🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar fecha no maior nível desde janeiro de 2023 e sobe 1% na semana; Ibovespa recua e volta aos 120 mil pontos

RESUMO DO DIA: O respiro no Ibovespa durou pouco, ou melhor, apenas uma sessão. Depois de fechar em alta de mais de 1% ontem, o principal índice da bolsa brasileira voltou a amargar perdas e acumulou queda de 1,09% na semana.

Apenas hoje, o índice caiu 1,73%, aos 120.767 pontos, no menor nível de fechamento deste ano.

Já o dólar fechou a R$ 5,32, com alta de 1,41%, no maior patamar desde janeiro de 2023. Na semana, a alta foi de 1,41%.  

O motivo para tanta movimentação tem nome: o relatório de empregos dos Estados Unidos, que injetou incertezas sobre a trajetória dos juros na maior economia do mundo com a perspectiva de que não há espaço para cortes até setembro.

A aversão ao risco resultou na escalada dos Treasurys e consequentemente na abertura da curva de juros brasileira — que pressionou as ações na bolsa de valores.  

Em segundo plano, os investidores acompanham novas declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Entre os destaques, ele afirmou que a inflação brasileira vem dando sinais de convergência à meta, de 3,0%.

Confira o que movimentou os mercados nesta sexta-feira (7):

MAIORES ALTAS E QUEDAS DA SEMANA

Confira as maiores altas do Ibovespa no acumulado entre os dias 3 e 7 de junho:

CÓDIGONOMEULTVARSEM
EMBR3Embraer ONR$ 38,416,02%
HYPE3Hypera ONR$ 28,715,75%
EZTC3EZTEC ONR$ 13,484,25%
SMTO3São MartinhoR$ 28,254,09%
VIVT3Telefônica Brasil ONR$ 45,064,06%

Confira as maiores quedas do Ibovespa nesta semana:

CÓDIGONOMEULTVARSEM
RRRP33R Petroleum ONR$ 26,26-6,88%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 9,98-6,82%
BRKM5Braskem PNR$ 17,63-6,72%
GGBR4Gerdau PNR$ 16,97-6,29%
VAMO3Vamos ONR$ 7,62-6,04%
SOBE E DESCE DO IBOVESPA HOJE

Na ponta positiva, Embraer (EMBR3) lideraram os ganhos do Ibovespa com alta de mais de 4% desde o início do pregão.

Os papéis foram impulsionados pela valorização do dólar, que impulsionou também outras companhias exportadoras como a Suzano (SUZB3).

Marfrig (MRFG3) avançou com elevação de preço-alvo para ações pelo Itaú BBA.

Confira as maiores altas do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEULTVAR
EMBR3Embraer ONR$ 38,414,06%
SMTO3São MartinhoR$ 28,252,76%
RADL3Raia Drogasil ONR$ 25,350,88%
MRFG3Marfrig ONR$ 11,070,64%
SUZB3Suzano ONR$ 48,650,62%

Na ponta negativa, as ações da LWSA (LWSA3), antiga Locaweb, recuaram quase 9% pressionadas pela abertura da curva de juros futuros, assim como outros papéis cíclicos.

Confira as maiores quedas do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEULTVAR
LWSA3LWSA ONR$ 4,22-8,46%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 11,76-7,40%
MRVE3MRV ONR$ 6,88-5,88%
COGN3Cogna ONR$ 1,80-5,26%
GUAR3Guararapes ONR$ 7,14-4,03%
FECHAMENTO DO IBOVESPA

O Ibovespa fechou em queda de 1,73%, aos 120.767,19 pontos. O menor nível de fechamento do ano.

O principal índice da bolsa brasileira acompanhou a injeção de aversão ao risco do exterior pelo relatório oficial de empregos dos Estados Unidos. O payroll indicou a abertura de 272 mil empregos em maio, enquanto a expectativa era de 180 mil.

Por aqui, os investidores reagiram, em segundo plano, às declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Campos Neto, disse que o Brasil registra uma convergência nos dados de inflação, com o último número do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) vindo melhor que o esperado, inclusive de forma qualitativa.

Na semana, o Ibovespa recuou 1,09%.

FECHAMENTO DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York terminaram a sessão em queda, em uma sessão marcada por volatilidade. O S&P 500, por exemplo, chegou a renovar recorde histórico intraday, mas perdeu fôlego ao longo da sessão.

O mercado ficou mais avesso ao risco após a divulgação do relatório mensal de empregos. O payroll apontou a criação de 272 mil postos de trabalho em maio nos Estados Unidos. A expectativa era de abertura de 180 mil postos de trabalho.

A taxa de desemprego avançou a 4%. O resultado veio acima do esperado e registra o maior nível desde janeiro de 2022. A previsão era de estabilidade a 3,9%.

Confira como fecharam os índices de Nova York:

  • S&P 500: -0,11%, aos 5.346,99 pontos;
  • Dow Jones: -0,22%, aos 38.798,99 pontos;
  • Nasdaq: -0,23%, aos 17.133,13 pontos.

Mas, na semana, os índices acumularam alta. Dow Jones avançou 0,6%; S&P 500 subiu 1,1% e Nasdaq registrou ganhos de 1,7%.

FECHAMENTO DO DÓLAR

O dólar à vista fechou a R$ 5,3247, com alta de 1,41%.

A moeda norte-americana ganhou força após o payroll acima do esperado reduzir as apostas de que o Federal Reserve (Fed) vá cortar juros até setembro.

FECHAMENTO DO PETRÓLEO

O petróleo fechou próximo da estabilidade, mas com viés de queda. Os dados da balança comercial da China e incertezas sobre a trajetória dos juros nos Estados Unidos no radar limitaram o desempenho da commodity hoje.

Os contratos mais líquidos do petróleo Brent, com vencimento em agosto, terminaram a sessão com queda de 0,31%, a US$ 79,62 o barril na Intercontinental Exchange (ICE). Na semana, o recuo foi de 1,84%.

Já os contratos mais líquidos do petróleo WTI, com vencimento em julho, caíram 0,03%, a US$ 75,53 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex). Na semana, a queda acumulada foi de 1,90%.

APENAS QUATRO AÇÕES SOBEM NO IBOVESPA

Com a renovação de máximas dos juros futuros em toda a curva, na esteira dos rendimentos dos Treasurys após o payroll — o relatório oficial de empregos dos Estados Unidos — apenas quatro ações sobem no Ibovespa.

Embraer (EMBR3) e Suzano (SUZB3) avançam com a valorização do dólar no mercado internacional.

Marfrig (MRFG3) sobe com elevação de preço-alvo para ações pelo Itaú BBA.

Confira as ações que operam no azul no Ibovespa:

CÓDIGONOMEULTVAR
EMBR3Embraer ONR$ 38,444,15%
RADL3Raia Drogasil ONR$ 25,491,43%
MRFG3Marfrig ONR$ 11,141,27%
SUZB3Suzano ONR$ 48,580,48%
ITAÚ BBA ELEVA PREÇO-ALVO DE MAGAZINE LUIZA (MGLU3)

Um ano para colher os frutos. É assim que o Itaú BBA espera que 2024 seja para o Magazine Luiza (MGLU3). 

A visão é apoiada pela perspectiva de uma recuperação gradual no ciclo de crédito e um cenário macroeconômico mais favorável para o setor varejista, depois de um período de aumento das taxas de juros e uma demanda mais fraca de bens duráveis — que fizeram com que o Magazine Luiza mudasse o foco para a rentabilidade das operações em 2023. 

A tendência de melhoria da rentabilidade nos últimos trimestres também é um dos fatores que contribuem para a revisão positiva do BBA. 

“A empresa reportou um crescimento suave nos canais online e offline em 2023, levando a um declínio de 1,4% na receita líquida na comparação anual, mas abrindo caminho para melhores tendências de rentabilidade”, afirma o analista Thiago Macruz, que assina o relatório. 

Leia mais.

PAYROLL: O SINAL QUE O DADO DE EMPREGO ENVIA OS INVESTIDORES

A economia norte-americana criou mais empregos do que o esperado em maio: foram 272 mil vagas contra uma previsão de 190 mil da Dow Jones e acima das 165 mil vagas abertas em abril. A taxa de desemprego, por sua vez, subiu a 4% — a primeira vez que atingiu essa barreira desde janeiro de 2022 — ante expectativa de manutenção em 3,9%. De olho nos juros, o mercado não gostou do que viu. 

Em Wall Street, assim que os dados foram revelados, os futuros de Nova York passaram a cair e o yield (rendimento) dos Treasurys atingiram a máxima do dia. Por aqui, o dólar disparou para máximas e o Ibovespa futuro caiu mais de 1%. Acompanhe nossa cobertura ao vivo dos mercados

A reação justifica a expectativa de uma semana inteira por dados que pudessem dar ao Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) a luz verde para cortar os juros logo — porém não tão fracos que indicassem uma recessão na maior economia do mundo. 

Por volta de 13h55, o Dow Jones subia 0,20% e o S&P 500, 0,29%, depois de bater máxima intradiária, enquanto o Nasdaq tinha alta de 0,25%. Já o Ibovespa, opera em queda de 0,92%, ao 121.772,28 pontos e o dólar sobe, a R$ 5,2790.

Leia mais.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

Na ponta positiva, Embraer (EMBR3) lideram os ganhos do Ibovespa com alta de mais de 4%. Os papéis são impulsionados pela valorização do dólar, que impulsiona as companhias exportadoras.

Marfrig (MRFG3) avança com elevação de preço-alvo para ações pelo Itaú BBA.

Confira as maiores altas do Ibovespa até agora:

CÓDIGONOMEULTVAR
EMBR3Embraer ONR$ 38,654,71%
MRFG3Marfrig ONR$ 11,272,45%
RADL3Raia Drogasil ONR$ 25,631,99%
BEEF3Minerva ONR$ 6,211,47%
SMTO3São MartinhoR$ 27,771,02%

Na ponta negativa, as ações da LWSA (LWSA3), antiga Locaweb, recuam quase 6% pressionadas pela abertura da curva de juros futuros, assim como outros papéis cíclicos.

Confira as maiores quedas do índice até agora:

CÓDIGONOMEULTVAR
LWSA3LWSA ONR$ 4,35-5,64%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 12,13-4,49%
AZUL4Azul PNR$ 9,31-3,12%
COGN3Cogna ONR$ 1,85-2,63%
SBSP3Sabesp ONR$ 75,29-2,63%
COMO ANDAM OS MERCADOS

O Ibovespa opera em queda de 0,79%, aos 121.930 pontos.

O principal índice da bolsa brasileira acompanha a injeção de aversão ao risco do exterior pelo relatório oficial de empregos dos Estados Unidos. O payroll indicou a abertura de 272 mil empregos em maio, enquanto a expectativa era de 180 mil.

Por aqui, os investidores reagem às declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Campos Neto, disse que o Brasil registra uma convergência nos dados de inflação, com o último número do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) vindo melhor que o esperado, inclusive de forma qualitativa.

"Último número veio melhor que o esperado, qualitativamente melhor que o esperado, porque estávamos olhando muito a parte que tem efeito de salário, serviços, parte mais intensiva em mão de obra dentro do que é serviços, parece uma correlaçãozinha na ponta, mas o fato é que não temos visto ainda essa correlação aparecer nos números de inflação, e o último número veio até melhor nesse sentido. Estamos olhando a inflação presente, vindo em linha com a convergência esperada", afirmou.

Os juros futuros (DIs) operam com viés de alta em toda a curva, acompanhando os Treasurys.

O dólar à vista opera em alta de 0,46%, a R$ 5,2749.

FECHAMENTO DA EUROPA

As bolsas da Europa encerraram o pregão em queda, com os índices pressionados pela cautela dos investidores internacionais após o relatório de empregos dos Estados Unidos, que vieram acima do esperado em maio.

O payroll trouxe incertezas sobre a trajetória dos juros na maior economia do mundo, um dia depois do Banco Central Europeu (BCE) cortar os juros pela primeira vez em cinco anos.

  • FTSE 100 (Londres): 0,36%, aos 8.255,41 pontos;
  • DAX (Frankfurt): -0,51%, aos 18.557,74 pontos;
  • CAC 40 (Paris): -0,42%, aos 8.006,71 pontos;
  • Stoxx 600: -0,15%, aos 523,88 pontos.
GIRO DO MERCADO

BDRS: VEJA AS MELHORES AÇÕES INTERNACIONAIS PARA INVESTIR EM JUNHO, SEGUNDO EMPIRICUS RESEARCH

Fechando as carteiras recomendadas de junho, no Giro do Mercado desta sexta-feira (7), o analista Enzo Pacheco da Empiricus Research comenta quais são as suas apostas em ações internacionais (BDRs) para buscar as melhores oportunidades de lucrar com o cenário externo.

O especialista também explica quais foram as principais mudanças para a carteira deste mês e a estratégia utilizada para montar o portfólio.

ACOMPANHE AO VIVO:

NY VIRA PARA ALTA

Após a forte correção com o payroll, os índices de Nova York tentam firmar alta em tom positivo.

Há pouco, o S&P 500 renovou o recorde histórico intraday aos 5.336,62 pontos, na máxima do dia.

APENAS DUAS AÇÕES SOBEM NO IBOVESPA

Com a cautela (quase) generalizada após o payroll dos Estados Unidos, o Ibovespa opera em queda aos 121 mil pontos e apenas duas ações sobem no Ibovespa.

Suzano (SUZB3) avança 1,47%, a R$ 49,06, na esteira da valorização do dólar. Por ser uma exportadora, o dólar valorizado aumenta as receitas da companhia, já que as contas são dolarizadas.

Marfrig (MRFG3) sobe 0,55%, a R$ 11,06. As ações são beneficiadas pela elevação de preço-alvo das ações pelo Itaú BBA, de R$ 10 para R$ 14.

JUROS FUTUROS AVANÇAM

Os juros futuros avançam em toda a curva, na esteira dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, os Treasurys — após o payroll vir mais forte que o esperado para maio.

Os juros projetados para a dívida norte-americana de 10 anos sobem a 4,426%. Já os juros para 30 anos, referência para o mercado de hipotecas dos EUA. avançam a 4,556%.

Confira o desempenho da curva de juros brasileira há pouco:

CÓDIGONOME ULT FEC
DI1F25DI Jan/2510,47%10,46%
DI1F26DI Jan/2610,94%10,88%
DI1F27DI Jan/2711,27%11,20%
DI1F28DI Jan/2811,53%11,45%
DI1F29DI Jan/2911,69%11,62%
DI1F30DI Jan/3011,81%11,75%
DI1F31DI Jan/3111,87%11,79%
DI1F32DI Jan/3211,92%11,85%
DI1F33DI Jan/3311,92%11,86%
ABERTURA DE NOVA YORK

As bolsas de Nova York operam em queda após a abertura, em reação ao relatório oficial de empregos divulgado mais cedo.

O payroll apontou a criação de 272 mil postos de trabalho em maio nos Estados Unidos. A expectativa era de abertura de 180 mil postos de trabalho.

A taxa de desemprego avançou a 4%. O resultado veio acima do esperado e registra o maior nível desde janeiro de 2022. A previsão era de estabilidade a 3,9%.

Confira como operam os índices de Nova York após a abertura:

  • S&) 500: -0,32%, aos 5.335,92 pontos;
  • Dow Jones: -0,30%, aos 38.770,06 pontos;
  • Nasdaq: -0,38%, aos 17.109,78 pontos.

CRUZEIRO DO SUL (CSED3) VAI ÀS COMPRAS PELA PRIMEIRA VEZ DESDE O IPO. FOI UMA BOA PEDIDA?

Na noite da última quinta-feira (6), a Cruzeiro do Sul Educacional (CSED3) decidiu ir às compras — e anunciou sua primeira aquisição desde a abertura de capital (IPO), em 2021.

De olho nos vestibulares de medicina, a companhia fechou a compra de 100% do Centro de Ensino de Pinhais, por meio de sua subsidiária Positivo.

Localizado no Paraná, o Centro de Ensino de Pinhais possui um valor de firma (enterprise value) estimado de aproximadamente R$ 184,3 milhões, considerando as dívidas.

A cifra representa um pagamento de aproximadamente R$ 1,197 milhão por vaga autorizada ou R$ 1,002 milhão por vagas totais, considerando as autorizadas, Prouni e FIES. 

Leia mais.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

Na ponta positiva, as ações da Suzano (SUZB3) lideram os ganhos do Ibovespa com o forte avanço do dólar após o payroll.

Confira as maiores altas do Ibovespa após a abertura:

CÓDIGONOMEULTVAR
SUZB3Suzano ONR$ 48,560,43%
SMTO3São MartinhoR$ 27,540,18%
CIEL3Cielo ONR$ 5,650,00%
PETR4Petrobras PNR$ 38,31-0,18%
PETR3Petrobras ONR$ 39,86-0,20%

Na ponta positiva, as ações da LWSA (LWSA3), antiga Locaweb, recuam quase 5% pressionadas pela abertura da curva de juros futuros.

Confia as maiores quedas do Ibovespa após a abertura:

CÓDIGONOMEULTVAR
LWSA3LWSA ONR$ 4,40-4,56%
MRVE3MRV ONR$ 7,09-3,01%
VAMO3Vamos ONR$ 7,55-2,45%
AZUL4Azul PNR$ 9,41-2,08%
CVCB3CVC ONR$ 1,90-2,06%
ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa opera em queda de 0,85%, aos 121.850 pontos após a abertura.

O principal índice da bolsa brasileira acompanha a injeção de aversão ao risco do exterior pelo relatório oficial de empregos dos Estados Unidos. O payroll indicou a abertura de 272 mil empregos em maio, enquanto a expectativa era de 180 mil.

Por aqui, as novas declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento.

ADRS DE VALE E PETROBRAS

Os recibos de ações (ADRs) das companhias brasileiras Vale e Petrobras operam em queda no pré-mercado de Nova York, na contramão do desempenho das commodities.

  • Vale (VALE): -0,77%, a US$ 11,73
  • Petrobras (PBR): -0,33%, a US$ 15,12
MERCADO DE COMMODITIES

O mercado de commodities opera em alta nesta sexta-feira (7).

O minério de ferro encerrou as negociações com alta de 0,72%, a US$ 115,86 a tonelada, em Dalian, na China.

Os contratos mais líquidos do petróleo Brent sobem 0,20%, a US$ 80,04 o barril na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres.

PAYROLL DE MAIO

O relatório oficial de empregos, o payroll, apontou a criação de 272 mil postos de trabalho em maio nos Estados Unidos. A expectativa era de abertura de 180 mil postos de trabalho.

A taxa de desemprego avançou a 4%. O resultado veio acima do esperado e registra o maior nível desde janeiro de 2022. A previsão era de estabilidade a 3,9%.

ABERTURA DOS JUROS FUTUROS

Os juros futuros (DIs) abriram com viés de estabilidade nas caudas mais curtas e longas e alívio nos vencimentos mais longos.

Sem dados relevantes no ambiente doméstico, as atenções dos investidores se concentram no relatório oficial de empregos dos Estados Unidos, o payroll.

Confira a abertura dos DIs hoje:

CÓDIGONOME ABE FEC
DI1F25DI Jan/2510,46%10,46%
DI1F26DI Jan/2610,88%10,88%
DI1F27DI Jan/2711,19%11,20%
DI1F28DI Jan/2811,45%11,45%
DI1F29DI Jan/2911,61%11,62%
DI1F30DI Jan/3011,73%11,75%
DI1F31DI Jan/3111,78%11,79%
SER EDUCACIONAL (SEER3) QUER AUMENTAR RETORNO AO ACIONISTA E ANUNCIA RECOMPRA DE AÇÕES

Após uma desvalorização da ordem de 40% na bolsa brasileira em 2024, a Ser Educacional (SEER3) decidiu anunciar na noite da última quinta-feira (6) um novo programa de recompra de ações na B3.

A companhia de educação pretende adquirir até 4,36 milhões de papéis, equivalente a cerca de 3,38% do total de ações emitidas pela empresa e a aproximadamente 8,34% dos ativos atualmente em circulação no mercado. 

Segundo a empresa, o objetivo da operação é usar os recursos disponíveis em caixa para a compra dos papéis na bolsa a fim de aumentar a geração de valor para os acionistas “por meio de uma adequada administração da estrutura de capital”. 

A Ser Educacional possui aproximadamente R$ 207,8 milhões em reserva de lucros, de acordo com o balanço do primeiro trimestre de 2024.

Leia mais.

LAIS COSTA: MERCADO EM 5 MINUTOS

FALAR A MESMA LÍNGUA JÁ É UM BOM COMEÇO

Os mercados operam em baixa nesta manhã de sexta-feira (7).

Os mercados asiáticos fecharam em queda, os principais índices europeus operam no vermelho e o futuro do S&P segue o tom negativo neste último pregão da semana.

Ontem o dia foi positivo para os ativos brasileiros. O Real apreciou 0,87%, entregando a melhor performance do dia entre os pares LatAm, a curva de juros registrou queda de até 10 pontos-base nos vértices mais longos e o Ibovespa voltou a subir (1,2%) após amargar queda em todos os pregões anteriores deste mês de junho.

Entre os destaques de hoje, o mercado espera a divulgação do dado mais importante do mercado de trabalho americano, o payroll, às 9:30h.

A mediana das expectativas dos economistas coletada pela Bloomberg aponta para a criação de 180 mil novas vagas de emprego no mês de maio, uma aceleração em relação às 175 mil vagas em abril.

Ainda bastante relevante, é esperada que a taxa de desemprego se mantenha estável em 3,9% e que haja um crescimento de 0,3% m/m dos ganhos por hora trabalhada, indicador relevante para a expectativa de inflação de salários por lá.

01:43 – Foi dada a largada

Embora ainda tenhamos patamares de inflação corrente acima dos níveis condizentes com o cumprimento da meta em diversas economias desenvolvidas, na quinta-feira (6), o Banco Central Europeu (BCE) deu a largada e confirmou as expectativas da maioria dos agentes de mercado ao anunciar a primeira redução das taxas de juros em 25 pontos-base para 3,75% a.a..

O discurso da Presidente Lagarde foi visto como cauteloso indicando que a continuação do ciclo de corte depende dos dados que serão divulgados à frente.

Nessa linha, Lagarde afirmou que os juros reais estão em patamares bastante restritivos, por isso, é muito provável que este não seja um corte isolado, contudo, “a velocidade e o tempo dependerão dos dados”, afirmou a Presidente da autoridade monetária europeia.

02:43 – De volta ao consenso

Ainda na seara monetária, ontem (6) tivemos diversas falas de membros do Comitê de Política Monetária (COPOM). Pela manhã, o Presidente Roberto Campos Neto falou em tom duro (hawkish) em evento realizado com agentes de mercado.

Campos Neto apontou vetores de incerteza em relação à inflação doméstica e destacou o uso do termo “desancoradas” ao se referir às expectativas de inflação futura.

Em relação ao fiscal, o Presidente afirmou que 80% das respostas do questionário do Copom indicaram uma piora no cenário fiscal e que o aumento esperado da trajetória da dívida pelo mercado tem gerado prêmio de risco na curva de juros.

Em seguida, o diretor de Política Monetária, Gabriel Galípolo seguiu a linha cautelosa de Campos Neto e afirmou que “tem muito valor” em uma decisão unânime do Copom. Galípolo ainda afirmou que não cabe discussão em relação à meta de inflação.

As falas consensuais dos membros do COPOM contribuíram grandemente para a melhora observada nos ativos de risco brasileiros durante o dia.

Na agenda das autoridades de hoje (7), teremos novamente o Presidente Campos Neto (10h30), Gabriel Galípolo (12h) e Paulo Picchetti (9h) em eventos abertos à imprensa.

3:05 – Em busca de credibilidade fiscal

Enquanto o Banco Central converge novamente para um consenso, no âmbito fiscal, a necessidade de aumento da arrecadação do governo gera muito ruído.

Na terça-feira (4), o presidente Lula barrou a cobrança de imposto de herança (ITCMD) sobre aplicação de previdência, contrariando recomendações da área técnica à frente da reforma tributária.

Em entrevista coletiva, o secretário extraordinário do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, confirmou que a decisão foi política, após diversos questionamentos dos jornalistas.

No mesmo dia, foi assinada a MP 1.227/2024 que limita o uso de créditos de PIS e da Cofins, em uma medida para bancar a desoneração da folha salarial de 17 setores da economia e de municípios até 2027.

Segundo a Receita Federal, a desoneração deve custar R$26,3 bilhões e as medidas do governo devem gerar R$29,3 bilhões aos cofres públicos.

Já na quarta-feira (5) a noite, o Senado aprovou o Mover e confirmou taxação de 20% para compras de até US$50 do exterior. Agora, o Comitê Nacional de Secretários Estaduais da Fazenda (Comsefaz) quer propor o aumento de 17% para 20% do ICMS sobre compras internacionais.

As manchetes de quinta-feira (6) revelaram grande insatisfação em relação à limitação do uso de créditos de PIS e da Cofins, por diversas entidades do setor de agronegócio.

A MP tem sido chamada de “MP do fim do mundo” pelos líderes desse setor que pediram ao Presidente do Senado a devolução da medida ao Governo.

Em uma corrida para achar alternativas para a MP, foi cogitada uma nova edição da repatriação de recursos, porém, a medida teria um impacto insignificante de aumento de arrecadação.

Do lado da despesa, repercute ainda nesta manhã o corte de despesas não obrigatórias na casa de R$5,7 bilhões do orçamento do Farmácia Popular, Auxílio Gás, obras em rodovias, PF e Exército. Esse corte é fruto do limite no reajuste de crescimento de despesas pelo índice de preços corrente do arcabouço fiscal. Na contramão, houve aumento de previsão de gastos com previdência na casa de R$13 bilhões.

Nos bastidores, os esforços da Fazenda em prol do aumento da arrecadação e os cortes de despesas não obrigatórias têm encontrado bastante resistência política, sinais de esgotamento no Congresso e batalhas dentro e fora de Brasília.

ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista inicia o dia a R$ 5,2534, com leve alta de 0,05% em relação ao fechamento anterior.

WALL STREET EM LEVE ALTA

Os índices futuros de Nova York operam em leve alta na manhã desta sexta-feira (7) e se aproximam da estabilidade.

Investidores norte-americanos aguardam dados do payroll, que vão indicar os próximos passos do Federal Reserve em relação às taxas de juros dos EUA.

A expectativa de momento é que o Fed inicie ciclo de cortes em setembro deste ano.

  • Confira:
  • S&P 500 futuro: +0,05%
  • Dow Jones futuro: +0,03%
  • Nasdaq futuro: +0,17%
ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

O Ibovespa futuro opera em queda de 0,15%. aos 122.920 pontos após a abertura.

O índice destoa dos futuros de Nova York, que aguardam a divulgação do relatório oficial de empregos dos Estados Unidos, o payroll, de maio. A expectativa é de abertura de 190 mil postos de trabalho no mês.

BOLSAS DA EUROPA OPERAM EM BAIXA

O bom humor com o corte de juros na zona do euro ficou para trás. Os índices europeus operam em queda nesta sexta-feira (7).

Investidores internacionais ajustam expectativas, enquanto aguardam divulgação do payroll nos EUA. Resultados vão indicar os caminhos das taxas de juros na economia norte-americana.

Confira as bolsas na Europa agora:

  • DAX (Frankfurt): -0,88%
  • CAC 40 (Paris): -0,87%
  • FTSE 100 (Londres): -0,52%
  • Euro Stoxx 600: -0,43%
BOLSAS DA ÁSIA SEM DIREÇÃO ÚNICA

As bolsas asiáticas fecharam o pregão desta sexta-feira (7) sem uma direção única.

Os índices da região reagiram a dados mistos da balança comercial chinesa, enquanto investidores também esperam a divulgação do payroll nos EUA, importante pesquisa sobre o mercado de trabalho norte-americano.

A China apresentou superávit comercial de 7,6%, acima do que era projetado pelo mercado. No entanto, as importações vieram abaixo das expectativas de analistas. O gigante asiático registrou aumento de 1,8%.

Por lá, a bolsa de Xangai subiu 0,08%, a 3.051,28 pontos.

Já o índice japonês Nikkei teve leve baixa de 0,05% em Tóquio, a 38.683,93 pontos, pressionado por ações financeiras e do setor automotivo.

O Hang Seng recuou 0,59% em Hong Kong, a 18.366,95 pontos, enquanto o Taiex caiu 0,20% em Taiwan, a 21.858,38 pontos.

Já o Kospi avançou 1,23% em Seul, a 2.722,67 pontos, com a ajuda de ações de semicondutores, transporte marítimo e baterias, ao voltar de um feriado na Coreia do Sul.

Veja como fecharam as principais bolsas asiáticas hoje:

  • Xangai: +0,08%
  • Tóquio: -0,05%
  • Hong Kong: -0,59%
  • Kospi: +1,23%
  • Taiwan: -0,20%
PIB NA ZONA DO EURO EM LINHA COM O ESPERADO

O Produto Interno Bruto (PIB) europeu subiu 0,3% no primeiro trimestre de 2024. A alta já era prevista pelo mercado, segundo a FactSet.

Já na comparação anual, o PIB na zona do euro cresceu 0,4%, também em linha com as projeções.

SUPERÁVIT COMERCIAL DA CHINA CRESCE ACIMA DO ESPERADO

A China registrou superávit da balança comercial de US$ 82,62 bilhões em maio. O resultado veio acima do esperado por analistas, que projetavam alta de US$ 71,1 bilhões.

As exportações do gigante asiático tiveram alta de 7,6%, na comparação mensal, enquanto as expectativas de mercado eram de aumento de 5,3%.

As importações também registraram alta, mas abaixo das expectativas. O país teve um aumento 1,8% ante abril, enquanto era esperado crescimento de 4,7%.

PRIMEIRA ALTA DO IBOVESPA EM JUNHO

Os investidores nacionais finalmente puderam voltar a sorrir em junho.

Após seis sessões seguidas em queda, o Ibovespa encerrou o pregão da última quinta-feira (6) em forte alta.

O principal índice da B3 apresentou ganhos de 1,23%, aos 122.898 pontos, no fechamento. Foi primeira sessão positiva de junho.

Já o dólar zerou os ganhos da semana e terminou o dia a R$ 5,25, com baixa de 0,89% no mercado à vista.

Compartilhe

APOSTAS PARA O CÂMBIO

O dólar não vai mais cair? Alckmin diz que governo tem “absoluta confiança” sobre a trajetória da moeda norte-americana

13 de junho de 2024 - 17:52

O presidente em exercício falou sobre o tema um dia após a moeda americana ter ultrapassado a cotação de R$ 5,40 pela primeira vez desde janeiro de 2023

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar fecha próximo da mínima intraday com rescaldo de Haddad sobre fiscal; Ibovespa sustenta os 119 mil pontos

13 de junho de 2024 - 17:17

RESUMO DO DIA: O cenário fiscal roubou a cena mais um vez no mercado acionário brasileiro. Se ontem foram as falas do presidente Lula que aumentaram a aversão ao risco, hoje o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ficou encarregado de ‘reduzir os danos’. Apesar dos esforços do ministro, o Ibovespa não deixou o tom negativo. […]

CAI, CAI

Fuga dos investidores? Como a B3 contribuiu para a forte queda do Ibovespa em maio; ações B3SA3 recuam 

13 de junho de 2024 - 15:59

A dona da bolsa registrou volume médio diário de negociações 8,8% menor em maio na comparação anual; Goldman Sachs mantém a recomendação

PROTEÇÃO NA CARTEIRA

O dólar já subiu 10% em 2024: essas são as 5 ações para lucrar com o real fraco, segundo o BTG Pactual

13 de junho de 2024 - 14:28

Os analistas também escolheram cinco papéis para ficar longe em meio à disparada da moeda norte-americana neste ano — duas aéreas integram essa lista

STF DECIDIU

Fim do impasse sobre remuneração do FGTS deve beneficiar as ações de construtoras de baixa renda — e o BTG Pactual diz qual é a sua favorita no segmento

13 de junho de 2024 - 13:01

Vale relembrar que o fundo é uma de suas principais fontes de recursos para o setor imobiliário

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Fed mantém juros inalterados pela sétima vez consecutiva e dólar sobe a R$ 5,40; Ibovespa cai 1% de olho no fiscal

12 de junho de 2024 - 17:21

RESUMO DO DIA: Se enganou quem achou que a decisão dos juros nos Estados Unidos seria o único destaque do dia. O cenário fiscal doméstico roubou a cena e o Ibovespa voltou ao território negativo. O principal índice da bolsa brasileira fechou em baixa de 1,40%, aos 119.936 pontos, renovando a mínima do ano e […]

FECHAMENTO DOS EUA

Inflação e juros: o combo que fez o S&P 500 e o Nasdaq saltarem para um outro recorde intradiário

12 de junho de 2024 - 17:06

De um lado, o CPI de maio veio melhor do que as projeções. De outro, o Fed manteve a taxa de juros inalterada e reduziu para um o número de cortes neste ano

REPORTAGEM ESPECIAL

Exclusivo: Controladores da Méliuz (CASH3) montam posição em opções com ações da empresa, que quer apertar “pílula de veneno”

12 de junho de 2024 - 15:22

Ações da Méliuz (CASH3) dispararam mais de 15% após empresa divulgar que pessoas ligadas ao controle “venderam opções de venda” de ações da companhia

OPERAÇÃO GREENWASHING

Como uma operação da polícia federal deve afetar os dividendos de dois fiagros com mais de 40 mil cotistas

12 de junho de 2024 - 13:26

Os proventos do AZ Quest Sole (AAZQ11) e do AZ Quest negociado na Cetip, devem ser afetados pelos desdobramentos de uma operação deflagrada na semana passada

TERREMOTO NO MERCADO

Dólar dispara a R$ 5,42 e Ibovespa atinge menor nível em um ano: o que Lula tem a ver com isso?

12 de junho de 2024 - 12:35

Declarações do presidente da República suscitaram mais preocupações sobre o cenário fiscal; mercado vê enfraquecimento de Haddad

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar