🔴 EVENTO GRATUITO: COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE

O que o preço sobre lucro (P/L) nos diz sobre uma ação? Entenda a importância do indicador

Quando falamos com gestores de ações, é o múltiplo Preço/Lucro (P/L) quem domina as discussões sobre a atratividade de um investimento

15 de agosto de 2023
12:01 - atualizado às 11:25
Imagem: Divulgação

O preço de qualquer ativo – ações inclusive – é a resultante do fluxo de caixa que ele gera no futuro, trazido a valor presente por meio de uma taxa de desconto.

Por definição, quando o preço de qualquer ativo financeiro muda, duas coisas ou ambas têm que ter acontecido:

  1. ou a perspectiva do fluxo de caixa que a empresa vai gerar no futuro mudou,
  2. ou a taxa de desconto mudou,
  3. ou uma combinação dos dois.

Apesar de todos sabermos que o valor de uma empresa está nos fluxos de caixa que ela irá gerar no futuro, quem escuta o Market Makers sabe que quando falamos com gestores de ações é o múltiplo Preço/Lucro (P/L) quem domina as discussões sobre a atratividade de um investimento.

Isso acontece porque o P/L – como qualquer outro múltiplo – é um atalho que o investidor usa para entender como o mercado enxerga o comportamento futuro dos fluxos de caixa da empresa.

E convenhamos que é muito mais fácil projetar o lucro dos próximos três anos do que o fluxo de caixa que a empresa vai gerar nos próximos 10 anos até a perpetuidade.

A importância desse indicador para ações

Mas apesar de ser um atalho, o P/L é mais do que uma simples referência de preço. 

No clássico Modelo de Dividendos Descontados, ou DDM (Dividend Discount Model), uma empresa retém uma porcentagem fixa "b" de seus lucros atuais "L" e distribui o saldo (1 - b)L para investidores na forma de dividendos.

Assume-se que todos os lucros retidos sejam destinados a novos investimentos que ofereçam um retorno igual ao retorno atual da empresa (ROIC ou ROE).

Essas suposições levam a uma taxa de crescimento "g" que se aplica tanto aos lucros quanto aos dividendos. O ‘preço’ da empresa é o valor presente do fluxo projetado de dividendos, descontado a uma taxa de desconto "k".

O preço sobre lucro

Resumindo os dois parágrafos anteriores, o P/L é uma função do:

  1. Retorno sobre o capital investido (ROIC) que uma empresa gera em seus investimentos;
  2. Lucro que a empresa retém no balanço para poder reinvesti-lo com o mesmo ROIC;
  3. Crescimento do lucro por ação que, por sua vez, depende do ROIC e do lucro retido;
  4. Taxa de desconto, que nada mais é que o custo de oportunidade do investimento.

Com base nisso temos a fórmula derivada da teoria DDM:

P/L = (1 – b) / k – g
= lucro retido pela empresa
k = taxa de desconto
g = crescimento do lucro ou ROIC * (1-b)

Ou seja, se uma empresa investe 30% do lucro para novos investimentos com um ROIC de 20% a uma taxa de desconto de 10%, então:

P/L = (1 – 0,7) / (0,10 – 0,06) = 25 vezes

Veja que se o ROIC fosse 10%, a empresa teria que investir 60% do lucro para gerar o mesmo g de 6% (10% * 60%), então:

P/L = (1 – 0,4) / (0,10 – 0,06) = 15 vezes

Quando o múltiplo contrai por conta de um maior denominador (lucro maior faz o múltiplo P/L cair), a ação não necessariamente está mais barata já que ela merece passar a negociar com desconto uma vez que a empresa vai precisar investir mais dinheiro - e, consequentemente, pagar menos dividendos - para gerar o mesmo g.

Dessa forma, é matematicamente correto uma empresa que cresce com ROIC robusto negociar a um múltiplo P/L maior do que uma empresa com ROIC menor.

Os múltiplos de uma empresa

A tabela abaixo resume bem essa equação de diferentes cenários de ROIC para diferentes taxas de crescimento (g):

Fonte: What Does a Price-Earnings Multiple Mean?; Credit Suisse

Portanto, apesar de ser um atalho, não dá para dissociar o fato de que quando o mercado paga um múltiplo maior por uma empresa é porque acredita que esta tende a gerar mais caixa do que a média em algum período no futuro. Em outras palavras, é da análise do fluxo de caixa que deriva o múltiplo de uma empresa.

Na Carteira Market Makers, temos uma empresa que reinveste ~35% do lucro líquido expandindo o seu MOAT a um ROIC entre 30 e 40%. Colocando na fórmula, é uma daquelas empresas que poderia negociar a pelo menos 30x:

P/L = (1-0,65) / [0,125 – (30% * 35%)] = 32,5 vezes

Atualmente, ela negocia a meros 14 vezes o lucro do ano que vem - que por sua vez deve subir 20%.

Não é a mais descontada em termos de múltiplo da nossa carteira, mas hoje é a nossa segunda maior posição.

Tem interesse em conhecer? Clique aqui e aproveite a oportunidade para entrar em nossa Comunidade de investidores.

Um abraço,
Matheus Soares

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Enduro da bolsa: mercado acelera com início da temporada de balanços do 1T24, mas na neblina à espera do PCE

23 de abril de 2024 - 8:54

Na corrida dos mercados, Usiminas dá a largada na divulgação de resultados. Lá fora, investidores reagem ao balanço da Tesla

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Decisão do Copom em xeque: o que muda para a Selic depois dos últimos acontecimentos?

23 de abril de 2024 - 6:24

O Banco Central do Brasil enfrentará um grande dilema nas próximas semanas

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: A pobreza das ações

22 de abril de 2024 - 20:00

Em uma conversa regada a vinho, dois sujeitos se envolvem em um embate atípico, mas quem está com a razão?

DE REPENTE NO MERCADO

Enquanto o dólar não para de subir… Brasil sobe em ranking internacional e este bilionário indonésio fica 10x mais rico em um ano 

21 de abril de 2024 - 12:00

Veja os destaques da semana na ‘De repente no mercado’

BOMBOU NO SD

Dividendos de Klabin (KLBN11), Gerdau (GGBR4) e Petrobras (PETR4), halving do bitcoin e Campos Neto dá pistas sobre o futuro da Selic — veja tudo o que foi destaque na semana

20 de abril de 2024 - 14:01

A ‘copa do mundo’ das criptomoedas aconteceu de novo. A recompensa dos mineradores por bloco de bitcoin caiu pela metade

Mande sua pergunta!

Meu pai me ajudou a comprar um imóvel; agora ele faleceu, e meu irmão quer uma parte do valor; foi adiantamento de herança?

20 de abril de 2024 - 8:00

O irmão desta leitora está questionando a partilha da herança do pai falecido; ele tem razão?

SEXTOU COM O RUY

A ação que dá show em abril e mostra a importância de evitar histórias com altas expectativas na bolsa

19 de abril de 2024 - 6:07

Ações que embutiam em seus múltiplos elevadas expectativas de melhora macroeconômica e crescimento de lucros decepcionaram e desabaram nos últimos dias, mas há aquela que brilha mesmo em um cenário adverso

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: ChatGPT resiste às tentações de uma linda narrativa?

17 de abril de 2024 - 20:11

Não somos perfeitos em tarefas de raciocínio lógico, mas tudo bem: inventamos a inteligência artificial justamente para cuidar desses problemas mais chatos, não é verdade?

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Ataque do Irã poderia ter sido muito pior: não estamos diante da Terceira Guerra Mundial — mas saiba como você pode proteger seu dinheiro

16 de abril de 2024 - 6:17

Em outubro, após o ataque do Hamas, apontei para um “Kit Geopolítico” para auxiliar investidores a navegar por esse ambiente incerto

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: Cinco coisas que deveriam acabar no mercado financeiro

15 de abril de 2024 - 20:01

O sócio-fundador da Empiricus lista práticas do universo dos investimentos que gostaria de ver eliminadas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar