🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero com especialização em Macroeconomia e Finanças (FGV) e pós-graduação em Mercado Financeiro e de Capitais (PUC-Minas). Com passagens pelo portal R7, revista IstoÉ e os jornais DCI, Agora SP (Grupo Folha), Estadão e Valor Econômico, também trabalhou na comunicação estratégica de gestoras do mercado financeiro.
RESULTADOS 4T22

Nubank tem mais um balanço no azul e registra lucro líquido de US$ 113,8 milhões no quarto trimestre de 2022

Esse é o segundo resultado positivo do Nubank, que surpreendeu e registrou seu primeiro lucro em novembro passado

Ana Carolina Neira
Ana Carolina Neira
14 de fevereiro de 2023
18:34 - atualizado às 19:53
Cartão e app do Nubank
Imagem: Divulgação

Os fãs do roxinho já podem comemorar: com mais um trimestre no azul, o Nubank registrou um lucro líquido ajustado de US$ 113,8 milhões no quarto trimestre de 2022. Isso representa uma alta de 3.456% na comparação com o mesmo período de 2021, quando esse número era de US$ 3,2 milhões.

No trimestre anterior, o lucro líquido ajustado havia sido de US$ 63 milhões.

Esse é o segundo resultado positivo do banco, que surpreendeu e registrou seu primeiro lucro no terceiro trimestre.

  • Por que estamos no momento ideal para poder ganhar dinheiro com dividendos? O Seu Dinheiro preparou 3 aulas exclusivas para te ensinar como buscar renda extra com as melhores ações pagadoras da Bolsa. [ACESSE AQUI GRATUITAMENTE]

Nubank: dois lucros e um prejuízo trimestral

O lucro ajustado de US$ 113,8 milhões tira da conta o fim de um acordo que previa o pagamento de um bônus bilionário a David Vélez, o fundador do banco, caso metas agressivas de valorização das ações do banco fossem alcançadas.

O impacto do fim do acordo foi de US$ 356 milhões no período.

O Nubank ainda apresentou um segundo lucro, de US$ 58 milhões entre outubro e dezembro do ano passado. Mas esse número também não considera o fim do acordo com Vélez, que não tem efeito no caixa do banco digital, vale lembrar.

Ainda assim, do ponto de vista contábil, o Nubank registrou prejuízo de US$ 297,6 milhões no quarto trimestre. Mas pelos números apresentados hoje, esse tem tudo para ser o último resultado no vermelho do banco.

Já a rentabilidade sobre o patrimônio líquido médio anualizado (ROE) foi de 35% no Brasil no último trimestre do ano.

“Embora o ano de 2022 tenha sido muito crítico pelo lado macroeconômico, não poderíamos estar mais orgulhosos do nosso resultado, onde provamos que é possível manter a taxa de crescimento acelerada enquanto mantemos a inadimplência de crédito sob controle e com forte rentabilidade”, afirmou o CEO do Nubank, David Vélez, durante teleconferência realizada na noite desta terça-feira (14).

Outros números sobre o 2022 do Nubank

Ainda no balanço financeiro referente ao quarto trimestre, o Nubank informa ter terminado o ano de 2022 com 74,6 milhões de clientes, sendo 70,9 milhões somente no Brasil — a empresa também opera no México e na Colômbia.

O índice de inadimplência, como esperado, foi ruim. As operações de crédito vencidas há mais de 90 dias passaram de 4,7% no terceiro trimestre de 2022 para 5,2% nos três meses seguintes. Um ano antes, esse indicador era de 3,5%.

O endividamento das famílias e a alta dos juros são alguns dos fatores que ajudam a explicar esses números, especialmente porque o Nubank possui uma atuação forte no segmento de crédito para pessoa física.

Os investidores estão de olho no nível de inadimplência do Nubank. A preocupação é justificada, tendo em vista que os dados do Banco Central mostram que o perfil predominante do endividamento no Brasil é composto por pessoas das faixas de renda mais baixa e produtos como cartão de crédito e empréstimo pessoal — justamente as características que definem o mix do Nubank.

Só que é importante ter em mente que no segundo trimestre de 2022 o Nubank decidiu mudar a maneira como divulga o cálculo da inadimplência.

Na nova metodologia, o banco digital passou a antecipar a baixa de empréstimos pessoais inadimplentes há mais de 360 dias para 120 dias, enquanto a baixa dos cartões de crédito permaneceu em +360 dias.

Nos dois produtos, o Nubank aplica uma baixa parcial e somente o que se refere a “recuperação esperada” do empréstimo baixado é mantido no balanço. O efeito disso é redução nos índices de inadimplência acima de 90 dias e aumento da inadimplência de 15-90 dias para empréstimos pessoais.

Ainda durante a teleconferência, o diretor financeiro do Nubank, Guilherme Lago, aproveitou para ressaltar que o custo de funding do banco caiu de 91% do CDI (Certificado de Depósito Bancário) para 78%, chegando a sua mínima histórica. Esse nível é sustentável para 2023, disse o executivo.

Isso só foi possível graças às mudanças polêmicas feitas na NuConta há alguns meses. Agora, o retorno de 100% do CDI só acontece após o dinheiro ficar por mais de 30 dias no banco.

A reação das ações

Por volta das 19h, durante o pós-mercado dos Estados Unidos, as ações do Nubank negociadas na Nyse operavam em alta de 5,40%.

Compartilhe

VENDE COMO ÁGUA

Brasil retoma autossuficiência de alumínio e produção avança 24% em 2023; ainda existe espaço no mercado?

14 de abril de 2024 - 15:31

A recuperação na oferta acontece, principalmente, devido ao religamento do complexo industrial da Alumar, no Maranhão

LOTERIAS FEDERAIS

Com arrecadação de R$ 23,4 bilhões, funcionários da Caixa tentam manter lotéricas com banco

14 de abril de 2024 - 13:42

Além da arrecadação, as loterias são parte fundamental da rede de atendimento do banco, porque prestam serviços bancários da Caixa

BOMBOU NA SEMANA

A porta giratória de Milei na Argentina e o “novo” fracasso de Lemann: veja quais foram as notícias mais lidas do Seu Dinheiro nesta semana

13 de abril de 2024 - 14:05

Nesta semana, as leitoras e os leitores do Seu Dinheiro acompanharam de perto a agenda de Javier Milei. O presidente da Argentina virou figura popular ao assumir um país que passa por uma das piores crises econômicas de sua história.  O país viveu uma semana de “porta giratória”. De um lado, o HSBC vendeu as […]

A FORTUNA ENCOLHEU

Os 10 maiores bilionários do planeta perderam R$ 107,2 bilhões hoje — e aqui estão os motivos

12 de abril de 2024 - 19:45

Conhecidos por liderarem as empresas mais valiosas do mundo, esse grupo seleto de ricaços soma um patrimônio líquido de US$ 1,58 trilhão

DE OLHO NAS REDES

Dá para colocar a mão no fogo pela China? “Está sendo subestimada” — por que este gestor não aposta em uma catástrofe por lá

12 de abril de 2024 - 14:47

Enquanto boa parte do mercado não colocaria a mão no fogo pela China nos últimos tempos, um gestor vai na contramão do mercado e avalia que o país está bem melhor do que parece.  Em participação no Macro Summit Brasil 2024, evento realizado pelo Market Makers em parceria com Seu Dinheiro e Money Times,  João […]

LOTERIAS

O que aconteceu com a Lotofácil? Duas apostas faturam o prêmio principal, mas ninguém fica milionário; Mega-Sena e Quina acumulam

12 de abril de 2024 - 10:31

Duas apostas cravaram as 15 dezenas sorteadas no concurso 2076 da Lotofácil; saiba de onde vieram os bilhetes vencedores

MACRO SUMMIT 2024

“Olhando os mercados hoje, estou arrependido”: Luis Stuhlberger revela o hedge que ‘faltou’ no portfólio do fundo Verde e suas perspectivas macroeconômicas para o Brasil e o mundo

11 de abril de 2024 - 20:36

O gestor do lendário fundo Verde comentou as perspectivas para o cenário macroeconômico brasileiro e mundial durante participação no Macro Summit 2024

LOTERIAS

Uma aposta fatura sozinha o prêmio de R$ 1,7 milhão na Lotofácil — e pode ter sido você; Quina e +Milionária acumulam outra vez e pagam bolada multimilionária

11 de abril de 2024 - 12:40

Apenas uma pessoa cravou as 15 dezenas sorteadas no concurso 2075 da Lotofácil; confira os números que saíram na loteria

MACRO SUMMIT 2024

Investimentos em inflação e ações com retorno alto: as indicações da Itaú Asset e Dahlia Capital na bolsa e renda fixa

10 de abril de 2024 - 19:01

Mariana Dreux e José Rocha apontam incerteza e volatilidade nas políticas monetária global e fiscal no Brasil, mas com oportunidades de investimento

O FISCAL CHINÊS

Os economistas continuam a apostar na crise da China — mas o gigante asiático está “decepcionado” e já revelou o motivo

10 de abril de 2024 - 15:47

A agência de risco Fitch revisou a perspectiva para a nota de crédito soberana A+ da China, de estável para negativa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies