🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Mais uma vítima?

Stablecoin USD Coin (USDC) perde a paridade com o dólar em meio à crise do SVB; veja como o mercado cripto foi afetado pela falência no banco

Cotação da criptomoeda atrelada ao dólar caiu de US$ 1 para US$ 0,88 após sua emissora divulgar que tinha US$ 3,3 bilhões em depósitos no SVB

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
12 de março de 2023
16:50
Dólar em queda
Stablecoins precisam manter a paridade com seu ativo de referência - por exemplo, o dólar - o tempo todo. Imagem: Shutterstock

A stablecoin USD Coin (USDC), uma das maiores criptomoedas atreladas ao dólar do mundo, perdeu a sua paridade com a moeda americana no último sábado (11) depois que a Circle, sua emissora, revelou ter US$ 3,3 bilhões em depósitos no Silicon Valley Bank (SVB).

O banco, focado em startups de tecnologia, foi à falência na sexta-feira (10) após sofrer uma corrida bancária. Clientes que não conseguiram retirar seus recursos a tempo podem fazer jus à garantia da Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), o equivalente americano ao nosso Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Mas quem tiver a receber valores que estiverem fora do limite de cobertura de US$ 250 mil precisará, a princípio, entrar na fila de credores, sem garantia de ser inteiramente ressarcido, a menos que o governo americano decida socorrer os depositantes.

Como stablecoin, a USD Coin precisa manter a equivalência com o seu ativo de referência - o dólar americano - o tempo todo; para isso, a Circle deve ter reservas na mesma moeda como lastro, que hoje totalizam cerca de US$ 40 bilhões.

Só que ontem pela amanhã, logo depois que a Circle divulgou sua exposição ao SVB, a cotação da USDC tombou para 88 centavos na mínima. Mas, segundo dados compilados pela Bloomberg, a stablecoin chegou a ser negociada a 81,5 centavos de dólar.

A corretora (exchange) Coinbase decidiu suspender as negociações de USDC na sua plataforma durante o fim de semana, prometendo retomá-las quando o expediente bancário começar, na próxima segunda-feira.

Há pouco, a criptomoeda era negociada a 97 centavos. Veja o gráfico de sete dias da Coin Market Cap, que mostra o quanto a USD Coin era estável antes do anúncio e passou a oscilar brutalmente em seguida:

Fonte: Coin Market Cap

A perda de paridade de uma stablecoin ocorre quando os investidores vendem rapidamente as suas posições no ativo. E, neste caso, eles parecem ter migrado para outras stablecoins que já manifestaram não ter exposição ao SVB, como o Tether (USDT), que desde ontem vem sendo negociado um pouco acima de US$ 1.

Fonte: Google/Coin Market Cap

Outras empresas do setor cripto também vieram a público nos últimos dias para dizer que não têm qualquer relacionamento com o SVB, como as exchanges Binance e Gemini, além da Paxos Trust, emissora da stablecoin Pax Dollar (USDP).

Por outro lado, outra grande empresa do setor, a plataforma de negociação de ativos digitais e lending BlockFi, anunciou que tinha US$ 227 milhões em depósitos no SVB. O evento complica ainda mais a situação da companhia, que atualmente se encontra em recuperação judicial.

  • Quer investir em inteligência artificial? O analista Vinicius Bazan, da Empiricus Research, revelará o nome de 3 criptomoedas que “surfam” na onda da tecnologia e que podem ter valorizações gigantescas em 2023. Clique aqui para conhecer os ativos.

Impacto da crise do SVB no mercado cripto

O descolamento de stablecoins da cotação dos seus ativos de referência é o tipo de evento capaz de causar um frio na espinha dos investidores em criptomoedas.

O caso mais notório do tipo foi justamente aquele que iniciou a espiral de acontecimentos negativos que vêm abalando o mundo cripto: o colapso da criptomoeda Terra (LUNA), que começou justamente com a perda de paridade da sua stablecoin, a TerraUSD (UST), em maio de 2022.

De lá para cá, o que se viu foi uma sequência de quebras de empresas do setor, com alguns casos notórios, como a do fundo de hedge Three Arrows Capital e a da exchange FTX.

A mais recente vítima desse ambiente problemático foi o banco Silvergate, com foco em clientes empresariais do mercado cripto, que teve alguns problemas similares aos do SVB.

A crise no mercado de criptomoedas tem como pano de fundo a alta nas taxas de juros nos Estados Unidos, que afeta principalmente os setores de maior risco e mais dependentes de capital e crédito, como o de tecnologia.

O aperto monetário sufoca os negócios mais sensíveis às taxas de juros, além daquelas empresas que estão envolvidas em algum tipo de fraude ou que fazem má gestão de risco.

A quebra do SVB tem o poder de abalar ainda mais o já combalido mercado de criptomoedas, uma vez que seus clientes eram justamente startups de tecnologia, muitas das quais perderam o acesso a uma boa parte dos seus recursos que estavam depositados no banco. A saída que for encontrada para os depositantes nos próximos dias será determinante para sabermos o tamanho do impacto.

É possível ainda que haja algum efeito contágio, sobretudo para outros bancos de pequeno e médio porte e que atuam em nichos, com clientes de alto risco e até rejeitados pelos bancões tradicionais, como os próprios players do mundo cripto.

Da manhã de quinta até a manhã de sexta, o bitcoin chegou a cair quase 10% em dólar com as notícias envolvendo o SVB, mas depois a maior criptomoeda do mundo passou a ver uma recuperação de mesma intensidade.

*Com informações da Bloomberg.

Compartilhe

CRIPTOMOEDAS HOJE

Por que o atentado contra Trump ajudou o bitcoin (BTC) recuperar o patamar de US$ 60 mil

14 de julho de 2024 - 10:03

Depois de patinar no início de julho, bitcoin (BTC) mostrou uma recuperação mais firme após o atentado de sábado contra Trump

É A VOLTA DO RALI

Bitcoin (BTC) salta e busca os US$ 59 mil após inflação dos EUA vir menor que o esperado; veja criptomoedas que sobem hoje

11 de julho de 2024 - 10:33

Imediatamente após os dados de inflação, os mercados já precificaram em cerca de 87% de chance de o Fed começar a cortar as taxas em sua próxima reunião, em setembro

CRIPTOMOEDAS HOJE

Até onde vai o preço do bitcoin (BTC)? Queda pode colocar criptomoeda no nível de US$ 50 mil, mesmo com expectativas positivas para 2024

8 de julho de 2024 - 12:12

Apesar das perspectivas de curto prazo serem negativas, analistas ouvidos pela reportagem apontam que, em um horizonte maior, o bitcoin tende a se valorizar

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) começa semana com desconto de 6% após perdas recentes; entre as criptomoedas, Notcoin (NOT) salta 50% hoje 

7 de julho de 2024 - 11:49

O Notcoin começou como um jogo que se tornou viral entre os usuários do app de mensagens Telegram

EM QUEDA LIVRE

Bitcoin (BTC) perde suporte e chega aos US$ 54 mil; criptomoedas derretem em meio à crise da gestora Mt. Gox

5 de julho de 2024 - 9:41

Gestora que entrou em falência há dez anos realizará pagamentos aos credores neste mês; distribuição de bitcoins no mercado pressionam os preços das criptomoedas nesta sexta-feira (5)

DESCE?

Bitcoin (BTC) cai e testa suporte de US$ 57 mil com vencimento de contratos somando mais de US$ 340 milhões

4 de julho de 2024 - 7:27

Além disso, a ausência de negócios em Nova York em virtude do feriado de independência dos EUA tende a trazer volatilidade aos negócios

ONDE INVESTIR NO 2º SEMESTRE

Bitcoin (BTC) vai renovar máximas históricas de novo? Analistas veem criptomoedas apenas no início de um ciclo de novas altas

4 de julho de 2024 - 6:15

Conheça também três setores e três moedas virtuais que podem se valorizar no segundo semestre de 2024

REAL DIGITAL

Um jabuti no Drex: Congresso usa PEC da autonomia do BC para preservar cartórios dos impactos do real digital

3 de julho de 2024 - 9:43

Jabuti que limita uso do real digital para reduzir burocracia foi inserido na PEC da autonomia do BC durante tramitação na CCJ do Senado

CRIPTOS HOJE

Bitcoin (BTC) fura suporte dos US$ 60 mil com queda de quase 5% em meio a ‘liquidação’ das criptomoedas

3 de julho de 2024 - 8:10

Neste mês, a distribuição de bitcoins da extinta corretora de criptomoedas (exchange) Mt. Gox, que já foi a principal corretora ativa do mercado, deve acontecer

SEU DIA EM CRIPTO

Recuperação do bitcoin (BTC) é ofuscada por ‘novo’ protocolo do ethereum (ETH); veja preço das criptomoedas hoje

1 de julho de 2024 - 9:08

Ele se chama ethereum name service (ENS), que transforma os caracteres dos endereços das carteiras digitais (wallets) em palavras escolhidas pelo usuário

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar