🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
NO RASTRO DA FALÊNCIA

Balanço da Alameda revelado: investimentos de altíssimo risco em criptomoedas e inconsistências mostram bastidores da falência da FTX

Conhecer essas informações pode auxiliar os órgãos fiscalizadores a evitar novas fraudes no setor de criptomoedas

Renan Sousa
Renan Sousa
6 de dezembro de 2022
16:28 - atualizado às 16:29
Balanço da Alameda Research mostra correlação om a quebra da FTX; veja o que levou à piora do balanço da corretora de criptomoedas
Imagem: Divulgação

Pouco menos de um mês depois de a FTX, empresa que chegou a ser uma das maiores corretoras de criptomoedas (exchanges) do mundo, dar o primeiro passo para a falência, mais um capítulo se inicia na investigação para entender como ocorreu a implosão da empresa. 

O Financial Times (FT) teve acesso ao balanço da Alameda Research, empresa de investimentos de alto risco (venture capital ou apenas VC) de Sam Bankman-Fried (conhecido como SBF), ex-CEO da FTX, que foi um dos pilares da ruína da corretora. 

Os documentos comprovam as suspeitas de misturas entre os fundos da empresa de investimentos e os da corretora.

Criptomoedas e outros ativos pouco líquidos e muito voláteis eram usados como garantia dos investimentos dos usuários, uma estratégia arriscada que levou as duas empresas à ruína. 

Balanço da Alameda pode “iluminar” regulador

Apesar de a planilha ser reveladora, o preenchimento de algumas células está comprometido, seja por erro de digitação ou preenchimento incorreto, o que dificulta a análise pontual de alguns dados.

Entretanto, o documento mostra que a Alameda possuía mais de US$ 5,4 bilhões em investimentos. São cerca de 500 ativos divididos entre aproximadamente dez holdings.

Ainda que as informações estejam incompletas, elas podem dar uma pista para os investigadores norte-americanos sobre as estratégias de investimento da Alameda.

Em outras palavras, unindo o evento da falência a essas informações, os órgãos reguladores podem traçar um plano legislativo para que outros casos como o da Alameda não voltem a acontecer. 

Uma lupa nos negócios

De acordo com os documentos, a Genesis, companhia ligada ao setor de lending e serviços em criptomoedas, e o grupo Anthropic, ligado ao setor de desenvolvimento de inteligência artificial, são os dois maiores investidores da Alameda. 

Vale lembrar que recentemente foi revelado que a Genesis deve ao protocolo Gemini Earn, também de staking e lending de criptomoedas, cerca de US$ 900 milhões — quantia que pode causar a implosão da empresa. A Gemini também estava entre os investidores da FTX.

Os investimentos que sobraram da Alameda Research são algumas criptomoedas e projetos em finanças descentralizadas (DeFi). Ainda há alguma quantia em startups relacionadas a videogames e sites de apostas.

Relembre o caso: a ruína da FTX e da Alameda

Tudo começou com uma reportagem da CoinDesk que mostrava que os fundos dos investidores na corretora FTX estavam sendo usados para operações alavancadas na Alameda Research.

Os documentos ainda mostram que o token da corretora, o FTT, foi usado como garantia dos investimentos dos investidores. Outros ativos de risco, como as ações da companhia de serviços financeiros Robinhood, também foram usados para essa finalidade. 

Assim que os negócios da Alameda Research começaram a dar prejuízo, ocorreu a chamada margin call ou chamada de margem, em português — quando um investidor alavancado precisa oferecer mais garantias para as suas operações, dado que as garantias já oferecidas começam a ser consideradas insuficientes. Nesse momento, mais recursos foram transacionados da FTX para a empresa de investimentos.

Esse ciclo vicioso piorou quando, por coincidência ou não, na semana seguinte, a Binance — um dos maiores investidores na FTX — se desfez das suas posições em FTT, o que derrubou as cotações do token e piorou o balanço da corretora.

A partir daí, a empresa entrou em insolvência — quando a dívida é maior do que o patrimônio da empresa. Entenda aqui o futuro da FTX.

Compartilhe

CRIPTOMOEDAS HOJE

Sabe quem não saiu do ar com a pane cibernética? O bitcoin (BTC), que aproveitou para subir para os US$ 66 mil hoje

19 de julho de 2024 - 15:15

Verdade seja dita, desde a criação do bitcoin em 3 de janeiro de 2009, a maior criptomoeda do mundo ficou online 99,99% do tempo

DESCOMPRESSÃO

Bitcoin (BTC) avança para os US$ 62 mil: veja os dois eventos que fizeram os preços da maior criptomoeda do mundo ‘respirar’ hoje

15 de julho de 2024 - 8:48

Um dos fatores que contribuíram para um alívio nos preços do bitcoin e das demais criptomoedas do mundo foi o fim das transferências do governo da Alemanha

CRIPTOMOEDAS HOJE

Por que o atentado contra Trump ajudou o bitcoin (BTC) recuperar o patamar de US$ 60 mil

14 de julho de 2024 - 10:03

Depois de patinar no início de julho, bitcoin (BTC) mostrou uma recuperação mais firme após o atentado de sábado contra Trump

É A VOLTA DO RALI

Bitcoin (BTC) salta e busca os US$ 59 mil após inflação dos EUA vir menor que o esperado; veja criptomoedas que sobem hoje

11 de julho de 2024 - 10:33

Imediatamente após os dados de inflação, os mercados já precificaram em cerca de 87% de chance de o Fed começar a cortar as taxas em sua próxima reunião, em setembro

CRIPTOMOEDAS HOJE

Até onde vai o preço do bitcoin (BTC)? Queda pode colocar criptomoeda no nível de US$ 50 mil, mesmo com expectativas positivas para 2024

8 de julho de 2024 - 12:12

Apesar das perspectivas de curto prazo serem negativas, analistas ouvidos pela reportagem apontam que, em um horizonte maior, o bitcoin tende a se valorizar

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) começa semana com desconto de 6% após perdas recentes; entre as criptomoedas, Notcoin (NOT) salta 50% hoje 

7 de julho de 2024 - 11:49

O Notcoin começou como um jogo que se tornou viral entre os usuários do app de mensagens Telegram

EM QUEDA LIVRE

Bitcoin (BTC) perde suporte e chega aos US$ 54 mil; criptomoedas derretem em meio à crise da gestora Mt. Gox

5 de julho de 2024 - 9:41

Gestora que entrou em falência há dez anos realizará pagamentos aos credores neste mês; distribuição de bitcoins no mercado pressionam os preços das criptomoedas nesta sexta-feira (5)

DESCE?

Bitcoin (BTC) cai e testa suporte de US$ 57 mil com vencimento de contratos somando mais de US$ 340 milhões

4 de julho de 2024 - 7:27

Além disso, a ausência de negócios em Nova York em virtude do feriado de independência dos EUA tende a trazer volatilidade aos negócios

ONDE INVESTIR NO 2º SEMESTRE

Bitcoin (BTC) vai renovar máximas históricas de novo? Analistas veem criptomoedas apenas no início de um ciclo de novas altas

4 de julho de 2024 - 6:15

Conheça também três setores e três moedas virtuais que podem se valorizar no segundo semestre de 2024

REAL DIGITAL

Um jabuti no Drex: Congresso usa PEC da autonomia do BC para preservar cartórios dos impactos do real digital

3 de julho de 2024 - 9:43

Jabuti que limita uso do real digital para reduzir burocracia foi inserido na PEC da autonomia do BC durante tramitação na CCJ do Senado

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar