🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
CEO CONFERENCE 2022

Bolsonaro foge de perguntas sobre a economia e ataca Lula: ‘a esquerda é sinônimo do fracasso, da corrupção, do atraso’

Além do rival político, presidente voltou a direcionar sua metralhadora de críticas para os ministros do Supremo Tribunal Eleitoral (STF) e questionar as urnas eletrônicas

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, em fundo preto
Ex-presidente do Brasil, Jair Bolsonaro - Imagem: Shutterstock

Apesar de afirmar que, ao contrário de outros políticos, não está em campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro aproveitou sua participação na CEO Conference, evento promovido pelo BTG Pactual, para atacar o pré-candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Luiz Inácio Lula da Silva.

Acompanhados dos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Ciro Nogueira, Bolsonaro foi breve ao responder perguntas ligadas à economia, mas não poupou palavras contra o adversário: “A esquerda é sinônimo do fracasso, da corrupção, do atraso”, declarou para a plateia de empresários e investidores.

Referindo-se a Lula e ao PT como “o outro lado”, Bolsonaro iniciou a palestra desta quarta-feira (23) listando uma série de medidas que, segundo ele, são defendidas pelo rival:

  • Revogar a autonomia do Banco Central e as reformas trabalhista e da previdência;
  • Retomar o imposto sindical;
  • Reestatizar empresas privatizadas;
  • Acabar com o teto de gastos;
  • Interferir na política de preços da Petrobras;
  • Fortalecer o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST);
  • Recolher armas dos cidadãos;
  • Desmilitarizar as polícias militares;
  • Extinguir os colégios militares;
  • Liberar as drogas;
  • Legalizar o aborto;
  • Reaproximar-se de Cuba.

Reforçando a importância das pautas de costume e a defesa do militarismo que foram as marcas de sua campanha em 2018, o presidente, visivelmente exaltado, afirmou que as eleições não são apenas sobre quem será o novo chefe do executivo. 

GUIA PARA BUSCAR DINHEIRO: baixe agora o guia gratuito com 51 investimentos promissores para 2022 e ganhe de brinde acesso vitalício à comunidade de investidores Seu Dinheiro

“O que está em jogo no Brasil? A nossa liberdade. O que está em jogo no Brasil? A nossa economia. Para onde estávamos indo nos últimos governos? Vamos flertar com isso novamente, ficar a beira do abismo?”, questionou.

Acabou a paz com o STF?

Além do rival político, Bolsonaro também voltou a direcionar sua metralhadora de críticas para os ministros do Supremo Tribunal Eleitoral (STF) e questionar as urnas eletrônicas. 

“Temos um sistema eleitoral que não há como comprovar que é ‘fraudável’ mas também não há como comprovar que não é ‘fraudável’”, disse. 

Ao comentar ações do STF, como a prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), o presidente subiu ainda mais o tom: “ Vocês vão ter que vir para dentro das quatro linhas. Afinal de contas, todos temos limites”.

“Ficam brincando o tempo todo de nos controlar, de desrespeitar a nossa Constituição, de ferir a nossa liberdade de expressão, de prender deputado”, acusou.

E a economia, Bolsonaro?

Quando o rumo das perguntas voltou para os temas econômicos, os discursos do presidente tornaram-se mais curtos e menos inflamados. 

Perguntado sobre o avanço das reformas econômicas no Congresso ainda este ano, Bolsonaro disse que a hora é de “aprovar o que pode ser aprovado”. 

“Nós sabemos que em anos eleitorais algumas propostas têm dificuldade em ir para frente. O parlamento é muito sensível nesse momento”.

Amparado pela presença de Guedes para responder questões sobre inflação e desemprego, Bolsonaro destacou a cotação atual do dólar. “Se eu não me engano, Paulo Guedes, janeiro foi o mês que mais entrou dólar no Brasil”, disse ele antes de deixar que o ministro assumisse à frente da conversa.

Guedes explicou que a inflação é um fenômeno global causado por um choque adverso de oferta. Por aqui, o cenário foi agravado pela falta de chuva e a alta do petróleo, que pressionou os preços de energia e combustíveis no ano passado.

Para conter a alta inflacionária, o ministro afirma que o primeiro passo já foi dado, relembrando a aprovação da autonomia do Banco Central. “Nós sabemos que a garantia de um controle inflacionário é um BC independente. O estelionato eleitoral através da politização da moeda foi varrido”.

No tópico de criação de empregos, Guedes também destacou uma iniciativa do governo que poderia gerar dois milhões de empregos, mas foi barrada pelo Senado. “Mandamos o programa, com o apoio do Arthur Lira [presidente da Câmara], e esse projeto caiu no Senado. Pretendemos reapresentá-lo”.

Compartilhe

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações da Casas Bahia (BHIA3) dispararam 16% e lideraram as altas do Ibovespa na semana — enquanto Petrobras (PETR3) caiu 5%?

2 de março de 2024 - 10:48

Com calendário econômico cheio e uma avalanche de notícias corporativas, o Ibovespa acumulou queda de 0,18% na semana; veja o que puxou o índice de ações da B3

MUDANÇA DE FLUXO

Ibovespa vai subir 15%? XP eleva projeção para a bolsa em 2024

1 de março de 2024 - 14:49

XP vê Brasil bem posicionado globalmente para atrair investidores estrangeiros e promove alterações em suas carteiras

FUNDOS IMOBILIÁRIOS HOJE

Nova administração do Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11) diz ter encontrado irregularidades nas despesas e afirma que vai restituir o fundo imobiliário

1 de março de 2024 - 13:08

Uma auditoria conduzida pela gestão identificou cerca de R$ 1,2 milhão em gastos jurídicos pagos pelo FII em dezembro do ano passado

QUER PAGAR QUANTO?

Vitória dos minoritários! Cielo (CIEL3) convoca assembleia para discutir novo laudo de oferta para fechar capital

1 de março de 2024 - 9:19

Bradesco e Banco do Brasil ofereceram R$ 5,35 por ação da Cielo (CIEL3), mas os minoritários entendem que os bancos deveriam pagar bem mais para fechar o capital da companhia

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa fecha em leve alta, mas sustenta os 129 mil pontos com Wall Street positivo; dólar cai a R$ 4,95

1 de março de 2024 - 7:40

RESUMO DO DIA: A bolsa brasileira acompanhou o tom mais positivo do exterior e encerrou a sessão desta sexta-feira (01) no azul. O Ibovespa terminou em leve alta de 0,12%, aos 129.180 pontos. Apesar da valorização tímida, o principal índice de ações da B3 acumulou queda de 0,18% na semana. Por sua vez, o dólar […]

VAREJO EM APUROS

Diluição à vista? Lojas Marisa (AMAR3) quer mais do que triplicar o limite de ações

29 de fevereiro de 2024 - 11:24

Proposta do conselho de administração da Lojas Marisa prevê elevar de 90 milhões para 300 milhões o limite de AMAR3 em circulação

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa recua com pressão de bancos, mas sustenta os 129 mil pontos no fim da sessão; dólar tem leve alta

29 de fevereiro de 2024 - 7:13

RESUMO DO DIA: O Ibovespa terminou a sessão desta quinta-feira (29) em queda, mas conseguiu sustentar o patamar de 129 mil pontos.  Por aqui, a cautela com o rumo dos juros no Brasil e exterior pressionou as ações de bancos, que caíram em bloco na B3. Com isso, o principal índice da bolsa brasileira fechou […]

SUBIU NO TELHADO

Petrobras (PETR4): a fala do CEO sobre dividendos que derruba as ações da estatal hoje na B3

28 de fevereiro de 2024 - 14:47

Em entrevista à Bloomberg, Jean Paul Prates defendeu que a Petrobras tenha “cautela” na distribuição de dividendos; ações reagem em forte queda

PROBLEMAS NOS HOTÉIS?

Por que os dividendos do fundo imobiliário HTMX11 tiveram um corte brusco em fevereiro? Confira a explicação da gestão

28 de fevereiro de 2024 - 12:17

O fundo de hotéis comunicou, no início do mês, que pagaria R$ 0,86 por cota aos investidores, contra R$ 3,25 em janeiro.

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai a 130 mil pontos, pressionado pela desvalorização de Petrobras (PETR4) após falas de Prates sobre dividendos; dólar sobe a R$ 4,97

28 de fevereiro de 2024 - 7:24

RESUMO DO DIA: A bolsa brasileira terminou a sessão desta quarta-feira (28) no vermelho, com o cenário corporativo roubando os holofotes do calendário de indicadores econômicos no exterior. O Ibovespa encerrou o dia em baixa de 1,16%, aos 130.155 pontos. Por sua vez, o dólar fechou próximo das máximas do dia, com um avanço de […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies