Entenda os detalhes dessa decisão.  

Nesta quarta-feira (17), o presidente do BC, Roberto Campos Neto, deu uma entrevista à rede CNBC no âmbito dos encontros promovidos pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington, e jogou um pouco de luz sobre o futuro da política monetária no Brasil. 

Com a palavra, Campos Neto

Campos Neto abriu a entrevista falando da inflação. O chefe do BC brasileiro falou que o primeiro mês de 2024 trouxe um susto, com o aumento dos preços dos alimentos. 

“O aumento de preços dos alimentos no primeiro mês do ano trouxe muita preocupação para o governo, mas acreditamos que essa pressão tenha sido sazonal”, afirmou. 

Logo depois viria um recado sobre o que pode acontecer com os juros daqui para frente: “A última leitura da inflação veio abaixo do esperado e essa é uma tendência que deve se manter. Vemos um período de inflação indo para baixo”. 

A inflação oficial do país, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desacelerou para 0,16% em março, de 0,83% em fevereiro e de 0,71% em março de 2023. Com o resultado, o IPCA acumula taxa de 1,42% no ano e de 3,93% em 12 meses, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Campos Neto, no entanto, chamou atenção para a inflação de serviços no Brasil. “Um dos fatores que ainda não convergiram é a inflação de serviços, que segue alta porque o mercado de trabalho está apertado”, disse ele, acrescentando que “de forma geral, a inflação está em linha com o que esperamos”.

CAMPOS NETO CORTOU A 'LETRINHA MÁGICA': E AGORA, ONDE OS JUROS VÃO PARAR? 

A última milha da inflação

Campos Neto disse que a "última milha" no combate à inflação, ao fim do dia, tem processos similares em diferentes lugares. 

"Em muitos lugares tem havido processo desinflacionário acompanhado por pleno emprego, uma combinação que não ocorre com muita frequência", disse. "Todos estão tentando compreender como será essa 'última milha'", acrescentou.

"O mercado de trabalho continua apertado e ainda há muitos estímulos fiscais por aí. Muitos lugares estão olhando para as mesmas variáveis", disse. 

"No caso do Brasil, eu diria que tivemos um resultado melhor na mais recente leitura de inflação. E dada a história, a tradição de inflação que se tem no País, conseguimos uma razoável convergência, com muito pouco custo para a sociedade", acrescentou.

O chefe do BC lembrou ainda que o crescimento econômico tem sido revisado para cima, os mercados de crédito estão voltando a se expandir e que o mercado de trabalho vai bem — e a inflação, ainda assim, está convergindo para a meta.

Os juros no Brasil

Campos Neto ainda mandou um recado para os investidores que avaliam a possibilidade de fim do ciclo de corte de juros no Brasil.

O presidente do Banco Central disse que se olha muito para as taxas nominais e para as taxas de juros reais, mas é preciso levar em conta o fato de a taxa de juros neutra — aquela que não aquece e nem esfria a economia — no Brasil, ser mais alta.

"E para a política monetária, não importa a taxa real que se tem, mas a diferença entre a taxa de juros neutra e a taxa de juros real no momento", afirmou.

"Quando olhamos para isso, nosso gap, nossa diferença é maior do que a se tem na maioria dos países da América Latina. E por que isso? Porque nossa taxa de juros neutra é mais alta do que a da maioria dos outros países", disse.

Compartilhe

APÓS TRAGÉDIA

Com proposta de “arroz estatal”, governo autoriza importação de até 300 mil toneladas; veja a quanto o grão vai chegar à sua mesa

29 de maio de 2024 - 10:31

O executivo autorizou a importação até um milhão de toneladas do cereal beneficiado, com liberação de crédito extraordinário da União de R$ 7,2 bilhões

ANOTE NA AGENDA

A B3 vai abrir no dia de Corpus Christi? Confira o funcionamento da bolsa, dos bancos, dos Correios e do transporte público nesta quinta-feira

29 de maio de 2024 - 8:59

O feriado de Corpus Christi é ponto facultativo em todo o país e pode afetar o funcionamento dos principais serviços públicos. Em São Paulo, feriadão conta ainda com dois grandes eventos: a Marcha para Jesus e a Parada LGBT+

NA CALADA DA NOITE

Atenção cliente da Shein, AliExpress e Shopee: Câmara aprova projeto que taxa suas “comprinhas” internacionais em 20%

29 de maio de 2024 - 7:52

Além disso, há um limite de US$ 3 mil para as remessas, segundo o parecer do relator, o deputado Átila Lira (PP-PI)

LOTERIAS

Lotofácil deixa gostinho de ‘quero mais’; Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 80 milhões

29 de maio de 2024 - 5:51

Seis apostas vão dividir o prêmio principal do concurso 3115 da Lotofácil, mas não convém reclamar da sorte; Caixa já está recebendo apostas para Quina de São João

UMA NO CRAVO, OUTRA NA FERRADURA

FMI piora projeção para o PIB do Brasil em 2024 e melhora para 2025, mas impacto das chuvas no RS ainda não está na conta

28 de maio de 2024 - 11:58

FMI apresentou revisão de projeções para o PIB do Brasil em documento divulgado nesta terça-feira

LOTERIAS

Bolão fatura o primeiro prêmio da Lotofácil na semana; Mega-Sena corre hoje valendo R$ 75 milhões

28 de maio de 2024 - 5:40

Enquanto Lotofácil justifica mais uma vez a fama de loteria menos difícil da Caixa, já é possível apostar na Quina de São João

mercado imobiliário

Minha Casa Minha Vida aumenta vendas e lucros da construção civil

27 de maio de 2024 - 19:25

Dados são de pesquisa elaborada pela CBIC sobre o 1º trimestre de 2024

política monetária

Não há pressão grande para Fed cortar juros nos EUA, afirma Campos Neto

27 de maio de 2024 - 17:34

Para ele, apesar dos juros altos, economias do mundo estão surpreendendo para cima

ASTRONÔMICOS

Bancos estão descumprindo a lei? Juro rotativo do cartão sobe para 423,5% ao ano — mesmo após Congresso limitar taxas a 100% 

27 de maio de 2024 - 13:13

As taxas apresentadas pelo BC podem sugerir, portanto, que os bancos estejam descumprindo a lei, mas o que acontece é apenas um registro estatístico

Conteúdo Empiricus

Como ‘travar’ um retorno real de 7% ao ano até 2042? Confira lista de ativos que podem se beneficiar do 2º maior juro real do mundo

27 de maio de 2024 - 10:00

Juro real do Brasil chega aos 6,54% e abre oportunidade para os investidores buscarem retornos reais de 7% ao ano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar