IPCA + 7,5%: receba esta e outras ofertas ‘premium’ de renda fixa no WhatsApp; clique aqui

Cotações por TradingView
2023-01-22T17:16:50-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
QUEBRADEIRA GERAL

Grupo controlador da corretora de criptomoedas Genesis entra com pedido de recuperação judicial e deve mais de US$ 3,5 bilhões — mas tokens não ligam

As principais criptomoedas do mundo seguem em movimento de alta, apesar de mais um princípio de falência no universo cripto

20 de janeiro de 2023
10:47 - atualizado às 17:16
Controladora da Gênecis, corretora de criptomoedas, entra com pedido de reestruturação empresarial
Imagem: Divulgação / Montagem Seu Dinheiro

Dois meses se passaram desde a falência da FTX. A BlockFi foi uma das primeiras a jogar a toalha para a crise de liquidez que assola o mercado. Agora é a vez da Genesis Global entrar com pedido de recuperação judicial, conhecido como chapter 11.

Na noite da última quinta-feira (19), a Digital Currency Group (DGC) — controladora da holding que inclui a Genesis — protocolou o pedido no tribunal de falências de Nova York.

A empresa recentemente protagonizou uma briga pública com uma outra exchange de nome parecido, a Gemini, dos “gêmeos do Facebook”, Tyler e Cameron Winklevoss.

Mas, diferentemente do que aconteceu quando da falência do fundo de criptomoedas Three Arrows Capital (3AC) e da FTX, as principais criptomoedas do mundo seguem em tendência de alta hoje.

Por volta das 10h, o bitcoin (BTC) avançava 1,97%, enquanto o ethereum (ETH) dobrava a aposta com alta de 2,69%. 

Genesis e o pedido de proteção judicial 

Assim como as demais empresas do setor, tudo começou em 2022. Os problemas de liquidez começaram com o colapso da Terra (LUNA) e seguiram com o 3AC e FTX piorando cada vez mais as condições do mercado.

Segundo o documento enviado à corte de falências, a Genesis deve cerca de US$ 3,5 bilhões aos seus 50 maiores credores. Entre eles, estão nomes de peso, como:

  • Gemini: US$ 765 milhões;
  • Mirana (possivelmente a corretora Bybit): US$ 151 milhões;
  • Moonalpha (Babel): US$ 150 milhões;
  • Coincident Cap (Mex/Finex Leaderboarders): US$ 110 milhões; 
  • Decentraland: US$ 55 milhões;
  • VanEck: US$ 53 milhões;
  • Abra: US$ 30 milhões;
  • Cumberland: US$ 18 milhões;
  • Stellar Foundation: US$ 13 milhões.

Parte dos credores são outras empresas, exchanges e plataformas menores. Ou seja, em alguns dias, o mercado deve ver outros pedidos de falência.

Não ficou barato

A aparente calmaria se deve ao fato de o DGC ter afirmado que os US$ 150 milhões restantes no caixa da empresa são suficientes para manter as operações durante o processo de reestruturação.

Entretanto, a corretora Gemini não pretende dar o braço a torcer. Cameron Winklevoss escreveu uma longa thread em sua conta pessoal no Twitter com uma mensagem simples: processar o CEO da DGC, Barry Silbert.

Recapitulando: recentemente a Gemini encerrou o programa Gemini Earn, de contas de rendimento — conhecidas como lending e staking de criptomoedas. Acontece que a Genesis tinha um contrato de empréstimo com a corretora dos irmãos Winklevoss, encerrado no início do mês.

Os valores da Genesis podem ser maiores

“Estamos nos preparando para tomar medidas legais diretamente contra Barry, o DCG e outros que compartilham a responsabilidade pela fraude que causou danos aos mais de 340 mil usuários do Earn e outros enganados pelo Genesis e seus cúmplices”, escreveu Cameron Winklevoss.

Os US$ 765 milhões de dívida da Genesis com a Gemini podem ser muito maiores. Segundo um levantamento feito pelo Financial Times com uma fonte interna, são US$ 900 milhões em fundos retidos pela corretora que acaba de entrar com pedido de reestruturação. O DGC alega que o pedido de chapter 11 — o primeiro passo para uma empresa decretar falência — serve para proteger os fundos enquanto o grupo se reorganiza.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

maus ventos

O Brasil vai acabar? Inflação pode deixar de responder ao BC se Lula conseguir mudar meta, dizem gestores

31 de janeiro de 2023 - 21:24

Rodrigo Azevedo, da Ibiuna, e Felipe Guerra, da Legacy, estão com visão pessimista para o Brasil

DIA 31

Está confirmado: Lula vai para os EUA no dia 10 de fevereiro — veja o que ele vai discutir com Biden

31 de janeiro de 2023 - 20:06

Enquanto o encontro não chega, o petista tentou acalmar os ânimos dos investidores — que seguem desconfiados em relação à responsabilidade fiscal do novo governo

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa sobe em meio ao caos de um interminável janeiro; o que afeta a bolsa nos próximos dias?

31 de janeiro de 2023 - 18:57

Veja tudo o que movimentou os mercados nesta terça-feira, incluindo os principais destaques do noticiário corporativo

MELHORES DO MÊS

Renascimento cripto: bitcoin (BTC) volta a brilhar, sobe mais de 30% e é disparado o melhor investimento de janeiro; títulos do Tesouro ficam na lanterna

31 de janeiro de 2023 - 18:46

As medalhas de prata e bronze foram para o ouro e para o Ibovespa, em um movimento de busca por segurança — e barganhas

ESTAGNOU?

Dividendos do Maxi Renda (MXRF11) não cresceram em 2022, mas os proventos destes outros três fundos imobiliários subiram mais de 50% — veja quais são

31 de janeiro de 2023 - 18:33

O melhor resultado foi obtido pelo Santander Papéis Imobiliários CDI (SADI11), com alta de 77,1%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies