🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP, já passou pelo portal DCI e setor de análise política da XP Investimentos.
REVISÃO

Santander reduz projeção do Ibovespa para 145 mil pontos e muda carteira para enfrentar turbulência; veja as ações favoritas dos analistas

Mesmo com a redução da projeção em 15 mil pontos, o banco espera crescimento do Ibovespa em 13% neste ano e um retorno de 15% de lucro por ação

Liliane de Lima
20 de maio de 2024
10:59 - atualizado às 16:26
Montagem do touro dourado encarando urso dourado na frente da B3 | Ibovespa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Assim como o clima ameno de maio cedeu espaço para dias de calor à moda verão, os ventos favoráveis esperados para a bolsa brasileira mudaram a direção — e trouxe algumas turbulências.

Com a mudança de “clima” nos mercados com foco nas políticas monetárias nos Estados Unidos e no Brasil, o Santander atualizou as projeções para o Ibovespa no fim de 2024. A expectativa caiu de 160 mil para 145 mil pontos.

Mesmo com a redução da projeção em 15 mil pontos, o Santander espera crescimento do Ibovespa em 13% neste ano e um retorno (EPS) de 15% de lucro por ação.

Se a estimativa se confirmar, o principal índice da bolsa brasileira deve terminar 2024 negociado a 8 vezes o preço-lucro (P/L) — ainda abaixo da média histórica.

“Mesmo excluindo a Petrobras, a Vale e outros exportadores, acreditamos que as ações brasileiras parecem atraentes do ponto de vista de valuation”, escrevem os analistas Aline Cardoso, Luana Fontes e Guilherme Motta, que assinam o relatório.

Por fim, o banco também revisou a projeção do Produto Interno Bruto (PIB), ou seja, o crescimento da economia brasileira, de 1,8% para 2,00% em 2024.

“A atividade econômica e a inflação melhoraram, apesar da ação negativa nos preços dos ativos”, afirma Aline Cardoso, chefe de pesquisa e estratégia de ações do Santander.

Os motivos para a revisão do Ibovespa

Nos Estados Unidos, a expectativa quanto ao início do afrouxamento monetário foi adiada de maio para setembro, com a resiliência do mercado de trabalho e a desaceleração da inflação em ritmo mais lento que o antes projetado.

“Nosso cenário-base é um pouso suave para a economia dos Estados Unidos, com 65% de probabilidade. A política monetária relativamente restritiva continuará pesando sobre o crescimento, levando a uma diminuição significativa nas taxas de crescimento do emprego e da inflação no segundo semestre do ano”, afirma Aline Cardoso, do Santander.

No Brasil, a política mais restritiva da maior economia do mundo limita o espaço para cortes na taxa Selic, além da permanente incerteza sobre o cenário fiscal local — que ganhou força com a mudança na meta fiscal para o próximo ano.

O Santander também destaca que o Banco Central abandonou o guidance anterior de um corte de 0,50 ponto percentual em duas reuniões e passou a adotar uma abordagem mais flexível e dependente de dados — o que levou a uma corte de 0,25 ponto percentual em maio. Hoje, a Selic está em 10,50% ao ano.

Vale lembrar que os discursos recentes do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e a divisão do Comitê de Política Monetária (Copom) na última decisão sobre a taxa básica de juros também contribuíram para uma mudança de visão do mercado sobre o fim do ciclo de cortes na taxa Selic.

Alguns bancos e casas de análises já preveem Selic terminal na casa dos dois dígitos. Hoje, o Santander projeta a Selic a 9,75% ao ano em dezembro de 2024, abaixo dos 10,00% observados na pesquisa semanal Focus desta segunda-feira.

Ações: as (novas) apostas do Santander

Na revisão, o Santander aproveitou para mexer nas carteiras. 

De olho no sólido crescimento dos lucros e uma potencial reavaliação de valuation, o banco fez alguns ajustes em setores “para refletir o novo cenário de taxas mais altas”. 

Totvs, Localiza, Mercado Livre, Smartfit, Equatorial e Raia Drogasil são os favoritos do Santander na cesta de “compostos” — que são ações que têm capacidade de gerar um elevado crescimento em relação, lucros e fluxo de caixa, principalmente no longo prazo. 

“Embora ‘uma maré alta levante todos os barcos’, as nossas conclusões sugerem que os compostos proporcionam retornos ‘fora do comum’ durante os ciclos de redução da taxa Selic, especialmente considerando o seu perfil de risco global mais baixo”, escrevem os analistas do Santander.

O banco também aumentou a exposição à Vale (VALE3), com a melhora da perspectiva sobre a China.

No setor de petróleo, o Santander substituiu Prio (PRIO3; antiga PetroRio) por 3R Petroleum (RRRP3) — que confirmou o acordo de fusão com a Enauta (ENAT3) na semana passada.

  • Gigantes estatais têm os bastidores revelados. Ex-líderes se reúnem e “abrem o jogo” sobre experiência na Petrobras, Eletrobras e Caixa. Descubra tudo ao vivo, participando do evento “Elas Revolucionaram as Estatais” no dia 28/05.  Retire seu ingresso gratuito aqui. 

Compartilhe

APOSTAS PARA O CÂMBIO

O dólar não vai mais cair? Alckmin diz que governo tem “absoluta confiança” sobre a trajetória da moeda norte-americana

13 de junho de 2024 - 17:52

O presidente em exercício falou sobre o tema um dia após a moeda americana ter ultrapassado a cotação de R$ 5,40 pela primeira vez desde janeiro de 2023

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar fecha próximo da mínima intraday com rescaldo de Haddad sobre fiscal; Ibovespa sustenta os 119 mil pontos

13 de junho de 2024 - 17:17

RESUMO DO DIA: O cenário fiscal roubou a cena mais um vez no mercado acionário brasileiro. Se ontem foram as falas do presidente Lula que aumentaram a aversão ao risco, hoje o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ficou encarregado de ‘reduzir os danos’. Apesar dos esforços do ministro, o Ibovespa não deixou o tom negativo. […]

CAI, CAI

Fuga dos investidores? Como a B3 contribuiu para a forte queda do Ibovespa em maio; ações B3SA3 recuam 

13 de junho de 2024 - 15:59

A dona da bolsa registrou volume médio diário de negociações 8,8% menor em maio na comparação anual; Goldman Sachs mantém a recomendação

PROTEÇÃO NA CARTEIRA

O dólar já subiu 10% em 2024: essas são as 5 ações para lucrar com o real fraco, segundo o BTG Pactual

13 de junho de 2024 - 14:28

Os analistas também escolheram cinco papéis para ficar longe em meio à disparada da moeda norte-americana neste ano — duas aéreas integram essa lista

STF DECIDIU

Fim do impasse sobre remuneração do FGTS deve beneficiar as ações de construtoras de baixa renda — e o BTG Pactual diz qual é a sua favorita no segmento

13 de junho de 2024 - 13:01

Vale relembrar que o fundo é uma de suas principais fontes de recursos para o setor imobiliário

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Fed mantém juros inalterados pela sétima vez consecutiva e dólar sobe a R$ 5,40; Ibovespa cai 1% de olho no fiscal

12 de junho de 2024 - 17:21

RESUMO DO DIA: Se enganou quem achou que a decisão dos juros nos Estados Unidos seria o único destaque do dia. O cenário fiscal doméstico roubou a cena e o Ibovespa voltou ao território negativo. O principal índice da bolsa brasileira fechou em baixa de 1,40%, aos 119.936 pontos, renovando a mínima do ano e […]

FECHAMENTO DOS EUA

Inflação e juros: o combo que fez o S&P 500 e o Nasdaq saltarem para um outro recorde intradiário

12 de junho de 2024 - 17:06

De um lado, o CPI de maio veio melhor do que as projeções. De outro, o Fed manteve a taxa de juros inalterada e reduziu para um o número de cortes neste ano

REPORTAGEM ESPECIAL

Exclusivo: Controladores da Méliuz (CASH3) montam posição em opções com ações da empresa, que quer apertar “pílula de veneno”

12 de junho de 2024 - 15:22

Ações da Méliuz (CASH3) dispararam mais de 15% após empresa divulgar que pessoas ligadas ao controle “venderam opções de venda” de ações da companhia

OPERAÇÃO GREENWASHING

Como uma operação da polícia federal deve afetar os dividendos de dois fiagros com mais de 40 mil cotistas

12 de junho de 2024 - 13:26

Os proventos do AZ Quest Sole (AAZQ11) e do AZ Quest negociado na Cetip, devem ser afetados pelos desdobramentos de uma operação deflagrada na semana passada

TERREMOTO NO MERCADO

Dólar dispara a R$ 5,42 e Ibovespa atinge menor nível em um ano: o que Lula tem a ver com isso?

12 de junho de 2024 - 12:35

Declarações do presidente da República suscitaram mais preocupações sobre o cenário fiscal; mercado vê enfraquecimento de Haddad

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar