🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Altas e baixas

Liderados pela BRF (BRFS3), frigoríficos têm as maiores altas do Ibovespa no semestre, junto com Embraer (EMBR3); veja o ranking

Dólar em alta beneficiou exportadores, mas sacrificou companhias aéreas, como a Azul, que amargou o pior desempenho do índice no ano; veja as maiores altas e baixas do semestre

Unidade da BRF
Unidade da BRF. - Imagem: Divulgação

A primeira metade de 2024 vai chegando ao fim com um resultado amargo para a bolsa brasileira. O Ibovespa, principal índice da B3, recua 7,66% no acumulado do ano, pressionado pelos juros altos nos Estados Unidos e pelo aumento da percepção de risco fiscal no Brasil.

Mas um setor se destacou no índice neste primeiro semestre: o de frigoríficos, que dominou as primeiras posições no ranking das maiores altas do Ibovespa no acumulado de 2024.

A liderança ficou por conta da BRF (BRFS3), que apesar do ceticismo de muitos analistas, viu suas ações dispararem 64% no período com as melhorias na sua administração e resultados depois que a companhia voltou a ter um dono, a Marfrig (MRFG3). A controladora da BRF, aliás, aparece em quarto lugar no ranking, com alta de 27% no primeiro semestre.

A preferida dos analistas no setor, no entanto, aparece à frente da Marfrig, em terceiro lugar em desempenho no índice. Com 11 recomendações de compra, a JBS (JBSS3) avançou quase 30% no primeiro semestre, beneficiando-se da sua diversificação geográfica num momento de real mais fraco.

A alta de 15,14% do dólar ante o real no semestre beneficiou os frigoríficos da bolsa, que são grandes exportadores. Além disso, os melhores preços do frango e a queda no preço do milho também impulsionaram os resultados das companhias.

Quem divide o pódio com as empresas do ramo alimentício, por sinal, é outra exportadora, a Embraer (EMBR3). Com o segundo melhor desempenho do Ibovespa no ano, uma alta de 61%, a companhia do setor aeroespacial tem seus custos majoritariamente em reais, enquanto recebe na moeda americana.

Veja a seguir o ranking das 10 maiores altas do Ibovespa no primeiro semestre. Repare que, mesmo com todo o ruído em torno da Petrobras, inclusive com a demissão de seu presidente, Jean Paul Prates, as ações da petroleira ainda figuraram entre as maiores altas do período, após a estatal decidir pagar 50% dos dividendos extraordinários que estavam retidos.

Maiores altas do Ibovespa no primeiro semestre

EmpresaCódigoDesempenho no semestre
BRFBRFS364,16%
EmbraerEMBR361,46%
JBSJBSS329,55%
MarfrigMRFG327,42%
CieloCIEL324,56%
WegWEGE315,40%
CemigCMIG414,73%
Petrobras ONPETR313,40%
São MartinhoSMTO312,98%
Petrobras PNPETR412,37%
Fonte: B3/Broadcast

Disparada do dólar e dos juros foi o que pesou para as maiores perdedoras do semestre

Já na lanterna no ranking, as ações do Ibovespa que mais se desvalorizaram no primeiro semestre têm algo em comum: são sensíveis a juros e/ou câmbio.

A grande perdedora do ano até agora foi a Azul (AZUL4), que tem sua receita em reais e custos – principalmente combustível – em dólar.

Os papéis da aérea se desvalorizaram nada menos que 54% na primeira metade do ano, pressionados também pelos juros elevados, que encarecem sua dívida e desestimulam o consumo interno por passagens aéreas.

Em seguida, as duas companhias educacionais do Ibovespa, Yduqs (YDUQ3) e Cogna (COGN3) amargaram perdas da ordem dos 50%, após resultados que decepcionaram o mercado, com margens apertadas e pressão no endividamento, além de serem altamente sensíveis a juros e consumo interno.

Também são castigadas pelos juros elevados, que desestimulam o consumo, empresas como MRV (MRVE3), Magazine Luiza (MGLU3), Pão de Açúcar (PCAR3) e CVC (CVCB3), sendo que estas duas últimas também lutam para resolver problemas operacionais próprios.

Veja a seguir as maiores quedas do Ibovespa no primeiro semestre:

Maiores baixas do Ibovespa no primeiro semestre

EmpresaCódigoDesempenho no semestre
AzulAZUL4-54,15%
YduqsYDUQ3-52,72%
CognaCOGN3-49,28%
CVCCVCB3-44,00%
Magazine LuizaMGLU3-43,88%
MRVMRVE3-40,52%
VivaraVIVA3-37,85%
Pão de AçúcarPCAR3-33,50%
LocalizaRENT3-32,88%
LWSALWSA3-32,61%
Fonte: B3/Broadcast

OS FUNDOS DE RENDA FIXA COM DUPLA ISENÇÃO DE IR: UMA CONVERSA SOBRE FI-INFRAS COM AYMAR ALMEIDA, DA KINEA

Compartilhe

MERCADO FINANCEIRO

Renda fixa brilha no 1º semestre e impulsiona captação de fundos. Veja as 10 gestoras que mais levantaram dinheiro no período

18 de julho de 2024 - 18:38

No “Top 10” das empresas que mais levantaram dinheiro no período, a cifra chega a R$ 202,2 bilhões, de acordo com a Quantum Finance

DISPARADA DO CÂMBIO

Dólar bate os R$ 5,58 e fecha no maior patamar em duas semanas; confira o gatilho da alta de quase 2%

18 de julho de 2024 - 17:47

Mais cedo, o ministro da Fazenda disse ter recebido o sinal verde de Lula para avançar em estudos de corte no Orçamento, mas falas da ministra do Planejamento impulsionaram a moeda

OFERTA NA BOLSA

Fundo imobiliário VGIR11 anuncia emissão de até R$ 500 milhões e vai oferecer um ‘desconto’ nas cotas; confira os detalhes

18 de julho de 2024 - 14:59

O preço de emissão pago por quem decidir participar da operação, que é voltada a investidores no geral, será de R$ 9,85 por cada nova cota

RECOMENDAÇÃO DE COMPRA

As ações desta empresa já saltam mais de 57% em 2024, mas Itaú BBA diz que ‘o navio ainda não zarpou’ e papéis podem entrar para o Ibovespa ainda neste ano

18 de julho de 2024 - 12:37

O banco de investimentos publicou um novo relatório nesta quinta-feira (18) para reforçar ainda mais a sua visão positiva para a companhia

DESTAQUES DA BOLSA

Ação da BRF (BRFS3) desaba quase 7% na B3, e frigoríficos lideram as perdas do Ibovespa hoje. O que está por trás da queda?

18 de julho de 2024 - 12:16

O movimento acompanha a confirmação do Ministério da Agricultura de detecção de um foco da doença Newcastle no Rio Grande do Sul. Mas por que isso afeta o setor de proteínas?

PELA 3ª VEZ CONSECUTIVA

Fundo imobiliário BTAL11 volta a pagar os maiores dividendos de sua história e gestão diz como quer manter proventos no patamar recorde nos próximos meses

18 de julho de 2024 - 12:13

O FII pagará R$ 0,84 por cota neste mês, cifra que representa um dividend yield anualizado de cerca de 13,4%.

MAIS UM DIA DE TOMBO

Ações da Oi (OIBR3) já derretem 20% na semana com leilão que frustrou expectativas e adiamento de etapa da recuperação judicial

18 de julho de 2024 - 11:18

Parte do tombo é explicada pelo resultado do leilão da ClientCo, a antiga Oi Fibra, realizado na tarde de ontem.

COMPRADOS X VENDIDOS

Sabesp (SBSP3): investidor paga até 13% de aluguel para ficar vendido nas ações antes da oferta; entenda a estratégia

18 de julho de 2024 - 10:32

Mercado decidiu aproveitar a enorme diferença entre as cotações da Sabesp (SBSP3) na bolsa e o preço da oferta de ações

MUDANÇA NO MERCADO DE CÂMBIO

Banco Central eleva o limite de operações de câmbio feitas em instituições não bancárias

17 de julho de 2024 - 19:20

Segundo a autoridade monetária, a medida tem por objetivo aumentar a eficiência e a competitividade

AMORTIZAÇÃO DE CAPITAL

Fundo imobiliário confirma que vai depositar mais de R$ 30 por cota na conta dos investidores após retorno alto com CRI

17 de julho de 2024 - 17:07

O resgate antecipado de um CRI rendeu R$ 23 milhões para o FII RBLG11 e dividendos fartos e uma amortização de capital para os cotistas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar