🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
FIIs DO MÊS

Três fundos imobiliários do “clube do bilhão” são os mais recomendados para o mês; confira os FIIs favoritos de 11 corretoras

O trio de favoritos de fevereiro encomendou ofertas bilionárias na bolsa para preparar os cofres e aproveitar oportunidades no mercado

Larissa Vitória
Larissa Vitória
8 de fevereiro de 2024
15:13 - atualizado às 14:23
Selo Melhores Fundos Imobiliários 2 | Fundo Imobiliário Bresco Logística BRCO11 FIIs Magazine Luiza Fundo Imobiliário
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

As perspectivas são boas para o mercado imobiliário neste ano. Com os juros caindo, o setor deve se aquecer e permitir que os fundos imobiliários de tijolo — que investem em ativos reais como escritórios, shoppings e galpões logísticos — ampliem ainda mais os portfólios ou invistam em melhorias nos ativos que já estão na carteira.

Mas, para isso, é preciso ter dinheiro em caixa, e os três FIIs mais recomendados para este mês já trataram de encomendar ofertas bilionárias para preparar os cofres para aproveitar as possíveis oportunidades na indústria.

O campeão de indicações de fevereiro, por exemplo, BTG Pactual Logística (BTLG11) anunciou no final de janeiro uma emissão de cotas que deve movimentar cerca de R$ 1,2 bilhão. E isso considerando apenas o montante inicial — caso o lote adicional entre em jogo, a cifra pode subir para R$ 1,5 bilhão.

O fundo, que apareceu entre os favoritos de cinco das 11 corretoras consultadas pelo Seu Dinheiro, tem planos para o dinheiro: expandir um portfólio que já está entre os 15 maiores de toda a indústria de FIIs. 

O BTLG11 já tem até alguns alvos na mira. Segundo o prospecto da operação, a gestão está atualmente em processo de “auditoria avançada” para comprar três ativos localizados em São Paulo que custarão R$ 800 milhões.

Os outros dois FIIs que completam o pódio dos analistas, com quatro recomendações cada, também movimentam cifras altas com emissões de cotas. O XP Malls (XPML11) levantou um R$ 1 bilhão no início desta semana, enquanto o VBI Prime Properties (PVBI11) quer captar R$ 800 milhões com uma oferta que deve ser liquidada no mês que vem.

Te contamos os detalhes sobre cada uma das operações abaixo, mas, antes disso, confira todos os fundos imobiliários (FIIs) que formam o ‘top 3’ das corretoras em fevereiro:

*Entendendo o FII do Mês: Todos os meses, o Seu Dinheiro consulta as principais corretoras do país para descobrir quais são suas apostas para o período. Dentro das carteiras recomendadas, normalmente com até 10 fundos imobiliários, os analistas indicam os seus três prediletos. Com o ranking nas mãos, selecionamos os que contaram com pelo menos duas indicações.

O que está na mira do BTG Pactual Logística (BTLG11)

O patrimônio líquido do BTG Pactual Logística já está entre os 10 maiores da B3, com mais de R$ 3 milhões. E essa cifra deve crescer ainda mais com a oferta que deve ser liquidada ainda este mês.

Para a Empiricus, caso o pipeline listado — e formado pelos três ativos já citados acima — se concretize, o fundo deve ultrapassar o patamar de 1 milhão de metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL).

Com isso, ainda segundo a casa de análise, o FII deve se consolidar “como um dos maiores players logísticos do estado de São Paulo, região dominante no segmento”.

Além da oferta de cotas, o BTLG11 também garantiu mais dinheiro para o caixa no mês passado com a venda de sua participação de um imóvel localizado em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo.

O negócio renderá R$ 212,5 milhões por uma fração de 25% do ativo, que ainda está em desenvolvimento no terreno onde funcionava a fábrica da Ford no ABC Paulista até 2019. 

Considerando o atual estágio do projeto, o FII calcula que gastou R$ 176,3 milhões com o projeto. A gestão explica que a tese de investimento inicial incluía a expectativa de desenvolvimento e apreciação de um complexo logístico no local.

"No entanto, devido às condições adversas de mercado ao longo dos últimos anos, decorrentes especialmente dos efeitos do aumento da taxa de juros, e sensível elevação dos custos de construção, a gestora vislumbrou na alienação do ativo uma oportunidade de melhor destinação dos recursos e distribuição de lucro para seus cotistas", destaca o BTLG11.

A oferta feita pelo comprador representa um ganho de capital de 20,5%. Assim, o lucro com a venda deve ser de cerca de R$ 1,27 por cota.

ONDE INVESTIR EM FEVEREIRO: AÇÕES, DIVIDENDOS, FIIS, BDRS E CRIPTOMOEDAS - MELHORES INVESTIMENTOS

As medalhas de prata entre os fundos imobiliários

O segundo destaque do mês, VBI Prime Properties (PVBI11), é outro FII que foi ao mercado já com objetivos claros traçados pela gestão: levantar recursos para adquirir novos ou aumentar a participação em imóveis de alta qualidade construtiva e em localizações privilegiadas para o mercado de escritórios.

Parte do valor captado — que pode chegar a R$ 1 bilhão caso o fundo utilize o lote adicional de sua emissão de cotas — deve ser destinado às negociações para a compra do Edifício Faria Lima 4.440, localizado no centro financeiro de São Paulo.

O PVBI11 já é dono de 50,5% do prédio e quer comprar os outros 49,5% de outro fundo, o VBI TR Faria Lima 4440 (FLFL11). Porém, como ambos os fundos são geridos pela mesma gestora, a VBI, a transação apresenta um potencial conflito de interesse.

Vale destacar que os cotistas do PVBI11 liberaram no ano passado a compra de cotas de outros FIIs geridos pela VBI, mas uma nova assembleia geral de investidores de ambos os fundos pode ser necessária.

O pipeline do VBI Prime Properties inclui ainda outros três ativos. Dois deles estão localizados na região da Faria Lima, enquanto outro fica nos Jardins, uma das áreas mais nobres da capital paulista. Confira os detalhes: 

Fonte: PVBI11

Por fim, a segunda medalha de prata de fevereiro foi para o XP Malls (XPML11), um fundo de shoppings que completou recentemente sua décima emissão de cotas e captou o valor máximo pretendido — R$ 1 bilhão.

Vale relembrar que o FII já havia levantado outros R$ 562 milhões com uma oferta concluída há pouco mais de seis meses, em agosto do ano passado. 

Segundo a Empiricus, a gestão tem aproveitado o dinheiro e o momento aquecido para o segmento de shoppings para adquirir novos ativos a cap rates — ou taxas de capitalização — acima do portfólio atual, além de aprimorar a estrutura de capital por meio do pagamento de dívidas.

Outro ponto positivo é que, na visão da casa de análises, o XPML11 negocia a preços atrativos na bolsa de valores: “Mesmo após a alta de 1,2% de suas cotas em janeiro, acreditamos que o seu atual patamar de preço apresenta um upside convidativo.”

Compartilhe

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa vai na contramão do exterior e fecha em queda, aos 129 mil pontos; dólar avança a R$ 4,99

23 de fevereiro de 2024 - 7:22

RESUMO DO DIA: O Ibovespa terminou a sessão desta sexta-feira (23) na contramão dos mercados globais, com um recuo de 0,63%, aos 129.418 pontos. Por sua vez, o dólar acelerou os ganhos e encerrou o dia em alta de 0,81%, negociado a R$ 4,9930 no mercado à vista. O principal índice da B3 até operou […]

APÓS CANETADA DO GOVERNO

Gestora do MXRF11 diz que fundos imobiliários de papel podem lucrar com as novas regras de CRIs

22 de fevereiro de 2024 - 14:10

Uma resolução do CMN lançada neste mês restringiu as regras para emissão dos títulos, o que tem criado oportunidades de ganho para FIIs, segundo a XP

MINERAÇÃO

Horas antes de balanço e possível definição sobre CEO, Vale (VALE3) anuncia compra de 15% de subsidiária da Anglo American no Brasil por R$ 776 milhões

22 de fevereiro de 2024 - 10:34

Vale divulgará os resultados do quarto trimestre de 2023 depois do fechamento do pregão desta quinta-feira

DÉBITO OU CRÉDITO

Minoritários querem que Bradesco e BB paguem (bem) mais para fechar o capital da Cielo (CIEL3)

22 de fevereiro de 2024 - 9:29

Gestoras que possuem 10% do capital da Cielo avaliam que Bradesco e Banco do Brasil deveriam pagar até 61% a mais pelas ações da empresa

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa fecha em leve alta, com pressão de Weg (WEGE3) e Petrobras (PETR4); dólar sobe a R$ 4,95

22 de fevereiro de 2024 - 7:33

RESUMO DO DIA: O otimismo dos mercados internacionais contagiou a bolsa brasileira nesta quinta-feira (21) — e tudo por conta do balanço da Nvidia. Com a ajuda da gigante dos chips de inteligência artificial, o Ibovespa pegou o embalo de Nova York e encerrou o dia em alta de 0,16%, aos 130.240 pontos. Enquanto isso, […]

VEJA QUAL

Adeus, Nubank: Itaú BBA tira fintech da carteira Top 5 e coloca ações de outro banco no lugar

21 de fevereiro de 2024 - 15:29

Os analistas ainda gostam da tese do banco digital, mas preferiram realizar lucro e buscar uma opção mais defensiva para o cenário atual

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa fecha em alta e atinge os 130 mil pontos após alívio em Wall Street; dólar sobe a R$ 4,93

21 de fevereiro de 2024 - 7:24

RESUMO DO DIA: Até poucos minutos antes do fechamento dos mercados, era quase certo que a sessão desta quarta-feira (21) terminaria tingida de vermelho. Mas nos 45 minutos do segundo tempo, a bolsa brasileira conseguiu inverter a trajetória e marcar um tímido avanço. O Ibovespa encerrou em leve alta de 0,09%, aos 130.031 pontos. Por […]

O CÉU É O LIMITE

Ouro a US$ 3 mil? Essa realidade está próxima, segundo um bancão de Wall Street — e o Brasil tem “culpa” nisso

20 de fevereiro de 2024 - 18:59

O Citi analisou o mercado global e aponta os gatilhos para que o metal precioso suba 50% em cerca de um ano e o petróleo volte para os três dígitos

QUE HORAS ELE VOLTA?

Fim da seca de IPOs na B3 é questão de tempo, diz Anbima. Mas o que adiou a retomada das aberturas de capital?

20 de fevereiro de 2024 - 17:25

Queda da Selic favorece a volta dos IPOs na bolsa, mas juro nos EUA retardou movimento, de acordo com a Anbima, associação das instituições do mercado de capitais

VOTO DE CONFIANÇA?

Bradesco (BBDC4): por que este banco estrangeiro deixou de recomendar a venda das ações

20 de fevereiro de 2024 - 10:38

Ações do Bradesco (BBDC4) acumulam queda de 18% desde a divulgação dos resultados do quarto trimestre, com números muito abaixo da expectativa do mercado

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies